skip to Main Content
24 de setembro de 2020 | 02:04 pm

ITABUNA SEDIARÁ O SETAF DO LITORAL SUL

Tempo de leitura: < 1 minuto
Agricultores familiares terão apoio do Setaf no Litoral Sul.

Agricultores familiares terão apoio do Setaf no Litoral Sul.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), inaugura na próxima quinta-feira (8), às 9h, em Itabuna, o Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf). A unidade vai atender cerca de 14 mil famílias de agricultores do Território de Identidade Litoral Sul.

O Setaf, de acordo com o governo, tem como finalidade articular políticas públicas para a agricultura familiar e promover a inclusão produtiva dos agricultores familiares baianos. A unidade em Itabuna é a 17ª de um total de 27 que serão implantadas em todo o estado. Funcionará na Avenida José Soares Pinheiro.

O ato de inauguração contará com a participação do secretário do Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues. Antes, às 8h, o secretário concede entrevista coletiva, na Avenida Aziz Maron, 1.141.

Esta publicação possui 2 comentários
  1. Eis meu primeiro ofício iniciando aos 1O anos,estudava pela manhã,Escola Zacarias Dantas,pela tarde ia ajudar minha doce mamãe e meu doce papai.

    Ninguém ficava desempregado,a lavoura do cacau absolvia grande mão de obra e as Fazendas era um celeiro de inclusão social,as crianças estudavam e trabalhavam e não passavam fome.

    Moravam bem nas Fazendas,eram extremas farturas de frutas,laranjas,tangerinas, Lima,jacas,mamão,cana,o mel de cacau,pinha,jatobá,era o leite e as plantações e roças que os trabalhadores faziam e colhiam,mandioca,milho,feijão.banana da terra,inhame,batata doce e verduras.

    Ao chegar a energia na metade da década de 6O no meu doce Mutuns e as fazendas de cacau todas eletrificaram e transformaram em melhores qualidade de vida as famílias trabalhadoras da lavoura do cacau.

    Existira atendimento médico com extrema qualidade e dentista tinha na Vila de Mutuns,ninguém era atendido nos corredores e banheiro dos hospitais,esta casta de mão de obra do cacau,erem bem atendido nos hospitais.

    Era a inclusão social e felicidade geral das famílias e ninguém usava tal termo
    o que hoje em dia é vulgarizados,as famílias são tratadas piores do que se trata
    um cão,seja pela falta de trabalho,bem como nas portas dos hospitais.

    Época de inclusão social e ninguém se falava nesta palavra que hoje é lardeadas a torto e a direito nas propaganda oficial, usando galhofa e engodo tapeando uma gente humilde e simples da nossa doce Região Cacaueira e particularmente o meu doce Mutuns.

  2. Tudo marketingo politiqueiro para desviar a atençao do miserê que esse desgoverno petista fez vem fazendo com muita malvadeza contra a economia do cacau.Incompetente e sem vontade politica,para fazer uma verdadeira reforma agrária, esse desgoverno petista continua estimulando e financiando entidades clandestinas para continuar desestabelizando a nossa região com invasões em proprieddaes produtivas. perguntar não ofende? Porque financiar entidades clandestinas que pisoteiam a nossa constituição impunemente e tentar destruir entidades legais que respeitam as leis vigentes?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top