skip to Main Content
14 de julho de 2020 | 07:09 pm

CONSTRUÇÃO DA CIDADE UNIVERSITÁRIA INTEGRADA A UM COMPLEXO CICLOVIÁRIO

Tempo de leitura: 3 minutos

PROF ELTON OLIVEIRAElton Oliveira | srelton@hotmail.com

Uma solução sustentável para a melhoria da mobilidade urbana seria a construção de um Complexo de Ciclovias, cortando a área urbana do município de norte a sul e de leste a oeste, conectando estes a uma via central integrado ao campus da UFSB.

A chegada da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) vai exigir do poder público obras estruturantes, como a construção de uma Cidade Universitária, que poderá se beneficiar de um Complexo de Ciclovias ligando as diversas áreas do município à Sede Administrativa, onde funcionará a Reitoria da instituição. Apesar de hoje a Reitoria funcionar em Ferradas, defendo que esses equipamentos sejam instalados na região do Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães (Hblem), mais especificamente na área destinada ao Parque Ecológico do Povo.
Ressalto ainda, que a defesa de tal localização se baseia no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Itabuna (PDDU), que prevê a expansão urbana do município de Itabuna naquela direção. O objetivo do plano é orientar a política de desenvolvimento urbano, tendo o foco na proteção ambiental, no desenvolvimento econômico sustentável e no desenvolvimento social e institucional. A escolha é técnica e não aleatória.
Em minha opinião, a UFSB deverá primar em atender ao “Território Litoral Sul”, que é composto por 26 municípios que se encontram no entorno do município de Itabuna. Assim, a sua localização estratégica, na BR-101 e próximo à BR-415, além de situada no Semi-Anel Rodoviário, possibilitará que os estudantes oriundos de todos os municípios cheguem rápido até a instituição, sem ter que enfrentar o trânsito caótico do centro da cidade de Itabuna.
Acredito que, após a instalação da UFSB em Itabuna, a cidade receberá um grande contingente de jovens oriundos de várias Regiões e Estados do Brasil, quiçá de outros Países da América Latina. Diante desta nova realidade, uma solução sustentável para a melhoria da mobilidade urbana seria a construção de um Complexo de Ciclovias, cortando a área urbana do município de norte a sul e de leste a oeste, conectando estes a uma via central integrado ao campus, com o objetivo de garantir a segurança e o conforto tanto no deslocamento para o trabalho, estudo e lazer nos finais de semana, para toda a população grapiúna.
Na minha ótica, essa localização possibilitará ao município de Itabuna a oportunidade de planejar a sua ocupação urbana. Por exemplo, no entorno do campus da UFSB poderá ser construído um novo bairro residencial e comercial, completamente planejado, que se chamaria Cidade Universitária.

Leia Mais

BABESP: NA BAHIA, DILMA VAI A 60% E AÉCIO, 13%

Tempo de leitura: < 1 minuto
Corrida presidencial: Campos, Dilma e Aécio.

Campos vai a 6%, Dilma tem 60% e Aécio atinge 13% na Bahia.

Além da corrida ao Palácio de Ondina, a pesquisa Babesp (DataNilo) também aferiu as intenções de voto dos baianos para a presidência da República. Candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT) aparece com 60% ante 13% de Aécio Neves (PSDB) e 6% de Eduardo Campos (PSB).
Pastor Everaldo (PSC) atinge 2% e Luciana Genro (PSOL) chega a 1%. Eduardo Jorge (PV), Eymael (PSDC), Rui Pimenta (PCO), Levy Fidélix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Zé Maria (PSTU) atingem menos de 1% cada um deles.
A pesquisa consultou 2.000 eleitores em 84 municípios baianos no período de 5 a 11 de agosto. Ela está registrada com o número BA-99998/2014. O levantamento foi encomendado à Babesp pelo deputado estadual Marcelo Nilo.

PESQUISA BABESP: COM PADRINHOS, SOUTO VAI A 38% E RUI COSTA ATINGE 28%. LÍDICE TEM 11%

Tempo de leitura: 2 minutos
Da Luz, Rui Costa, Renata Mallet, Marcos Mendes, Lídice da Mata e Paulo Souto.

Os candidatos ao governo: Da Luz, Rui Costa, Renata Mallet, Marcos Mendes, Lídice da Mata e Paulo Souto.

A primeira pesquisa Babesp sobre a corrida sucessória na Bahia revela que os padrinhos políticos podem mexer com o cenário ao Palácio de Ondina, mas ainda sem o impacto previsto em sondagens eleitorais.
Rui Costa (PT) chega a 28% das intenções de votos quando associado ao governador Jaques Wagner, à presidente Dilma Rousseff e ao ex-presidente Lula. Paulo Souto (DEM) continua na liderança se associado ao prefeito de Salvador, ACM Neto, e ao presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves, atingindo 38%. A diferença entre ambos cai a 10 pontos percentuais com os apadrinhamentos.
A socialista Lídice da Mata (PSB) fica com 11% quando o eleitor recebe a informação de que ela é apoiada pelo presidenciável e ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, também do PSB. Marcos Mendes (PSOL), Da Luz (PRTB) e Renata Mallet (PSTU) atingem 1% cada um ao serem associados aos presidenciáveis por suas respectivas legendas. O percentual de nulos, brancos e indecisos atinge 21%.
SEM APOIOS, SOUTO VAI A 40% E COSTA, 16%
Quando os candidatos ao governo baiano aparecem sem a força dos padrinhos políticos, o democrata Paulo Souto vai a 40% e o petista Rui Costa atinge 16%. Lídice da Mata vai a 13%. Marcos Mendes alcança 2%, enquanto Da Luz e Renata Mallet chegam a 1% cada um. Neste cenário na estimulada, votos em branco, nulos e indecisos somam 29%. Como a soma dos adversários é inferior aos 40%, Souto estaria eleito no primeiro turno.
A pesquisa Babesp ainda revela que o universo de eleitores sem voto definido chega a quase 80% a menos de dois meses da eleição na pesquisa espontânea, quando não são apresentados nomes dos candidatos ao eleitor. Nesta modalidade, Souto tem 6,95% das intenções de voto ante 2,25% de Rui Costa e 0,6% de Lídice da Mata. Os demais candidatos têm menos de 1%.
A pesquisa consultou 2.000 eleitores em 84 municípios no período de 5 a 11 de agosto. O levantamento foi encomendado pelo presidente da Assembleia Legislativa baiana, Marcelo Nilo (PDT) e está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número BA-00008/2014.

Back To Top