skip to Main Content
30 de setembro de 2020 | 02:48 pm

AOS AMIGOS, COM CARINHO!

Tempo de leitura: 2 minutos

Manu BerbertManuela Berbert | manuelaberbert@yahoo.com.br

 

Eles não gostam de chorar, de gritar, soltar suas feras, sabe? Acham que não podem. E sofrem por isso. Sofrem ali caladinhos, e no máximo sentam numa mesa de bar para afogar suas mágoas.

 

Definitivamente, ser homem não é tarefa das mais fáceis. Porque é da sua natureza precisar ter a voz mais firme, ser mais forte nas relações, prover, mandar, e isso tem ficado cada vez mais difícil porque as mulheres estão justamente querendo conquistar o seu espaço. E essa conquista tem acarretado, mesmo que inconscientemente, na inversão dos lados. Infelizmente é assim e os homens, que não gostam de perder, para parecerem politicamente corretos ainda estão sendo obrigados a aceitar. Que confusão dos diabos que essa geração está aprontando na cabeça dos homens…

E sabe o que é pior nisso tudo aí? Eles não gostam de chorar, de gritar, soltar suas feras, sabe? Acham que não podem. E sofrem por isso. Sofrem ali caladinhos, e no máximo sentam numa mesa de bar para afogar suas mágoas. Imagine não poder parecer frágil, não poder abrir a boca e sussurrar “me ajude”, não poder esbravejar e depois ter a velha e famosa TPM para culpar. Sei lá, mas ser homem não é tarefa fácil porque eles são instintivamente machistas com eles mesmos, se rasgam por dentro para parecerem intactos por fora. E, claro, pensam que nos enganam…

E enquanto eles pensam que fingem muito bem, as taxas de mortalidade mostram exatamente o contrário, porque eles morrem muito mais cedo que as mulheres. Não agüentam o tranco. Não lidam bem com as perdas. Não conseguem administrar bem o tempo. E lá no final da vida nós, que já nos tornamos nobres senhoras e já descobrimos que o que a gente leva da vida é a vida que a gente leva, superamos. E terminamos nossos dias bem serelepes, bailando nas festinhas dos grupos da terceira idade e viajando…

Definitivamente, ser homem não é tarefa das mais fáceis por uma única diferença cultural: ele passa a vida lutando para ser Homem e assim não perder os seus direitos, enquanto a gente passa a vida para conquistá-los. OS DIREITOS E OS HOMENS, CLARO! É que no fundo, não dá para viver sem eles…

Feliz Dia dos Homens, amigos!

Manuela Berbert é jornalista e publicitária; colunista do Diário Bahia.

Esta publicação possui 8 comentários
  1. Gostei! Foi agradável a mensagem. Clara em dizer que a mulher suporta mais que o homem, e, feliz; a eterna companheira, até mesmo, quando ver no “HOMEM” o seu oposto.

    OBRIGADO.

  2. QUE DELICIA PODER DISFRUTAR DESSE TEXTO,NO MEU DIA DIA TRABALHO COM MUITAS MULHERES E POUQUSSIMOS HOMENS MAIS ESSES NOS QUAIS EU TRABALHO SÃO DE UMA SENSIBILIDADE ÍMPAR.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top