skip to Main Content
5 de abril de 2020 | 03:49 pm

MODA: CARRO BRANCO PODE CUSTAR MAIS ATÉ COM PINTURA SIMPLES

Tempo de leitura: 2 minutos

cruzeAndré Paixão | G1
O carro branco caiu no gosto do consumidor nos últimos anos. Em levantamento da fabricante de tintas automotivas PPG do ano passado, a cor aparece como a mais popular em todo o mundo, escolhida por 25% dos entrevistados, contra 18% do prata. Na pesquisa de outra fornecedora, a DuPont, em 2012, o branco já possuía 20% da preferência do público, e ocupava, junto com o preto, a segunda colocação, perdendo apenas para o prata, com 29%.
Aproveitando a alta procura, algumas marcas cobram a mais por carros nessa cor, mesmo sólida – geralmente, as montadoras elevam os preços de cores metálicas e perolizadas. Três entre as dez marcas que mais vendem carros no Brasil adotam a prática.
Na Chevrolet, a pintura sólida branca é cobrada como opcional em dez dos 16 modelos da linha. A taxa varia de R$ 250 a R$ 375.
Em modelos menores, como Onix e Prisma, a cor custa R$ 260 e R$ 280, respectivamente. Já em carros maiores, como Cruze, Cruze Sport6, Tracker, S10 e Trailblazer, a cobrança varia entre R$ 325 e R$ 375. Segundo a Chevrolet, a taxa extra é uma questão comercial, estabelecida pela empresa.
Na Hyundai Caoa, que comercializa os veículos importados da montadora sul-coreana no Brasil, o carro branco é mais caro. A marca explica que o custo envolve negociações com a matriz: como a demanda global é grande e o volume de vendas do país é baixo em relação a outros mercados, é mais difícil trazer veículos nessa tonalidade para o Brasil.
Leia mais

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top