skip to Main Content
7 de julho de 2020 | 09:51 am

“TRANCAÇO”: PROFESSORES DA UESC BLOQUEIAM RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA. GREVE JÁ DURA 56 DIAS

Tempo de leitura: 1 minuto
Professores bloquearam a Rodovia Ilhéus-Itabuna nesta manhã.

Professores bloquearam a Rodovia Ilhéus-Itabuna nesta manhã.

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) bloquearam, nesta manhã de quinta (9), o trecho da Rodovia Ilhéus-Itabuna em frente ao campus Soane Nazaré de Andrade, no Salobrinho. Os docente estão em greve há 56 dias. A paralisação por tempo indeterminado também atinge a Uesb, Uefs e Uneb.

Manifestações também ocorrem em Eunápolis, Vitória da Conquista e Feira de Santana. A coordenação do movimento docente das universidades estaduais tem audiência nesta quinta (9) com representantes do governo para discutir contrapropostas, dentre elas o aumento do orçamento das universidades, de 5% para 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI) do estado.

O aumento do orçamento é uma das reivindicações dos grevistas. Existem outros como a devolução da autonomia universitária, usurpada em 1997, cumprimento de direitos trabalhistas (promoções, progressões e mudanças de regime de trabalho) e a falta de cumprimento do plano de carreira da categoria. De acordo com os grevistas, o plano foi aprovado em 2012, mas não é cumprido pelos governos.

Professores e estudantes instalam barricada na rodovia.

Professores e estudantes instalam barricada na rodovia.

Esta publicação possui 8 comentários
  1. O Governo da Bahia, por meio das secretarias da Administração, Educação e Relações Institucionais, está aguardando a resposta do movimento docente sobre a última proposta apresentada na mesa de negociação, que assegura recursos financeiros para atender às promoções dos professores.

    O diálogo permanente com o movimento docente está mantido. Já foram realizadas oito reuniões. Mais uma reunião está confirmada para hoje (09/07).

  2. Nota de Esclarecimento

    O Governo da Bahia, por meio das secretarias da Administração, Educação e Relações Institucionais, informa que o diálogo permanente com o movimento docente está mantido. Já foram realizadas oito reuniões. Mais uma reunião está confirmada para hoje (09/07), às 16 horas.

    “O Governo assegura a disposição em analisar a contraproposta do movimento docente, e manter o diálogo, ampliando o processo de negociação e discussão”, afirmou o superintendente de Recursos Humanos da Secretaria da Administração, Adriano Tambone.

    O Governo disponibilizará recursos orçamentários para a concessão das promoções, sem comprometer o orçamento de custeio e o investimento das universidades. Ainda segundo Tambone, “conforme proposta inicial apresentada de remanejamento de vagas do magistério, as promoções serão feitas a partir da redistribuição de vagas entre as classes, no quantitativo de 20 vagas por universidade”. Esta proposta garante a maior celeridade no cumprimento dos direitos trabalhistas.

    A proposta do Governo foi apresentada na reunião do dia 20 de maio e reiterada em cinco reuniões subsequentes. No último documento encaminhado às associações de docentes no dia 19/07, o Governo da Bahia também reafirma sua posição de atender à reivindicação para revogação da Lei 7176/97 e criar nova lei que garante maior autonomia às universidades. Segundo o professor Paulo Pontes, coordenador de Desenvolvimento de Ensino Superior da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, “com a nova lei, a estrutura passa a ser definida pelo estatuto elaborado pelas próprias universidades”.

    Assessoria de Comunicação
    Secretaria da Educação do Estado da Bahia
    Contato: 71 3115-9026/9025
    E-mail: ascom@educacao.ba.gov.br

  3. Foram oito anos de Jacques Wagner: Sem ponte Ilhéus-Pontal, sem Portosul, sem Aeroporto, sem duplicação da BR 415, mesmo assim os professores das Universidades Estaduais votaram em massa nos candidatos do PC do B e PT. Agora querem que os trouxas dos estudantes queimem pneus na estrada.
    Em quem vocês acrditam que esses mesmos professores irão votar nas próximas eleições?

    “Humm!!Vá dá rabo homi”

  4. Será mesmo verdade que professores da UESC tiveram atitude de bandidos e fecharam a rodovia? O problema deles deve ser resolvido por quem circula pelo local? São os motoristas seus devedores? Agora virou moda qualquer manifestação interditam ruas e estradas, ou invadem prédios? Onde está o bom senso? Cadê a policia para agir com rigor?
    Duvido que professores tenham participado dessa baderna. OU…?

  5. Ue.. cade o deputado federal que foi professor dessa universidade e quem outros tempo ficava gritando no microfone. o que aconteceu virou a casaca…?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top