skip to Main Content
23 de outubro de 2020 | 12:11 am

O OUTRO SHOW D´OQUADRO

Tempo de leitura: 3 minutos
Os meninos d`OQuadro são sucesso de palco e crítica (Foto Divulgação).

OQuadro é sucesso de palco e crítica (Foto Divulgação).

A banda ilheense OQuadro vem dando show fora do palco. Os meninos do hip-hop estão conseguindo uma proeza ao obterem sucesso, também, entre os críticos. Agora, eles aparecem na lista dos dez discos fundamentais da música baiana, numa união entre grandes feras e revelações.
A seleção, feita por especialistas para a Editora Saraiva, destaca a produção musical baiana recente (“viva, bastante fértil e ainda desconhecida da maioria”, na opinião do jornalista Luciano Matos). E foi essa qualidade que levou a banda a participar de um festival Londres-Bahia neste mês. E cativou a atenção do público na passagem pela Europa.
De volta à terrinha, a banda é destaque do Manos e Minas (TV Cultura), tido como principal programa latino-americano de hip-hop.
E, depois de Londres e aparições na telinha, OQuadro se prepara para fazer bonito – de novo – em Salvador. A banda será uma das atrações dos shows oficiais de abertura de um dos principais eventos do futebol mundial, a Copa das Confederações. Clique no “leia mais” e confira a lista dos dez discos elaborada para a Saraiva Conteúdo. Há link para ouvir seis das obras musicais listadas.

1. CHEGA DE SAUDADE – JOÃO GILBERTO (ODEON, 1959) – INDICAÇÃO DE JORGE ALFREDO
Primeiro trabalho de estúdio de João Gilberto, este disco leva no título o nome da música homônima, gravada pela primeira vez em 1958, na voz de Elizeth Cardoso. Também foi o que lançou a carreira de João Gilberto, tornando conhecido o movimento da bossa nova.
2. CAYMMI E SEU VIOLÃO – DORIVAL CAYMMI (ODEON, 1959) – INDICAÇÃO DE JORGE ALFREDO
Caymmi, seu violão e seu vozeirão, e só. Nada de arranjos grandiloquentes. O mar como tema onipresente sempre foi o destaque nas suas obras.
3. QUALQUER COISA – CAETANO VELOSO (PHILIPS, 1975) – INDICAÇÃO DE JORGE ALFREDO
Neste álbum, Caetano aviva o espírito criador e a ação poética próprios do artista; instrumentaliza, pela intuição, a invenção arrebatadora de um belo e atemporal trabalho.
4. O AMOR, O SORRISO E A FLOR – JOÃO GILBERTO (ODEON, 1960) – INDICAÇÃO DE JORGE ALFREDO
Segundo disco da carreira de João Gilberto, o álbum foi gravado em apenas cinco dias e conta com arranjos do maestro Tom Jobim. Destaque para a música “Doralice”, de Dorival Caymmi, e as canções “Meditação” e “Corcovado”, de Tom Jobim.
5. ARY CAYMMI/DORIVAL BARROSO (ODEON, 1958) – INDICAÇÃO DE JORGE ALFREDO
Ary Barroso, no piano, interpreta as canções de Dorival Caymmi. Caymmi, com seu violão, interpreta as composições de Ary. Disco que mostra de forma simples a riqueza da música brasileira.
6. FRASCOS COMPRIMIDOS COMPRESSAS – RONEI JORGE & OS LADRÕES DE BICICLETA (TRATORE, 2009) – INDICAÇÃO DE LUCIANO MATOS
As belas composições de Ronei Jorge, aliadas à inventividade da guitarra de Edson Rosa e à cozinha precisa de Mauricio Pedrão e Sergio Kopinsky, criam juntas um disco marcante de rock, samba e MPB setentista.
7. LETIERES LEITE & ORKESTRA RUMPILEZZ – LETIERES LEITE & ORKESTRA RUMPILEZZ (BISCOITO FINO, 2010) – INDICAÇÃO DE LUCIANO MATOS
Uma das mais interessantes novidades musicais no Brasil atual, a Rumpilezz, sob liderança do maestro Letieres Leite, lançou um álbum belíssimo, com um incrível diálogo entre a ancestralidade dos ritmos afro-baianos e o jazz.
8. BAIANA SYSTEM – BAIANA SYSTEM (GARIMPO MÚSICA, 2010) – INDICAÇÃO DE LUCIANO MATOS
Símbolo da criação musical baiana, em especial o Carnaval, a guitarrinha baiana ganha nova vida ao ser explorada com novas possibilidades e timbragens. O frevo elétrico até aparece, mas o foco aqui é aproveitar os sistemas de som jamaicanos e criar uma música viva, que navega por dub, ragga, afrobeat, música eletrônica e ijexá.
9. ALELUIA – CASCADURA (GARIMPO MÚSICA, 2012) – INDICAÇÃO DE LUCIANO MATOS
O Cascadura fez uma magnífica homenagem a Salvador, num álbum duplo conceitual, que fala dos hábitos, personagens e costumes da cidade e mistura de forma natural as guitarras do rock com vários elementos essenciais da cultura baiana, como os atabaques, os ritmos e os toques de candomblé.
10. O QUADRO – O QUADRO (COAXO DO SAPO, 2012) – INDICAÇÃO DE LUCIANO MATOS
O desconhecido rap baiano nos revelou um grupo veterano, mas que só em 2012 lançou seu primeiro disco. O resultado é um rap orgânico, que traz as bases da escola do hip hop, com batidas e rimas, mas que vai além, jogando ragga, ijexá, dub, afrobeat, pop, rock e jazz no mesmo liquidificador.
 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top