skip to Main Content
10 de julho de 2020 | 09:31 pm

SERPA E A SUCESSÃO DE 2016

Tempo de leitura: 3 minutos

marco wense1Marco Wense
 

Como a eleição para o Parlamento é tida como favas contadas, o Partido Comunista do Brasil não é a legenda mais apropriada para Serpa. O PCdoB tem um compromisso com a reeleição do prefeito Vane.

 
O leitor, seja ele um Helenilson Chaves ou um morador da Bananeira, tem todo o direito de fazer a seguinte observação: já vem Marco Wense com a sucessão de 2016. Tenha santa paciência!!!
O vai-e-vem dos políticos, as declarações, a conversa nos bastidores, os encontros e as especulações inerentes ao processo político terminam avalizando e justificando o “intempestivo” comentário.
Em entrevista ao jornalista Paulo Lima, na Rádio Nacional, o agora tenente-coronel Serpa deixou entrelinhado que, se for eleito deputado estadual, é candidato a prefeito de Itabuna na eleição de 2016.
E mais, palavras dele: “já fui convidado para ser candidato em Itapetinga e Jequié.” Não citou Itabuna, mas ficou implícito que o desejo-mor é o comando do Centro Administrativo Firmino Alves.
Como a eleição para o Parlamento é tida como favas contadas, o Partido Comunista do Brasil não é a legenda mais apropriada para Serpa. O PCdoB tem um compromisso com a reeleição do prefeito Vane.
Outro detalhe é que o militar não quer disputar espaço político dentro do PCdoB, já que Aldenes Meira, presidente da Câmara de Vereadores, é também pré-candidato a deputado estadual.
Portanto, as condições de Serpa para uma dobradinha com Davidson Magalhães, candidatável a deputado federal, são duas: 1) só ele como o candidato do PCdoB no sul da Bahia. 2) sua candidatura a prefeito de Itabuna.
Serpa deve se filiar a um partido que integra a base aliada do governo Wagner. Descartando o PCdoB, tem o PSB e o PDT, já que o PMDB de Renato Costa e o PSDB de Adervan são legendas de oposição.
Como existe a possibilidade da senadora Lídice da Mata sair candidata ao governo do Estado pelo PSB, dando palanque ao presidenciável Eduardo Campos, fica o PDT da professora Acácia Pinho.
Se o bom Serpa me pedisse um modesto conselho, diria que o PDT do saudoso e inesquecível Leonel Brizola é a melhor opção, não só para o legislativo estadual como para o executivo municipal.

MEDO DO MP
Se dependesse exclusivamente da Câmara de Vereadores, com algumas poucas exceções, teríamos uma avalanche de parlamentares como candidatos a prefeito.
Para os prefeituráveis, o Legislativo é subserviente ao Executivo, não fiscaliza nada, é fácil de ser manipulado, dominado pelo toma-lá-dá-cá. A preocupação é com o Ministério Público.
Não à toa que querem diminuir a importância do MP, através de uma Proposta de Emenda Constitucional que impede o poder de investigação da honrosa e imprescindível instituição.
A resposta do deputado carioca Eduardo Cunha, líder do PMDB na Câmara Federal, quando indagado sobre a possibilidade de se candidatar a um cargo executivo, é a prova inconteste do medo que os “políticos” têm do MP.
Disse o peemedebista: “Nem pensar, esquece. É inviável ser administrador público neste país. Você fica quatro anos e passa 30 respondendo as ações do Ministério Público, é só aporrinhação.”
Uma coisa é certa: se não fosse o Ministério Público, a roubalheira era muito maior do que é hoje. Os representados cada vez mais pobres e os representantes cada vez mais ricos.
 
.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. SERPA É UM EXCELENTE CANDIDATO. PORÉM AO FAZER DOBRADINHA COM O PCDOB E COM DAVIDSON VAI PEGAR TODA A REJEIÇÃO DESSA TURMA QUE NÃO É PEQUENA EM ITABUNA.
    SE O OBJETIVO E SE ELEGER COM OS VOTOS DE ITABUNA, NO PCDOB SERPA TA MORTO, TODA A REJEIÇÃO E A FÚRIA DA OPOSIÇÃO AO GOVERNO VAI CONTRA ELE.
    SEM CONTAR QUE VANE NÃO TEM NENHUM COMPROMISSO COM SERPA, JÁ QUE ELE FICOU EM CIMA DO MURO NAS ELEIÇÕES DE 2012 E SUA VOTAÇÃO E PRESTIGIO POLITICO É UMA INCOGNITA EM ITABUNA.
    SE VANE TIVER DE APOIAR ALGUM ESTADUAL SERÁ A SOLDADO VALÉRIA, EDSON DANTAS E O BISPO ARIMATÉIA. VANE NÃO É TÃO BESTA COMO O PCDOB IMAGINA…

  2. Zelão, diz: – “Polícia: – Para quem precisa de polícia…”
    “A política de Itabuna parece está vivendo a Síndrome de Estocolmo.”
    “De uns tempos para cá, a primeira opção para entrar na política em Itabuna é a de ser militar, notadamente, pertencer aos quadros da Polícia Militar da Bahia. Na contramão da história política brasileira, Itabuna parece querer promover; a militarização do poder.”
    Não questiono a figura (sempre simpática) do Coronel Serpa. Questiono a “necessidade” dos partidos políticos – que a priori são a representação da sociedade civil – em buscar nos quartéis a solução para alcançarem o poder político. Talvez seja pelo reconhecimento da falência da credibilidade das instituições civis junto à população, que é levada a acreditar, que só um militar pode acabar com a corrupção na política.
    Foi sob a égide dessa crença que Itabuna elegeu o “capitão Azevedo” e deu no que deu: – Um governante apático; um comandante frouxo e um “ desgoverno” catastrófico. Elegeu o “coronel” Santana a deputado estadual e, afora a tentativa de “usurpação” do território ilheense, nada de proveitoso gerou para Itabuna. Só falta a expectativa criada com a eleição da “soldada” Valéria para a Câmara de Vereadores.

  3. VAMO TOMAR VERGONHA NA CARA E BOTA OS BRAÇOS E CABEÇA PRA TRABALHAR QUE O POVO VOTOU NESSA GENTE PRA QUE ELES DESEMPENHEM SUAS FUNÇÕES SATISFATORIAMENTE,SEJA EM QUAL CARGO ESTIVEREM EMPOSSADOS!! A IMPRENSA TAMBÉM: TEM DE TRABALHAR FISCALIZANDO E INFORMANDO SOBRE A ATUALIDADE!
    O TRABALHO JÁ NÃO É FÁCIL (SERÁ QUE ESTÁ SOBRANDO MUITO TEMPO PRA OS POLÍTICOS FICAREM NESSA MOLEZA?!)E O TEMPO URGE!!

  4. Senhor Marco Wense, gosto muito desse blog, mas confesso que estarei por tempo indeterminado sem acessá-lo. Pois, em quê Helenilson Chaves é melhor do que qualquer morador do bairro bananeira? Só porque tem um poder aquisitivo melhor? messa as palavras antes de escrevê-las, pois esse blog é acompanhado por pessoas que moram no bairro Góes Calmon, Jardim Vitória, Centro mas, também por moradores do bairro Bananeira, Maria Pinheiro, Nova Califórnia dentre outros. Não gostei da sua colocação e farei de tudo através das mídias sociais, para que a população veja esse escrito que manifesta um certo preconceito. Cuidado para não perder leitores e seguidores.

  5. Quem gosta de polícia ?Lugar de ´policvia é na caserna ,e nao em barews, restaurantes granfinos e muito menos chutando boca de calça. Itabuna ja nao aguante gente de fora tentando pegar os nossos votos

  6. Seria interessante primeiro se o dito Coronel cuidasse bem da segurança pública. Como quem não consegue fazer o feijão com arroz na sua área quer ser prefeito?
    Estamos todos satisfeitos com a segurança pública?

  7. Zelão, diz: – “Síndrome de Estocolmo:”
    “Uma referência aos tempos de chumbo do período da ditadura brasileira, protagonizado pelos militares.”
    “A Síndrome de Estocolmo (Stockholmssyndromet em sueco) é um estado psicológico particular desenvolvido por algumas pessoas que são vítimas de sequestro. A síndrome se desenvolve a partir de tentativas da vítima de se identificar com seu captor ou de conquistar a simpatia do sequestrador. Pode ser também chamado assim uma serie de doenças psicológicas aleatórias.”
    Em resposta a voce, Julinho de Adelaide;
    Se voce fosse membro de algum partido socialista e fosse bem informado com a história recente da política brasileira, saberia que a citação da “Síndrome de Estocolmo,” foi um comparativo histórico. Estranho o comportamento dos partidos políticos, ditos de esquerda, em buscarem nas fileiras dos militares(não que os mesmos sejam menos capazes) figuras que os leve ao poder político.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top