skip to Main Content
30 de setembro de 2020 | 07:06 am

ANÕES DO ORÇAMENTO, LULA E RICARDO KOTSCHO

Tempo de leitura: 2 minutos

marivalguedesMarival Guedes | marivalguedes@gmail.com

Ao ser ouvido na CPI, disse que sua riqueza foi fruto de ter ganhado 200 vezes na loteria. Questionado sobre o exagero de tantos acertos, respondeu: Deus me ajudou.

A CPI do escândalo dos Anões do Orçamento foi instalada em 93, mas o esquema começou em plena ditadura militar, em 1972. Não havia denúncias naquele período por causa da censura ou por conveniência dos veículos de comunicação.

A transação era feita por um grupo de parlamentares que fraudava o Orçamento da União beneficiando políticos e empreiteiras. O termo anão não se referia à estatura física. Relacionava-se a pouca expressividade dos envolvidos, membros do chamado “baixo clero”.

Foi mais um escândalo de corrupção nestes 500 anos. Mas, neste caso, uma diferença entrou para o anedotário político quando o articulador do esquema, deputado João Alves, justificou como conseguiu ficar milionário.

Ao ser ouvido na CPI, disse que sua riqueza foi fruto de ter ganhado repetidamente na loteria, 200 vezes. Questionado sobre o exagero de tantos acertos, respondeu: Deus me ajudou.

Neste mesmo ano, 93, eu era editor do programa Cabrália Bom Dia, na TV Cabrália, em Itabuna, e marcamos uma entrevista com Lula, que acabara de perder para Collor. Participaram o jornalista Luiz Conceição e Gecie Campos.

Acompanhava Lula, o assessor de comunicação Ricardo Kotscho. Não tínhamos muita intimidade, mas éramos companheiros de congressos de jornalistas. Num intervalo, ele sugere uma pergunta sobre os anões. Lula interrompe:

– Ele não pode perguntar não, Ricardo, porque o patrão dele também está envolvido.

Marival Guedes é jornalista e escreve no Pimenta às sextas.

Esta publicação possui 6 comentários
  1. Olhe um fato é certo,se não prender a presidente Dilma e o ex´-presidente Lula e os mesmos continuarem soltos,aqui pra nós,a melhor ação,é soltar todos os ladrões do Brasil.

    É um afronta e extrema desonra ao povo brasileiro,estes meliantes soltos no Brasil é igual a sensação,deste estuprador da médica do estacionamento do hospital,São Rafael ou destes vermes que assassinaram um policial na cidade de São José da Vitória.

    O anunciado pelo qual,vem fazer abordagem a respeito de bandidos,o partido do trabalhadores vive no centro.

  2. Zelão diz: – A boa e velha escola

    “Nada como um dia após o outro.” Na política este conceito se aplica de maneira especial.

    O PTdoLula, outrora crítico ferrenho dos “malfeitos” praticados na república, ao assumir o poder, revelou-se um “bom aluno” de todas as “mazelas corruptivas,” e, tratou de praticá-las em proveito próprio e dos seus apaniguados, tratados como “base de sustentação do governo.”

  3. Naquele tempo lavar o dinheiro da corrupção era tarefa difícil, João Alves usava da loteria para lavar o dinheiro, hoje o PT se especializou, usa o próprio TSE para lavar as “doações” dos empreiteiros, todo dinheiro é contabilizado e assim podem justificar as doações milionárias. Os petistas Palloci, Pimentel e Gleisi foram mais ousados criaram empresas de consultoria, pagam todos os impostos de pseuda prestação de serviço e o que sobra vem limpinho ao bolso do petista. A roubalheira se especializa, podemos ter sorte se acabar com este processo do juiz Moro, se tudo for investigado e punido aquele que tem nove dedos deverá ser preso por corrupção.

  4. Que aquilo, nao seja justificativa, para a esgraceira que esta ocorrendo hoje no Brasil.
    Não podemos referendar e justificar a corrupção e a bandidagem.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top