skip to Main Content
25 de fevereiro de 2020 | 01:00 pm

MORADORES DO VILA ZARA CRITICAM COELBA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Energia elétrica Vila ZaraUm serviço de manutenção na rede de energia elétrica deixou os moradores do Vila Zara, em Itabuna, por quase cinco horas neste domingo (26). A manutenção na rede começou por volta das 10h30min e terminou às 15h10min, de acordo com as vítimas.

Os moradores reconhecem a necessidade de melhorias na rede, mas a bronca contra a Coelba é por outro motivo: falta de aviso. Sem saber que não o fornecimento de energia seria suspenso, não puderam se precaver.

Fica o alerta para a companhia de eletricidade. Se houve aviso, poucos da Vila Zara souberam. A crítica foi geral, assim como os “elogios” à empresa.

AOS GRITOS DE OLÉ, CONQUISTA FAZ 3 A 0 NO BAHIA

Tempo de leitura: 2 minutos
Diego Aragão marca o segundo gol da vitória do Conquista (Reprodução Rede Bahia).

Diego Aragão marca o segundo gol da vitória do Conquista (Reprodução Rede Bahia).

Sob gritos de “olé”, o Bahia foi derrotado por 3 a 0 pelo Vitória da Conquista, no Estádio Lomanto Júnior, há pouco. Os três gols foram marcados no segundo tempo da partida disputada em Conquista, no sudoeste do estado. Com o placar, o Bode, como também é chamado o time conquistense, poderá perder por até dois gols de diferença e levará o título de campeão baiano de 2015.

O placar foi aberto por Fausto no segundo minuto do segundo tempo, aproveitando cobrança de falta para cabecear e mandar a bola para o fundo da rede tricolor.

Diego Aragão aproveitou bobeada da defesa do Bahia, tirou o zagueiro e chutou forte para fazer 2 a 0, no ângulo. Bastante emocionado, o itabunense comemorou o segundo gol e mandou alô para a terra natal. “Abraço a todos itabunenses. É emocionante, pois sou aqui da Bahia, menino humilde, disse aos meus amigos e à minha namorada que iria fazer o gol…”, disse ele em entrevista à Rede Bahia.

Quem fechou o placar foi André Beleza, aos 28 minutos da etapa final: 3 a 0! A zaga do Bahia não marcou direito e André soltou um petardo da entrada da grande área, sem chance para o goleiro do Bahia. Apesar da vibração pelo resultado favorável, o técnico do Bode, Evandro Guimarães, lembrou que ainda tem 90 minutos pela frente, no próximo domingo (3), em Salvador.

QUEDA DE ÁRVORE BLOQUEIA A ILHÉUS-ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Queda de árvore interdita trecho da Ilhéus-Itabuna (Reprodução Silmara Sousa).

Queda de árvore interdita trecho da Ilhéus-Itabuna (Reprodução Silmara Sousa).

Parte de uma árvore de grande porte caiu, há pouco, na Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-145), formando grande engarrafamento nos dois sentidos da pista. O trecho bloqueado fica próximo ao Bairro Banco da Vitória, em Ilhéus.

O engarrafamento é ainda maior pois, neste horário, há um grande número de itabunenses retornando de praias localizadas na Costa do Cacau. Corpo de Bombeiros foi acionado para desobstruir a pista.

ITABUNA: OFICIAL DO TJ-BA DESAPARECE NO NEPAL

Tempo de leitura: < 1 minuto
Manoel Tenório não faz contato com a família desde ontem (Foto Reprodução Facebook/BA24H).

Manoel Tenório não faz contato com a família desde ontem (Foto Reprodução Facebook/BA24H).

Um oficial de justiça de Itabuna, no sul da Bahia, está entre os 19 brasileiros tidos como desaparecidos no Nepal, conforme o Itamaraty. O País foi atingido por dois terremotos, o último deles ontem (25). O oficial chama-se Manoel Tenório de Azevedo Júnior, de 52 anos, recifense e analista do Tribunal de Justiça da Bahia. Tenório reside em Itabuna há mais de 20 anos.

Tenório foi para a Ásia em companhia do empresário itabunense Sérgio Sepúlveda. Eles viajaram pela Índia, de onde Sepúlveda acabou retornando ao Brasil após contrair uma infecção. O empresário também confidenciou a amigos que teve um pressentimento de que deveria voltar.

O oficial de justiça, entretanto, optou por continuar a viagem e seguiu para o Nepal, onde os tremores já causaram pelo menos 1.900 mortes. Tenório ainda não fez contato com sua família e é dado como desaparecido. O Itamaraty não confirma a existência de brasileiros entre as vítimas dos terremotos. Redação com informações do BA24Horas (Leia a íntegra da matéria).

FAO QUER REDUZIR DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO BRASIL

Tempo de leitura: 3 minutos

safra_1 a brasilDa Agência Brasil

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estuda a criação de uma rede em torno da cadeia produtiva de alimentos no Brasil para conter o desperdício. O país é considerado um dos dez que mais desperdiçam comida em todo o mundo, com cerca de 30% da produção praticamente jogados fora na fase pós-colheita.

A redução das perdas será objeto de debates na oficina que a Embrapa Agroindústria de Alimentos promove no próximo dia 30, no Rio de Janeiro, em contribuição à 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, que será realizada em Brasília, em novembro próximo.

O objetivo da FAO na América Latina e Caribe é montar uma rede de entidades com organizações não governamentais (ONGs), universidades e institutos de pesquisa com o propósito de reduzir a perda na produção e na pós-colheita dos alimentos. Ao governo caberia providenciar a melhoria de fatores como infraestrutura para transporte dos alimentos, como existe nos Estados Unidos.

“O que se tem que fazer no Brasil é uma rede de formadores que possa, junto com o governo, empresas privadas e ONGs, trabalhar nisso tudo”, afirma o engenheiro agrônomo da Embrapa Indústria de Alimentos, Murilo Freire. O governo brasileiro entraria com a legislação, com infraestrutura e armazenamento adequados, explicou.

Integrante do Comitê de Especialistas em Redução de Perdas e Desperdícios para a América Latina e Caribe da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o pesquisador disse que o problema ocorre em toda a cadeia produtiva, que tem deficiência de infraestrutura, manuseio, plantio errado, doenças, embalagem, transporte e armazenamento.

Segundo Freire, os produtos são desperdiçados porque ou estão fora do prazo de validade ou não foram consumidos por serem identificados como malformados ou fora do padrão estabelecido pela legislação do Ministério da Agricultura. A meta do comitê é montar uma rede na região para diminuir as perdas na produção desses alimentos.

“O desperdício ocorre quando o alimento produzido é jogado fora, ou seja, ele não chega a quem necessita”, disse Freire. Um exemplo disso, segundo o engenheiro, é o caso dos frutos feios, que não são padronizados nem têm um apelo de venda comercial elevado, mas têm as proteínas, vitaminas e sais minerais de um produto normal. Esse é o desperdício. São alimentos produzidos, mas não usados”.

Leia Mais

A PRAÇA É DO POVO – E O POVO NÃO É BOBO

Tempo de leitura: 3 minutos

FOTO ARTIGOS JULIO GOMESJúlio Gomes | juliogomesartigos@gmail.com

A praça já se encontrava pronta há vários meses, mas a prefeitura não permitia o acesso das pessoas à mesma, mantendo-a cercada por tapumes, aguardando o aniversário da cidade para que as autoridades viessem inaugurá-la.

Houve grande repercussão, em toda a cidade de Ilhéus, sobre o episódio ocorrido na praça do Pontal, quando, neste sábado, dia 25 de abril, o povo daquele bairro derrubou os tapumes que isolavam a praça, cujas obras já se encontravam inteiramente concluídas, passando a utilizá-la antes que o poder público municipal fizesse a inauguração do logradouro.

Como se sabe, a praça já se encontrava pronta há vários meses, mas a prefeitura não permitia o acesso das pessoas à mesma, mantendo-a cercada por tapumes, aguardando o aniversário da cidade para que as autoridades viessem inaugurá-la.

Como o fato em si já foi bastante comentado, penso que caibam algumas considerações sobre questões que estão subjacentes ao mesmo. Vejamos:

Primeiramente, nossos parabéns à empresa que a fez a obra – à Cicon, no caso da praça da Cidade Nova; e à Cidadelle, quanto à praça do Pontal – e bem menos, mas muito menos mesmo, ao gestor da cidade, ou seja, ao prefeito.

IMAGEM A PRAÇA É DO POVO, E O POVO NÃO É BOBO 2Digo isto porque a reforma de uma praça é uma das obras mais simples e baratas que existem, do ponto de vista da administração pública. Não há fundações (sapatas) a serem feitas, nem estruturas em concreto (vigas ou lajes). Não há fechamento das estruturas com alvenaria de tijolos, nem reboco. Praticamente não há acabamento da construção, com uso de esquadrias, forros, louças, metais sanitários etc., coisa que encarece muito a qualquer obra.

Na verdade, essa “parceria” para que uma empresa privada assuma a construção de uma praça é muito mais um ato simbólico do poder público municipal – ou talvez uma palhaçada, como queiram – para tentar mostrar que o Município (a prefeitura) não tem dinheiro, e por isso não pode realizar obras, nem reajustar salários de servidores, nem construir escolas ou postos de saúde, nem fazê-los funcionar adequadamente, nem fazer mais nada.

IMAGEM A PRAÇA É DO POVO, E O POVO NÃO É BOBO 1É, no fundo, uma forma de tentar justificar publicamente a inação, a inapetência, a falta de compromisso dos gestores para com a população que os elegeu. Estamos fartos disso!

As empresas que investem na adoção e reconstrução de praças, como ocorreu com o Supermercado Meira, que por anos a fio cuidou e utilizou a praça Visconde de Cairu, no Centro, mediante a farta colocação de suas propagandas; e como ocorre agora com as empresas Cidadelle e Cicon – de forma bem mais adequada, pois sem colocação das propagandas ostensivas – têm o reconhecimento positivo desta conduta garantido pela população, sem dúvida.

Porém, quanto ao Poder Público, não se pode dizer o mesmo, já que o custo da reforma de uma praça é extremamente baixo, quase irrisório, em se tratando de obras públicas. Por fim, é bom esclarecer que isto não vale somente para o atual gestor. Vale também para os próximos que vierem a assumir a direção de nosso Município.

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). 

COLO-COLO A UM EMPATE DA COPA DO NORDESTE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Colo-Colo pressionou e bateu Juazeirense por 1 a 0 (Foto José Nazal).

Colo-Colo pressionou e bateu Juazeirense por 1 a 0 (Foto José Nazal).

O Colo-Colo está a um empate de garantir vaga na Copa do Nordeste de 2016, após vencer a Juazeirense por 1 a 0, ontem (25), no Estádio Mário Pessoa. O gol foi marcado por Andrei, na etapa final.

Juazeirense e Colo-Colo se enfrentam no próximo final de semana, em Juazeiro, na partida de volta da disputa pelo terceiro lugar do Baianão 2015. Quem perder na disputa, deverá disputar a Série D do Brasileiro 2015.

O detalhe do jogo foi a torcida. Apenas 519 torcedores compareceram ao estádio. A partida de ontem teve 396 pagantes, mesmo a equipe fazendo uma das melhores campanhas da sua história.

SÓ UMA SURPRESA

Tempo de leitura: < 1 minuto

marco wense1Marco Wense

O outro lado, aliado do governador petista Rui Costa, é pura desunião: Geraldo Simões versus Davidson Magalhães, vanistas versus comunistas e PT versus PT.

Pesquisa da Sócio-Estatística, instituto que tem o respeito de todos os prefeituráveis de Itabuna, só aponta uma surpresa: o pré-candidato do PDT, médico Antônio Mangabeira, na frente do vice-prefeito Wenceslau Júnior, do PCdoB.

No mais, tudo esperado: o tucano Augusto Castro liderando e os ex-alcaides Fernando Gomes, José Azevedo e Geraldo Simões brigando pela segunda posição.

Castro tem razão de sobra para ficar feliz da vida, não só pela posição confortável na consulta, mas pelo fato de que o oposicionismo caminha para ter um só candidato na sucessão de Claudevane Leite.

O outro lado, aliado do governador petista Rui Costa, é pura desunião: Geraldo Simões versus Davidson Magalhães, vanistas versus comunistas e PT versus PT.

E mais: o PRB, partido do chefe do Executivo, sob a batuta do bispo e deputado Márcio Marinho, pode apoiar Augusto Castro se Claudevane Leite desistir da reeleição.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Back To Top