skip to Main Content
30 de março de 2020 | 06:33 pm

OPERAÇÃO 2 DE JULHO TERÁ REFORÇO DE 1,6 MIL PMs

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Militar vai empregar 1.625 policiais militares nas comemorações da Independência da Bahia. A Operação Dois de Julho, que teve início com a transferência do Governo do Estado para Cachoeira, no dia 25 de junho, segue até o próximo domingo (5), com a volta do caboclo do Campo Grande para a Lapinha. Na manhã desta terça-feira (30), o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) iniciou a operação de escolta e acompanhamento do fogo simbólico, que consiste no controle de trânsito nas rodovias estaduais.

O policiamento também foi intensificado nas vias de acesso das cidades contempladas pela passagem da pira, como Cachoeira, Saubara, Santo Amaro, São Francisco do Conde, Candeias, Simões Filho e Salvador. A chegada do fogo simbólico ao bairro de Pirajá, na capital baiana, está prevista para as 15h30 desta quarta (1º).

Já no feriado de quinta (2), o policiamento será montado durante a madrugada, com a realização de varreduras das vias e o policiamento da Lapinha, de onde sai o cortejo. O efetivo estará distribuído por todo o trajeto e adjacências, inclusive nos pontos e terminais de ônibus, em barreiras de trânsito, patrulhas e duplas.

Participam da operação parte do efetivo de sete companhias independentes de Polícia Militar e do 18º Batalhão, com apoio de unidades especializadas como Batalhão de Polícia de Choque, Esquadrão de Motociclistas Águia, Esquadrão de Polícia Montada e do Batalhão Especializado em Policiamento Turístico, além das Operações Gêmeos e Apolo.

Esta publicação possui 2 comentários
  1. Este reforço de jagunço ou Capitão do Mato,talvez mercenário,afinal,do qual lado; Portugal ou do Brasil?

    À tropa portuguesa eram leal a metrópole,o Brasil não tinha um exército,sendo obrigado a contratar mercenário e recrutar escravos libertos e cativos com promessa de dá a liberdade,tropeiros,jagunços,capitão do Mato e diversos segmentos social da Bahia entre o qual,uma mulher disfarçada de homem,Maria quitéria,formar um exército pra defender a Bahia do jugo de Portugal.

    Salvador viveu momentos de terror,o general Madeira de Melo,bombardeara o forte de São Pedro e seu exército fizeste a maior carnificina causando a morte de de mais de 4OO pessoas entra a qual,a Freira,joana Angélica,a irmã não permitindo a entrada dos soldados portugueses,os mesmos deferira o golpe com a baioneta do fuzil e perfurou o tórax da madre.

    A Bahia e o Brasil vive o mesmo dilema,o povo precisa resgatar o ato heroico,que
    os nossos antepassados viveram,cujo objetivo salvar a Bahia do jugo do PT,o mesmo vem destruindo o Brasil e precisamos resgatar a história do nosso passado
    é com início da libertação do Brasil, tal passado expulsando o PT que é pior do que os jugos dos portugueses.

    O que a facção criminosa que governam o Brasil,são compostos de gente cuja características piores do que Cochrane,um dos maiores ladrões e salteadores do Brasil e só saiu vitorioso da batalha travada com o general, Madeira de Melo,na Bahia,por um acaso.

    Em Pirajá, um erro do corneteiro,Lopes,o mesmo era pra tocar avançar,errou o toque e tocou recuar e a tropa de Madeira de Melo,temendo ser encurralado pelo inimigo se debandaram e a Bahia e o Brasil ficaram livres do jugo de Portugal, em 2 de Julho de 1823.

    Mais o lado do grande herói ou vilão,até hoje ninguém sabe qual fora o lado do Cochrane,porem de uma coisa se sabe,o mesmo gosta é de dinheiro,o lado do mesmo é o lado de quem paga mais e foi bem pago e não satisfeito,rapinou a província do São Luís.

    Assim é o “Partido dos trabalhadores” o mesmo só gosta de dinheiro estão fazendo
    o mesmo e até pior com o Brasil e a Bahia, do que o mercenário e “marte” do 2 de julho. Lord Thomas Cochrane. 1775-186O escocês e mercenário.

    Fonte.História da Bahia.
    Autor. Luís Henrique dias Tavares. Historiador e Escritor.

    A Cemiterada.
    Autor.José Reis. Mestre e Historiador.

    Bahia século XIX somente uma província do império.
    Autora. Drª. Kátia Matoso.1931-2O11. Historiadora.

  2. O que comemorar nessa data? A greve das Universidades estaduais, a saúde publica que é um caos? Não é atoa que o Ruim Costa reforçou a segurança, mas as vaias ele não pode calar.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top