skip to Main Content
11 de julho de 2020 | 08:49 pm

MOBILIDADE: UM TEMA FUNDAMENTAL

Tempo de leitura: 2 minutos

aldenesAldenes Meira
 

Antes de propor a meia passagem aos domingos e feriados, nós já demonstramos de outras maneiras a preocupação com a mobilidade.

 
Quem acompanha nosso mandato já sabe: a mobilidade urbana é um dos temas que têm prioridade em nossa pauta. Formular políticas públicas para as cidades exige um compromisso efetivo da sociedade com essa questão, e a discussão deve envolver a todos: homens e mulheres, jovens e idosos, motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.
Fazemos essa introdução para esclarecer que nosso projeto de lei que institui a meia passagem no transporte coletivo aos domingos e feriados, em Itabuna, não é uma proposta isolada e sem maior razão de ser. Não há ilusões de que a meia passagem naqueles dias especiais mudará radicalmente o que precisa ser mudado, mas é inequívoca a ideia de caminhar com foco na inclusão.
O mais importante é que o projeto tem o mérito de despertar essa discussão e ampliá-la. Itabuna é uma cidade que se torna cada vez mais intransitável, com cerca de 60 mil veículos em circulação por suas ruas apertadas, muitas esburacadas e mal sinalizadas. É notório que vivemos em uma cidade que cresceu sem planejamento e com pouco compromisso com o futuro, mas não se pode falar em “jogar a toalha”.
Antes de propor a meia passagem aos domingos e feriados, nós já demonstramos de outras maneiras a preocupação com a mobilidade. Mesmo antes de chegar à Câmara, organizamos, em parceria com o amigo Roger Sarmento, um passeio ciclístico com o objetivo de chamar a atenção da comunidade para formas alternativas e sustentáveis de transporte. Além disso, a iniciativa foi um mote para cobrar do poder público a construção de ciclovias e a instalação de ciclofaixas em Itabuna.
Milhares de itabunenses de todas as idades e classes sociais utilizam a bicicleta como meio de transporte ou para simplesmente se exercitar. Como esporte, o ciclismo tem crescido em nossa cidade, fenômeno que se vê, aliás, em muitos outros centros urbanos. De certa forma, a bicicleta vem ganhando um status mais elevado, talvez pela simples razão de que o automóvel, preso nos engarrafamentos, se torna cada vez mais inviável como meio de transporte urbano.
Em algumas capitais europeias, como Amsterdã, há muito mais bicicletas do que carros nas ruas e, além disso, o transporte público funciona com eficiência. Por lá, já se sabe há algum tempo que não é inteligente nem possível privilegiar os veículos automotores, constatação que alguns já começam a fazer por aqui.
O fato é que Itabuna precisa tratar a mobilidade com a urgência e a seriedade necessárias. Transporte coletivo acessível e eficiente, ciclovias e ciclofaixas, melhor sinalização, mais segurança e espaço para os pedestres, carona solidária. Tudo isso deve ser pensado e providenciado, e “para ontem”.
Para nós, é uma satisfação ver que o projeto da meia passagem, além de facilitar o acesso dos mais pobres ao transporte coletivo, serve também para fomentar esse debate.
Aldenes Meira é presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna.
 

Esta publicação possui 3 comentários
  1. O QUE VOCÊ VEREADOR ESTÁ FAZENDO PRA QUE NOSSA CIDADE SAIA DO CAOS EM QUE SE ENCONTRA? VOCÊ MENCIONA EM SEU TEXTO QUE ITABUNA ESTÁ PROGREDIDO DE QUE MANEIRA? VEJA UM PEDAÇO DO SE TEXTO:O mais importante é que o projeto tem o mérito de despertar essa discussão e ampliá-la. Itabuna é uma cidade que se torna cada vez mais intransitável, com cerca de 60 mil veículos em circulação por suas ruas apertadas, muitas esburacadas e mal sinalizadas. É notório que vivemos em uma cidade que cresceu sem planejamento e com pouco compromisso com o futuro, mas não se pode falar em “jogar a toalha”. VOCÊ DEVERIA PEGAR SUA MALA E SAIR DE FININHO JUNTO COM SUA TURMA DO PCdoB

  2. Não é ruim a proposta, porém é necessário reduzir a gratuidade, garantindo APENAS para idosos e deficientes. Em janeiro em evento que ocorreu na FTC o secretário de transporte prometeu publicar a lista com os nomes das pessoas que não pagam passagem em Itabuna e reduzir a gratuidade, pelo visto não cumpriu a promessa. Na oportunidade o promotor Clodoaldo se comprometeu em cobrar. No geral as pessoas que não pagam dispõe de renda superior a maiorias daqueles que pagam, tornando assim o privilégio.
    O vereador poderia iniciar o debate COBRANDO a publicação da lista.

  3. Antes de resolverem a questão da meia passagem revejam a questão dos transportes coletivos que está um caos, desde que se colocou um delegado para secretário de transporte que Itabuna passa raiva nos pontos de ônibus com a má distribuição e demora nos pontos, está terrível! É preciso resolver este problema grave. Não se pode falar em mobilidade sem ter ônibus suficiente pra suprir a demanda. Não perceberam ainda que Itabuna cresceu desordenadamente mas não se desenvolveu. Em governos anteriores nós sabíamos os horários dos ônibus, poderíamos ir para o ponto de ônibus 15 minutos antes e chegaríamos pontuais em nosso trabalho. Hoje passamos uma hora, quarenta minutos esperando e quando vem um é super lotado porque a má distribuição é gritante! Vejam se na reforma administrativa, contratam um engenheiro de trânsito para resolver o “poblema” como diz Vane, afinal em seu discurso, iria contratar especialistas e técnicos para o governo e até agora só tem incompetentes que não resolveram nada, até agora.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top