skip to Main Content
6 de julho de 2020 | 08:34 pm

VÂNDALOS DA FONTE NOVA SÃO IDENTIFICADOS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Consórcio identifica autores de vandalismo na  inauguração da Fonte Nova (Foto Marina Silva).

Consórcio identifica autores de vandalismo na Fonte Nova (Foto Marina Silva/Correio).

Ninguém escapa das 240 câmeras com aproximação de 500 metros da Arena Fonte Nova. Após a vistoria de segunda-feira, quando foram contabilizados 21 assentos quebrados, além de outros problemas como sujeira, o consórcio já identificou os responsáveis pela destruição das cadeiras, ocorrida no jogo Bahia e Vitória, domingo, 7.
A gerência do estádio preferiu ainda não divulgar as imagens dos torcedores, que, ao que parece, pertencem às duas maiores organizadas dos clubes, Bamor (Bahia), com duas cadeiras, e Imbatíveis (Vitória), com 19 assentos danificados.
Antes de trazer a público as imagens dos torcedores, a arena fará uma reunião com a equipe de segurança e jurídica para saber se há uma forma de responsabilizar economicamente os destruidores. Informações do Correio da Bahia.

Esta publicação possui 16 comentários
  1. Que vergonha!Alguns torcedores do Vitória…que decepção!!!Mas é um povinho mal educado mesmo!Tem que cobrar aos clubes e FECHAR as portas da Fonte Nova e só abrir na copa.
    Houve inauguração nos outros estádios e não houve nada disso!
    Vergonha!

  2. Vejam bem, eu não quis ser pessimista no meu artigo, mas parece-me que isso é só o começo… A culpa, claro, são das instituições que não cumpriram com o que falei: projeto de esclarecimento, punição, polícia eficiente… Como acontece na Europa. Até de alienado eu fui chamado, por algum retardado mental, que, infelizmente, é um pseudo-esquerdista! O mesmo babaca não leu que hooligans e afins não frequentam mais estádios na Europa… entre outros quetais. Enfim, isso é só a ponta do iceberg, daqui a pouco vem mais, é esperar para ver quem é realmente o “alienado”!
    Abraços,

  3. Que ridículo o comportamento desse povo. Vândalos, como ja foi dito acima, deveria haver um modo de proibir a entrada desse povo nos estádios. Não foram identificados? Cobrem juridicamente pelos danos e proíbam a entrada. Mas essas cadeirinhas hein? Tão parecendo ser bem fraquinhas.

  4. Isso é uma pouca vergonha dessa cambada, delapidação do patrimônio público, falta de educação, não só adquirida na escola, pois educação vem de berço, vem de casa.
    Estes vandâlos devem pagar o valor de cada cadeira que quebraram para repor uma nova no lugar, terem suas imagens divulgadas para a sociedade, só assim tomam vergonha na cara, nunca mais comemtem absurdo igual e ainda servir de exemplo para quem pensa em fazer a mesma coisa com o patrimônio público.
    Chega de tanta gente querer fazer algazarra com o dinheiro público, isso foi com dinheiro de nossos impostos, custou no bolso de cada um de nós, nem as coisas de casa devemos quebrar com atitudes inresposáveis, imagine os bens públicos.

  5. As raizes!
    Na segunda metade do século XVII,o então governador da Bahia o Marques de Lavradil, em suas cartas da Bahia ao Rei de Portugal,o
    “Nobre” governador,falava que o povo da Bahia é uma gente que é comparada aos animais,os mesmos não tomam banho,é uma catinga
    insuportável e acrescentara que o mesmo só sente bem quando em frente do regimento de polícia é bajulado e suas botas são limpas. Ha três séculos e os baianos cultiva as raízes da falta de educação e o governador preserva as raízes,trata os baianos no cassetete,bomba de gás e chumbo no lombo dos eleitores e torcedores que são o estrato da nossa sociedade. Foram assim que os mesmos são tratados na compra dos ingressos.
    O retrato das raízes dos baianos!

  6. Existem pessoas que acham que o bem público não e dele. Falta educação de cidadania nas escolas. Gente, é igual na nossa casa precisamos zelar pelo que é nosso, senão não vamos para lugar nenhum.Multa pesada tem que doer no bolso.

  7. Estes, não são torcedores, são marginais que se infiltram no meio das torcidas para destruírem, brigarem e criarem tumulto nos campos de futebol, portanto são pessoas que deveriam ser banidas do mundo de qualquer espécie de esportes. Deveriam passar uns tempos na cadeia,uns 3 ou 4 anos e ao saírem de lá, deviam ser obrigadas a ir para uma escola especializada em adestramento de animais, para serem treinadas a viver em comunidade e na sociedade.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top