skip to Main Content
14 de abril de 2021 | 01:49 am

HELINTON, O DESAFINADO

Tempo de leitura: 2 minutos

helinton ceplacO diretor geral da Ceplac, Helinton Rocha, pode pensar em não fazer muito piseiro por essas bandas de agora em diante.
O homem, que também se faz conhecer pela alcunha de “Tom”, assumiu o cargo dizendo que tinha linha direta com a presidenta Dilma, “profunda conhecedora da Ceplac”, nas palavras dele, pisou feio na bola com os ceplaqueanos na semana passada. Mais uma vez.
Foi durante uma reunião com lideranças das diversas entidades de defesa dos funcionários do órgão, formadas por aliados dos deputados Josias Gomes e Geraldo Simões.
Para elogiar Geraldo, disse que Josias era um deputado “que não opera, e se porta de forma ambígua nas demandas da Ceplac”.
A declaração do diretor causou mal-estar para todos. “Para os aliados de Geraldo, que não precisa de uma puxada dessas, e para os de Josias, que têm consciência de que a luta pelos interesses da Ceplac fazem parte da agenda constante do parlamentar”, afirma um dos presentes à reunião.
Só para ilustrar, segundo esse ceplaqueano, foi Josias quem agendou a única reunião que o diretor teve com o ministério do Planejamento, quando ainda se falava em concurso para a Ceplac. “Logo ele, tão próximo da presidenta Dilma, não consegue sequer agendar uma reunião dessas”.
Os comentários dão conta de que, aos poucos, o diretor que chegou com a licença 007 – numa referência ao espião britânico James Bond –, vai se tornando um Zero Um, como na cena antológica do filme Tropa de Elite, de José Padilha. “Não demora e ele ‘pede pra sair’”, prevê o ceplaqueano indignado.
O problema é que na obra de Padilha, o Zero Um foi “desistido” pelo impiedoso Capitão Nascimento. Relembre a cena…

Esta publicação possui 8 comentários
  1. Não sei ainda porque esta instituição federal chamada Ceplac, ainda não foi extinta, aliás, não foi ainda, porque tem que garantir os salários de alguns comem e dormem. Nos dias atuais este orgão mais gasta dinheiro público para cumprir a folha salarial, do que agregar algum benefício a agricultura da região.

  2. Todo o sofrimento do mundo é pouco, pra quem assume cargo em comissão numa instituição destruída, sendo que a destruição foi perpetrada exatamente pelos deputados baixo-clero citados: geraldo vassourento simões e josias mensaleiro gomes.
    Argh!!!!!

  3. É nisso que dá colocar na direção geral da Ceplac um neófito da cacaicultura e que usa da esganação e da diplomacia da ferradura com um dos nossos deputados que mais o ajudaram. Espero que essa descortesia com nossos representantes não passe em branco.
    – Mais respeito seu diretor!!!!!

  4. O culpado é o PT, porque deixa estes forasteiros assumirem a Direção Geral do órgão, já que segundo o tal do HELITON, 50% da CEPLAC é na Bahia, cade as forças ditas dos PTISTAS DA BAHIA? antes tinha um cara do Pará, agora um cara do raio que o parta , o a turma da BAHIA incluindo Geraldo Simões fica chupando o dedo sem poder de mando na CEPLAC,O pobre do Josias que esta ajudando os discretizados da CEPLAC para melhorar a distorção salarial que existe na CEPLAC,segundo meu filho, é quem recebe a bomba deste idiota do Heliton.

  5. Este problema da CEPLAC, é unicamente de responsabilidade dos companheiros do PT, como é que deixa um cara MENTIROSO deste na Direção Geral da CEPLAC,
    aqui na região ele se juntou o que há de pior na CEPLAC, chegou querendo derrubar Juvenal, que não é nem da CEPLAC ele não amolancou seu objetivo, e este cara permanece fazendo intriga ,agora com um dos poços Deputados que esta ajudando os ceplaquianos, o Dep.Josias Gomes , bota este cara pra fora.

  6. É necessário uma nova ceplac, esta que aí está é muito complicada, confusa,bate cabeça nas minimas coisas e nada produz. A ceplac hoje é uma instituição dos funcionários, para os funcionários e pelos funcionários, pouco caso dão aos problemas da região cacaueira.
    Aquilo ali é um outro mundo. Distante e injustificável.
    Ninguém mais quer compartilha-la e a região termina pagando por isso.
    Até a proposta de relacionamento com a UFSB os caras não querem, nos sabemos porque… – altos salários, salas com ar, secretarias,diárias, salários, viagens internacionais e projeção social e quando o governo corta esses custos exorbitantes e insustentáveis eles rapidamente fazem reunião em Brasilia. E o cacau ó…

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top