skip to Main Content
11 de maio de 2021 | 07:46 am

WAGNER DEFENDE ALIADO NA DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA EM 2018

Tempo de leitura: 2 minutos
Wagner defende aliado na disputa presidencial em 2018.

Wagner defende aliado em 2018.

O governador Jaques Wagner surpreendeu petistas em sua passagem pela capital pernambucana, na noite da segunda-feira, 25, quando defendeu que o PT abra espaço na disputa pela presidência da República a um dos partidos aliados em 2018. O gesto, logo em Recife, foi visto como uma forma de agradar o governador Eduardo Campos, que é do PSB e faz jogo (não tão claro) com vistas à disputa de 2014.
– Eu posso falar que em 2018 a gente vai inteirar 16 anos de governo, de um projeto político que tem aliados sem os quais a gente não teria andado e que tem o PT na condução; mas que não tem, obrigatoriamente, que ter o PT na condução.
Wagner, segundo reportagem do Valor, também disse que a melhor forma é “caminhar agregando” para que não dar chances aos adversários. Afirmou isso ao discorrer sobre alianças e participação do PSD no governo da presidenta Dilma Rousseff.
Enquanto isso, não se sabe qual o jogo de Wagner para 2014 na sua área, a Bahia. O partido dele, o PT, tem, pelo menos, quatro nomes na disputa pela cadeira principal do Palácio de Ondina, dos quais se destacam o senador Walter Pinheiro e os secretários estaduais José Sérgio Gabrielli e Rui Costa.
Do lado da oposição, nomes ventilados são os do peemedebista Geddel Vieira Lima e do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que – por enquanto – descarta entrar na disputa do próximo ano.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Os baianos da capital deram uma prova que aprenderam o ofício de tocar outros instrumentos de mais de uma corda. Entretanto,vamos
    saber que o interior não ficou tocando somente o berimbau.
    A prova que fizeram foram aprovados elegendo outrem,já é suficiente! Vamos aguardar os interioranos,se os mesmos aprenderam valiosos conteúdo de cidadania e não elegendo o petismo,o que é nocivo a nossa sociedade.

  2. Essa fala do governador Wagner, deixa patente o inicio do desmonte do processo do governo petista. É paradoxalmente dificil ser PT e petista ao mesmo tempo! Ser petista significa caminhar pelo maxismo, pelo socialismo libertário e comprometido! Ser PT significa administrar o poder, com todas as suas nuances e entraves… Uma coisa não tem (a bem da verdade) nada a ver com a outra. Os conchavos e a dificil relação com a direita radical tornam o projeto PT 20 anos quese que impossível! Wagner sabe onde dormem os lobos… E os cordeiros (?) serão as presas desta metáfora urbana!

  3. O governador Wagner é um grande democrata, sabe política e história, na dialética, na prática e no discurso. Ele está certo. O pensar dele é muito, atual e plural. Não é o começo de desmonte do partido, e sim a abertura para que toda base aliada,que tem ajudado a governar, e com sucesso, também faça parte do processo como gestor do País.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top