skip to Main Content
20 de fevereiro de 2020 | 03:38 pm

AÇÃO POSITIVA, BARULHO NEGATIVO

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Associação de Moradores do bairro de Fátima iniciou um projeto interessante, que oferece aulas de ginástica aeróbica na praça da comunidade, todas as manhãs de sábado. Até aí, tudo bem e só aplausos.
O problema é que durante as aulas, que começam às 5h30 da manhã e reúnem cerca de 20 pessoas, é utilizada uma potente caixa de som, o que incomoda toda a vizinhança. Moradores já enfrentam o barulho de duas igrejas instaladas nos arredores da praça e agora têm mais esse “serviço despertador” indesejado, em plena madrugada de sábado.
A intenção é boa, mas é preciso compatibilizá-la com o devido respeito à Lei do Silêncio.

O PIOR MÊS DE JANEIRO EM 12 ANOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho indicam que Itabuna teve o pior mês de janeiro em 12 anos, no que se refere à geração de empregos. O maior município do sul da Bahia ficou com saldo negativo de uma vaga, o desempenho mais fraco desde 2002, quando o saldo ficou positivo em 1008 vagas. Em janeiro do ano passado, a diferença entre admissões e desligamentos fechou em 605.
No ranking baiano, considerando o saldo de cada município, Itabuna está em 45º lugar. A perda de fôlego da economia se reflete em todo o Estado, que em janeiro gerou 64.977 empregos, mas a perda de vagas foi de 65.605 (saldo negativo de 628).
Assim como no resto do País, na Bahia o setor que mais contribuiu para puxar a geração de empregos para baixo foi o comércio, com perda de 2.224 vagas, seguido da administração pública, com menos 140 vagas. Na outra ponta, a construção civil foi o setor que teve a melhor variação positiva, com saldo de 855 vagas.

TRABALHO: OFERTA DE VAGAS DESPENCOU EM JANEIRO

Tempo de leitura: < 1 minuto

carteira(1)Da Agência Brasil
Foram gerados 28,9 mil postos de emprego com carteira assinada no primeiro mês de 2013, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (22) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O número resulta da diferença entre 1.794.272 admissões e 1.765.372 demissões, e foi o saldo mais baixo para o mês desde 2009, ano da crise financeira internacional.
Em janeiro de 2009, foram fechadas 101,7 mil vagas; no mesmo mês de 2010, foram abertas 181,4 mil; e em 2011, abertura de 152 mil postos de trabalho. Em igual mês de 2012, foram criados 118,8 mil postos – cerca de quatro vezes mais em comparação a janeiro deste ano. A média para a criação de vagas no período, desde 2003, é 93,7 mil.
O saldo de janeiro foi influenciado pelo mau desempenho do comércio, que fechou cerca de 67,4 mil postos – o menor resultado desde o início da série histórica, em 1992. A indústria, em contraponto, criou mais de 43,3 mil vagas, o que contribuiu para o balanço do mês ser positivo. O resultado da indústria foi o quarto mais alto desde o começo da série.
Leia mais

LAVAGEM: SEM "GAGUINHO", CASADOS I… RESPONSÁVEIS NÃO DESCEM A AVENIDA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Sem Eduardo Anunciação, Casados... não descem a avenida em 2013.

Casados… não descem a avenida em 2013 em homenagem ao jornalista e fundador, Eduardo Anunciação ( Foto Vanusa de Jesus).

O bloco Casados I…Responsáveis, em reverência à memória do seu fundador, o jornalista Eduardo Anunciação, decidiu não participar de nenhum Carnaval ou micareta em 2013.
A informação, que será disseminada por meio de comunicado endereçado aos associados, foliões e à comunidade grapiúna, foi confirmada ao Diário Bahia, nesta noite de sexta, 22, após a Missa de Sétimo Dia do comunicador.
Além de fundar a agremiação carnavalesca, há 44 anos, em Itabuna, Anunciação era considerado pelos colegas de folia como um irmão e grande entusiasta do bloco.
– Esperamos a compreensão de todos e agradecemos postumamente ao nosso grande fundador, que com sua ideia genial de criar o Bloco Casados I…Responsáveis, nos proporcionou momentos inesquecíveis de alegrias, brincadeiras e reencontro de amigos na avenida – diz a nota, assinada pelo presidente do bloco, Pedro Santos Nascimento.

Back To Top