skip to Main Content
11 de abril de 2021 | 01:09 pm

ESTUDANTES E FARMACÊUTICOS PROTESTAM CONTRA O MPF-BA EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos
Com faixas, cartazes e nariz de palhaço, estudantes e profissionais protestam em Itabuna (Foto Pimenta).

Com faixas, cartazes e nariz de palhaço, estudantes e profissionais protestam em Itabuna (Foto Pimenta).

Farmacêuticos e estudantes do curso superior de farmácia participaram de manifestação na Cinquentenário, em Itabuna, contra o Ministério Público Federal na Bahia. O MPF ingressou com ação civil pública para que o Conselho Regional de Farmácia conceda registro a técnicos em farmácia.
Com nariz de palhaço, apitos, faixas e cartazes, cerca de 200 estudantes e farmacêuticos criticaram a ação do MPF. A coordenação do movimento informa que existem cerca de 230 farmacêuticos em Itabuna e a faculdade particular que oferece o curso de Farmácia, a Unime,  possui quase 500 alunos, além de já ter formado mais de 100 profissionais.
Manifestação estudantes e farmacêuticos2 Foto PimentaA manifestação, também, visou reforçar a importância do farmacêutico, segundo Vanusa da Glória, uma das líderes do movimento. “Nós estamos aqui enquanto profissionais e estudantes de farmácia para mostrar à população que o profissional farmacêutico tem que estar dentro da farmácia, sim, seja ela comunitária, hospitalar”, disse.
Os estudantes ressaltam que o farmacêutico tem nível superior, mais de 4 mil horas de aula, contado com seis disciplinas de farmacologia clínica, e patologias. “São cinco anos de estudos. Aprendemos todos os mecanismos de ação dos medicamentos e todas as reações adversas”, diz Vanusa, frisando que o técnico não tem essa preparação.
Um dos embates dos alunos é interno. A própria Unime poderá abrir espaço para aulas do curso técnico em farmácia, de nível médio, oferecido pelo Pronatec, do Governo Federal.

Manifestação estudantes e farmacêuticos3 Foto Pimenta

Esta publicação possui 21 comentários
  1. Pergunte a cada um deles que está com nariz de palhaço (EM OFF)é claro pois se não poderão sofrer penalidades do CRF , o que eles acham de passar oito horas no balcão de uma farmácia, não para ser balconista , mas para fazer atenção farmacêutica. RESPOSTA: NÃO ESTUDEI CINCO ANOS PARA FICAR ATRÁS DO BALCÃO O SALÁRIO DE R$3.004,00 NÃO COMPENSA, VOU FICAR NA FARMÁCIA NO MÁXIMO UM ANO PARA PEGAR EXPERIÊNCIA E DEPOIS QUE QUERO FAZER MESTRADO,CONCURSO PÚBLICO,HOSPITAIS E LABORATÓRIOS POIS PAGAM MAIS E TEREI MAIS TEMPO PARA ME ESPECIALIZAR. Essas pessoas estão sendo manipuladas pelo CRF e sabem disso, muitas delas abandonam as farmácias em pouco tempo, e agora depois que a Presidente Dilma sancionou um veto o qual obrigaria por interesses políticos as drogarias as quais não manipulam medicamentos e apenas comercializam produtos finais a terem farmacêuticos em seus quadros,querem dizer qua a farmácia é de interesse dos farmacêuticos,TEXTO DO VETO:A MUDANÇA COMO QUERIAM ONERARIA “EXCESSIVAMENTE” O SETOR, COM IMPACTO ESPECIALMENTE SOBRE AS MICRO E PEQUENAS FARMÁCIAS E DROGARIAS.DILMA NÃO CONCORDOU QUE A LEI DE 1973 PASSASSE A EXIGIR DE FORMA EXPLÍCITA A PRESENÇA DE UM FARMACÊUTICO RESPONSÁVEL EM TODAS AS FARMÁCIAS E DROGARIAS, COM O VETO,PORTANTO, SEGUE VALENDO A EXIGÊNCIA DA PRESENÇA DE UM “TÉCNICO RESPONSÁVEL” O QUE PODE SER INTERPRETADO COMO UM PROFISSIONAL QUE NÃO NECESSARIAMENTE TEM NÍVEL SUPERIOR DE FORMAÇÃO.A peleja só está começando muitos de nós técnicos formados e em condições de assumir inclusive nosso negócio já estamos dando entrada no CRF, manda quem pode, obedece quem tem juízo.

  2. Estamos em ano eleitoral e é claro que o governo , em mais uma de suas distorções, vai querer chaleirar, em busca de votos, muito mais o técnico de farmácia, mais facilmente manipulável do que o farmaceutico, que tem opinião formada, e não vai aceitar mesmo essa politicagem do PT via MPF.

  3. Sou Balconista e com muito orgulho vou responder à estudante que ostentava um cartaz escrito assim: “Farmacêutico não é balconista.”
    Realmente minha cara estudante, se dependesse dos farmacêuticos não existiriam farmácias abertas, pq saem tão alienados do curso , sem saber onde se encontra uma CEFALEXINA na prateleira e vem recorrer a quem?A nós BALCONISTAS!
    Sem dúvidas você irá no seu estágio aprender muito com os balconistas, aliás, você dependerá deles pra saber a patologia, a indicação e a posologia das medicações!
    Aprenderá o que é receita de controle, A , B e C coisas que talvez a teoria não os ensine!
    Talvez essa decisão do MPF venha desencadear para que um monte de farmacêuticos em Itabuna, desçam do salto!
    O Protesto é válido, mas a ofensa não!

  4. Tudo bem Marcos,sabemos que todos nós temos o nosso valor,Farmacêuticos,balconistas e etc,por isso não podemos polemizar,você tem toda razão quando diz que o farmacêutico recorre ao balconista para achar o medicamento na prateleira,mais isso não é tudo…O farmacêutico conhece interações medicamentos/alimentos,o balconista não, o farmacêutico conhece o mecanismo de ação dos medicamentos o balconista não,o farmacêutico entende de Ram,Prm,Efeitos colaterais e o balconista não.Fui balconista por 28 anos,hoje sou farmacêutico e entendo muito bem os dois lados.Quero parabenizar os estudantes e farmacêuticos do sul da Bahia por tal atitude.
    abraços

  5. sou a favor do protesto, cada profissional em sua area, o tecnico em farmacia tem que trabalhar sim em drogarias. Mas o responsavel legal pela drogaria e o farmaceutico. Sou contra a pressao exigida pelo CRF, pois ela so visa os grandes empresarios. sou contra a presença direta do farmaceutico, pois muitas pequenas drogarias fecharia.

  6. Marcos, eu também sou balconista e aluno do curso de farmácia,assim como você tenho orgulho da minha profissão e não creio que o colega teve a intenção de nos ofender e sim deixar claro a posição de cada um. Sim, é importante saber em que lugar da prateleira se encontra uma cefalexina, da mesma forma que se é importante entender o seu mecanismo de ação, sua interação medicamentosa, reações adversas e etc. Coisa que não aprendemos somente na exaustiva tarefa de dispensar medicamentos no balcão. Cada um tem a sua importância e não significa que exigir seus direitos é estar no salto. Se você passasse cinco anos perdendo noites estudando, abrindo mão dos finais de semana, certamente estaria lá também com nariz de palhaço e apito na boca! Precisamos da sua compreensão e do seu apoio, pois todos estamos lutando do mesmo lado para melhorar a saúde do nosso país com atendimento de qualidade e profissionalismo!!!

  7. Realmente a faixa como de nao sou balconista nao teve a intenção de ofender a classe..mas é só pra diferenciar o farmaceutico do balconista,todo profissional que se forma geralmente sai com uma base pra ter subsidios pra atuar na profissão.Já o balconista entrou na farmacia despreparado..sem base nenhuma.aprendeu no balcão..a vender na base da empurroterapia ,a entender pra que serve o medicamento e apenas isso.

  8. Acho o seguinte, ninguém esta querendo invadir o espaço de ninguém …mas se muitos recém formados reclamam de estudar tanto para ficar atrás de um balcão de Drogaria é por que muitos proprietários de Drogarias não sabem a devida função de um farmacêutico, e não tem a devida criatividade para procurar explorar o vasto conhecimento de um profissional farmacêutico, isso tudo não passa de politicagem e uma boa contribuição de proprietários de drogarias e Indústrias de medicamentos.Queremos ajudar a melhorar a Saúde da população que se encontra decadente, por culpa de péssimos administradores. Lutamos contras a desigualdade e é injusto o que estão fazendo com os Profissionais Farmacêuticos , sem desmerecer ninguém. Sou balconista e estudante de Farmácia.

  9. Lucas:
    Acho o seguinte, ninguém esta querendo invadir o espaço de ninguém …mas se muitos recém formados reclamam de estudar tanto para ficar atrás de um balcão de Drogaria é por que muitos proprietários de Drogarias não sabem a devida função de um farmacêutico, e não tem a devida criatividade para procurar explorar o vasto conhecimento de um profissional farmacêutico, isso tudo não passa de politicagem e uma boa contribuição de proprietários de drogarias e Indústrias de medicamentos.Queremos ajudar a melhorar a Saúde da população que se encontra decadente, por culpa de péssimos administradores. Lutamos contras as desigualdades e é injusto o que estão fazendo com os Profissionais Farmacêuticos , sem desmerecer ninguém. Sou balconista e estudante de Farmácia.

  10. Meu querido balconista,
    já que vocês tem mais tempo de ficar atrás do balcão não fazem nada mais que a obrigação saber onde fica a CEFALEXINA na prateleira, enquanto vocês já estavam atrás do balcão, eu estava estudando, então, o mínimo que vocês devem saber é onde fica cada medicamento que é elaborado e pesquisado por nós farmacêuticos, pois, sem nós não há medicamentos! Uma coisa que percebo em pouco tempo de formada, é que tudo que meus colegas balconistas falam e indicam ao paciente, é uma decoreba, quero ver decorar e aprender farmacodinâmica , farmacocinética e todas as classes medicamentosas, além das regras de dinamização da homeopatia! TUDO de balcão que os caros colegas balconistas sabem em relação há algumas indicaçõezinhas que talvez não tenhamos visto durante a formação acadêmica( muitas coisas as quais que são aprendidas na prática) rapidamente iremos saber, agora TUDO o que nós farmacêuticos aprendemos durante a formação acadêmica de 5 anos , vocês não vão saber … a não ser que passem 5 anos comendo livro que igual a nós, sem tempo de ficar atrás de um balcão, decorando onde se guarda a CEFALEXINA!
    Tudo que um balconista sabe hoje com certeza foi um farmacêutico que ensinou, pois, não há graduação em balcão!
    Abraços!

  11. Nossa intenção não é e nunca será desmerecer os balconistas, mas sim fazer valer os nossos direitos quanto profissional. Estudamos 5 anos e entendemos de medicamentos temos a teoria e vocês balconistas e técnicos a prática. E prática adquiri com tempo já teoria só estudando e muito.

  12. É cada uma que vejo, momento nenhum na manifestação desvalorizamos os balconistas, porém vocês não são farmacêuticos mesmo não….decora os medicamentos e suas indicações e se acha no direito de vim falar alguma coisa … vai passar 5 anos ou mais dentro de uma faculdade , vai sentir na pele o que passamos a cada dia de aula. Medicamento Não É Mercadoria! E muitos de vocês tratam como tal….
    Não vou perder meu tempo com pessoas Ignorantes como vocês ….

  13. Prezado Marcos e companhia, bem se ver que você não é possuidor de boas informações. O fato de um cartas argumentar que o farmacêutico não é balconista não desmerece seu trabalho e sim frisa a importância dele. Você entende onde está a CEFALEXINA e o farmacêutico entende a sua importância, a sua posologia, como age, as reações adversas, as interações medicamentosas, entre outras. Será que você é capaz de acompanhar meu raciocínio?
    Em relação ao que foi dito por MENDES, o farmacêutico tem sim o direito de procurar o que seja melhor financeiramente como qualquer outro profissional. Estudamos cinco anos para isso, para termos a possibilidade de escolha, se não fosse assim ficaríamos alienados com o mesmo pensamento chulo que você tem.
    O protesto foi pacífico, os profissionais mostraram a cara para lutar pelo que precisam e acham correto. Estão certíssimos!
    Parabens profissionais e alunado da Unime.

  14. mendes,
    Senhor Mendes,
    Como todo profissional de nível superior é comum a busca por especializações, mestrado, doutorado ou pós-doutorado, afinal hoje o mercado de trabalho é bastante concorrido, portanto um PROFISSIONAL QUALIFICADO deve sempre buscar atualizações em sua área, como somos FARMACÊUTICOS, estudar não é problema, afinal nosso curso não é fácil!!! Quanto a mudança de área, isso também é extremamente comum entre as outras profissões, isso chama-se VOCAÇÃO. Enquanto somos acadêmicos muitas vezes nos identificamos com uma área, nos estágios, podemos gostar de outra e depois de formados, na verdade, “buscamos um emprego”… cujo a drogaria é a nossa porta de entrada no mercado de trabalho, visto que mesmo sem experiência na carteira, temos habilidade em assumir o cargo, pois temos um amplo conhecimento em Farmacologia Clínica. Após adquirir experiência, as oportunidade vão surgindo e assim, cada um faz sua história, alguns ficam nas drogarias por toda a vida, enquanto outros partem para outras áreas como laboratórios, hospitais, docência, indústria, enfim, somos tão COMPETENTES que são diversas as áreas que podemos atuar. Quanto ao concurso público, qual o profissional que não almeja ser aprovado em um concurso público?? Ainda mais se for federal… Aiai… Isso chama-se ESTABILIDADE. Enfim, se o senhor deseja assumir seu próprio negócio como responsável técnico faça como muitos colegas meus, vá cursar uma faculdade de farmácia e tome conta da sua drogaria…porque a luta pode até ser difícil, mas se tivéssemos medo de coisas difíceis não teríamos cursado FARMÁCIA. Em relação ao veto da Presidente Dilma, isso chama-se “POLITICAGEM BARATA”, afinal essa é a política do PT, aliar-se aos menos esclarecidos afim de ganhar votos, por isso são distribuídas inúmeras “Bolsas” aos pobres, uma maneira de atenuar os problemas sociais, mas não solucioná-los e assim, aumenta a desigualdade social no país. Quanto ao CRF, não somos manipulados, somos aliados, afinal temos OPINIÃO PRÓPRIA!!! E em breve retornarei para te responder “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”!!! Como técnico em farmácia vc pode ser nosso aliado, nos auxiliar, será muito bem-vindo, agora a RT é competência do farmacêutico, seja ele recém-formado ou formado há 20 anos.

  15. Meu querido Marcos, sou uma das pessoas que carregavam o citado cartaz. Se houve algum tipo de ofensa peço publicamente desculpas, embora acredite que a maior ofensa venha de você mesmo. Já estagiei sim em drogaria e infinitas vezes solicitei auxilio dos meus amigos balconistas. Ouso chamá-los de amigos já que criei uma relação de imenso respeito, admiração e carisma por todos eles. Absorvi muitos conhecimentos e experiência com cada um deles respeitando-os imensamente. Capacidade e inteligência não se mede em encontrar uma caixa de Cefalexina. Tenho estudado muito e me esforçado para dominar todas as áreas que valem à minha profissão, áreas essas que vão muito além de conhecer classificação e cores de receitas medicas. Tenho disciplinas e professores competentes e capacitados que lecionam sobre patologias, tratamento e posologia, cabendo a eles julgarem a minha competência nesses quesitos. Não sou balconista, da mesma forma que você não é farmacêutico. Portanto, peço que não generalize em seus comentários, pois da mesma forma que uns poucos recém formados sentem-se superiores e vangloriam-se de sua condição, muitos balconistas vendem medicamentos não indicados para os seus “clientes”, ou entregam a ‘mercadoria’ sem a mínima explicação do modo de utilização ou possíveis interações. Se a farmácia não precisasse de um farmacêutico, o índice de intoxicações por medicamentos não seriam tao elevados. Respeito muito a sua profissão e pretendo aprender muito com os balconistas, tendo esperança de que aceitem aprender muito comigo, pois anos de balcão valem o mesmo que anos dentro de salas de aulas e laboratórios. Um grande abraço!

  16. Marcos,
    A intenção não era ofender a ninguém e sim protestar contra a desvalorização da profissão e a imposição do Farmacêutico ficar no balcão vendendo medicamentos ao invés de fazer Atenção Farmacêutica.

  17. Bom para quem citou que o balconista tem muito mais informação a dar do que o farmacêutico com certeza pelos anos de experiencia que tem no balcão da farmácia,agora cada qual assume o que é permitido um balconista por mais que tenha experiência muitas das vezes empurra um laboratório que ele está ganhando por causa de meta de mês ou então o dono exige que venda de tal marca do mesmo jeito que vocês tem de experiência vocês priorizam a maioria o lucro e o ganho em cima do medicamento vendido,não generalizando todos,acontece que se há um curso específico de Farmácia não é em vão,estudamos á fundo químicas,para saber o porque de cada reação que tenho certeza de que algumas informações que a gente tem vocês não tenham da mesma maneira que tempos de experiência em Farmácia,vocês foram ganhando aprendizado,agora somos capazes sim de encontrar uma cefalexina sabe porque?estudamos substâncias bem mais complexas do que uma mera cefalexina,não é á toa que passamos por 7 estágios em diferentes áreas justamente para aprender,então antes de falar qualquer bosta saiba o que se passa durante 5 anos numa faculdade,com várias químicas para ser desencadeado a resolução de uma reação adversa,o mecanismo de ação de determinado fármaco quando já está ocasionando um efeito placebo.
    è muito fácil condenar uma dúvida de quando o estagiário está na farmácia infelismente a gente vive num país onde a farmácia em grande maioria é um comercio de lucros e as pessoas cada vez mais com seus pensamentos pequenos e medilcres!!

  18. Ridículo o que essa infame escreve, sou farmacêutico e digo como o nobre colaborador balconista, “desce do salto” que analisando a forma como fala não deve ser tão alto assim! Enfim aqui não é lugar pra isso, devemos respeitar as atribuições de cada um! Foco no objetivo do movimento é o que precisamos e não de comentários medíocres como esse que citei!

    Junielle:
    Meu querido balconista,
    já que vocês tem mais tempo de ficar atrás do balcão não fazem nada mais que a obrigação saber onde fica a CEFALEXINA na prateleira, enquanto vocês já estavam atrás do balcão, eu estava estudando, então, o mínimo que vocês devem saber é onde fica cada medicamento que é elaborado e pesquisado por nós farmacêuticos, pois, sem nós não há medicamentos! Uma coisa que percebo em pouco tempo de formada, é que tudo que meus colegas balconistas falam e indicam ao paciente, é uma decoreba, quero ver decorar e aprender farmacodinâmica , farmacocinética e todas as classes medicamentosas, além das regras de dinamização da homeopatia! TUDO de balcão que os caros colegas balconistas sabem em relação há algumas indicaçõezinhas que talvez não tenhamos visto durante a formação acadêmica( muitas coisas as quais que são aprendidas na prática) rapidamente iremos saber, agora TUDO o que nós farmacêuticos aprendemos durante a formação acadêmica de 5 anos , vocês não vão saber … a não ser que passem 5 anos comendo livro que igual a nós, sem tempo de ficar atrás de um balcão, decorando onde se guarda a CEFALEXINA!
    Tudo que um balconista sabe hoje com certeza foi um farmacêutico que ensinou, pois, não há graduação em balcão!
    Abraços!

  19. Há 25 anos sou balconista….trabalhei na velanes, d.são paulo etc.
    Hoje sou gerente da Drogasil no Espírito Santo!
    Muitos estagiários hoje farmacêuticos foram ajudados por mim e me ajudaram,
    mas vejo por alguns comentários aqui que toda renovação traz seu lado bom e ruim…Aos comentários sensatos, assim se faz uma boa discussão, aos comentários soberbos infelizmente vocês acharão bons balconistas para auxiliá-los em suas dúvidas!

  20. SOU BALCONISTA DE FARMÁCIA TENHO CURSOS, SOU TÉCNICO DE ENFERMAGEM,SOU ESTUDANTE DE FILOSOFIA PSICANALISTICA, EM FIM CADA PROFISSIONAL TEM SEU PAPEL NO MERCADO DE TRABALHO DE FATO, ESSE CARTAZ É UMA GRANDE OFENSA AOS PRATICOS DE FARMACIA, FARMACEUTICO É BALCONISTA TAMBÉM, MAIS VCS ESQUECEM QUE BALCONISTA ESTUDA MUITO BULA DE MEDICAMENTO E LEIS TAMBÉM PRA DISPENSAÇÃO, AQUI EM SÃO PAULO TIVE QUE FAZER 30 PROVAS NA DROGARIA SÃO PAULO PRA SER PROMOVIDO, ACREDITO QUE TEM QUE HAVER RESPEITO PELOS DOIS PROFISSIONAIS FARMACEUTICO E BALCONISTA,POIS QUANDO NÃO EXISTIA O CURSO DE FARMACIA ESSE PROFISSIONAL ERA CONHECIDO COMO FARMACEUTICO.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top