skip to Main Content
9 de agosto de 2020 | 05:41 pm

GOVERNADORES PROMETEM AJUDAR GOVERNO CONTRA PAUTAS-BOMBAS

Tempo de leitura: 2 minutos
Governadores e ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, em coletiva (Foto Wilson Dias/Ag. Brasil).

Governadores e ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, em coletiva (Foto Wilson Dias/Ag. Brasil).

Os governadores de todos os estados do país que se reuniram hoje (30) com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio da Alvorada, comprometeram-se a ajudar o governo a evitar a aprovação das chamadas pautas-bombas, projetos em tramitação no Congresso Nacional que, segundo o Executivo, podem gerar gastos adicionais, comprometendo o ajuste fiscal.

“Há um compromisso com a governabilidade, apoio ao ajuste fiscal para que seja votado e produza efeitos na economia e restabeleça o crescimento econômico e a geração de empregos. Apoio no combate à pauta-bomba, como o fator previdenciário, que impacta a previdência nos estados e apoio ao veto ao aumento do Judiciário, “disse o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), que falou em nome dos governadores dos estados da Região Sul.

O apoio ao esforço do governo em evitar o aumento de gastos com matérias aprovadas no Congresso também foi expresso pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) que falou em nome dos governadores da Amazônia Legal. Segundo ele, a reunião serviu, entre outras coisas, para manifestar “solidariedade e compromisso com as bancadas relativo às pautas- bombas, para que não haja votação de leis que aumentem as despesas públicas sem a correspondente receita e que cause mais crise no país”.

Segundo Dino, os governadores se comprometeram a conversar com suas respectivas bancadas federais, para evitar a aprovação dessas pautas que também gerariam dificuldades financeiras para os estados. Os governadores da Paraíba, Raimundo Coutinho (PSB), falando pelo Nordeste, e de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), falando pelos estados do Centro-Oeste, reafirmaram o apoio.

O também tucano e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, falou pelo Sudeste, mas evitou falar em apoio explícito. Em sua fala, Alckmin disse que é preciso preservar os empregos e assegurar o crescimento econômico “não só com os projetos em trâmite [no Congresso], mas reduzindo o custo Brasil com redução dos gastos públicos. Mas de forma geral, nos três níveis de governo”, disse. Informações da Agência Brasil.

Esta publicação possui 4 comentários
  1. Abrir os portos às nações amigas,assim dom João VI fizeste aqui na Bahia para acalmar os revoltosos,fato este,o maior embuste pra acalmar os caipiras baianos e nordestinos,em janeiro de 18O8.

    O Brasil fervilhava de norte a Sul a turbulência e inquietação de independência de cada província do Brasil, só faltou realizar e cuja repetição do embuste aqui na Bahia.

    Sobre pauta bomba,a secretaria de segurança pública da Bahia,criou uma carta de baralho,pelo qual se caracterizara de criminosos perigosismos e os mesmos,a mídia nos informava que alguns foram assassinados e outros presos pela polícia.

    Diante do exposto pelo qual caracterizado,pra esta reunião ser respaldada e merecer o respeito de todo nordeste e do Brasil,que se poem à mídia,duas cartas de baralho de dois bandidos,Lula Lalau e Dilma Petrobras.Contudo no demais,é uma reunião de embuste

  2. Embora a Bahia seja um dos poucos estados que vem elegendo o seu governador pelo PT há três mandatos, podemos ver nesta foto importância que ela tem para o governo federal.

    Enfim, a Bahia tem recebido tanta importância do governo federal nos mandatos do PT, que o legado que deixarão é a saída da liderança no nordeste para o terceiro lugar na região; quando outrora, com muito sacrifício, no passado ela foi tirada do segundo lugar para o primeiro em absoluto.

    É a competência de ex-sindicalistas – que não sabiam fazer nada a não ser infernizarem as empresas, só em busca de vantagens trabalhistas – à frente do governo que faz isso!

    Quando os baianos acordarem e verem o que cometeram será muito tarde.

    Aliás, me engano: O ex- governador se orgulhava de a Bahia ser líder no cadastramento do Bolsa-família. Isso é que é gestão!!! Não deveria se orgulhar dizendo: Com a nossa gestão, em um futuro próximo, a Bahia será um estado, pelo menos, nos moldes dos do sudeste?

    Mas não aproveitando a oportunidade que teve de governar o Estado com o governo federal sendo um forte aliado, com a sua incompetência, deixou Pernambuco e Ceará, estados apenas aliados do governo federal, levarem investimentos em infraestrutura, mais que a Bahia, que os fizeram ocupar, hoje, e num futuro bem próximo, posição mais elevada que a Bahia.

    São uns verdadeiros zeros à esquerda!!!

  3. O conteúdo dessa noticia já foi desmentida pela maioria dos governadores presentes ao encontro. A turma do Palácio deturpou a realidade do que ocorreu no encontro.

    Os petistas são desonestos em todas vertentes.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top