skip to Main Content
8 de abril de 2020 | 12:10 pm

A ENTREVISTA DE MARIA ALICE

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

Maria Alice Pereira, presidente do DEM de Itabuna, é daquelas dirigentes que todo partido quer: é militante, fiel, coerente e ardorosa defensora da legenda.

Na entrevista concedida ao Diário Bahia, no dia 11, a democrata mostrou que continua como a dama de ferro do fernandismo, mostrando, sem subterfúgios e arrodeios, que Fernando Gomes é o pré-candidato de sua preferência.

O Democratas, segundo Alice, tem um quadro com quatro prefeituráveis: Fernando Gomes, Capitão Azevedo, Antônio Vieira e o vereador Ronaldão. Uma pesquisa de intenção de votos vai definir o nome que vai disputar a sucessão de 2016.

Maria Alice erra quando menospreza a importância da união da oposição no processo sucessório: “… com ou sem unidade, o DEM terá candidatura própria”.
É o mesmo que dizer que o DEM terá candidato em Itabuna independente do apoio do PSDB do deputado estadual Augusto Castro e do PMDB do médico Renato Costa.

Maria Alice, com sua peculiar firmeza, descarta qualquer possibilidade de o DEM apoiar um candidato que não seja do partido. Ou seja, pesquisas para definir o nome da oposição só com os prefeituráveis do demismo.

Em relação ao parlamentar Augusto Castro, Maria Alice tem até razão em estar ressabiada. O pré-candidato do tucanato anda dizendo que Fernando Gomes é inelegível, é ficha suja.

Na opinião da dirigente-mor do demismo municipal, “o DEM não está envolvido em nada dessa corrupção toda no país”, como se o partido fosse, digamos, lençol de freira.

Ora, o presidente nacional do Democratas, senador José Agripino Maia, está sendo investigado pelo STF por suposta prática de corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. Como não bastasse, é suspeito de ter recebido propina da empreiteira OAS nas obras da Arena das Dunas e de ter cobrado o valor de R$ 1 milhão no esquema de corrupção no serviço de inspeção veicular no Rio Grande do Norte.

Muitos fernandistas, incluindo aí Raimundo Vieira, talvez o “Fernandista dos Fernandistas”, concordam com a opinião de que a péssima pontuação do ex-alcaide nas pesquisas se deve às maldades de Augusto Castro.

Por cima, Augusto Castro, com o aval do deputado Jutahy Júnior, trabalha para condicionar o apoio do PSDB à reeleição do prefeito ACM Neto ao do DEM de Itabuna a sua candidatura. Uma espécie de contrapartida.

Se no governismo tem o pega-pega entre Davidson Magalhães e Roberto José, respectivamente PCdoB e PSD, na oposição o Alice versus Castro tende a pegar fogo.

Satisfeito com o andamento de sua campanha, que cresce dia a dia, o médico Antônio Mangabeira, pré-candidato pelo PDT do saudoso Leonel Brizola, assiste de camarote o bafafá entre seus prováveis adversários.
Concluo, também sem subterfúgios e arrodeios, dizendo que é cada vez mais complicado o relacionamento político entre a dirigente Maria Alice e o deputado Augusto Castro.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Esta publicação possui 5 comentários
  1. Kkkkkkkkkkkk Mangabeira cresce a cada dia kkkkk igual a Capitão Fábio e Juçara nas outras campanhas. Risível isso Wense, e um trabalho ilusionista.

  2. Augusto vai sentir na pele o q capitão fábio ssofreu não mão desse povo de salvador.
    Os poderosos vão mandar ele recuar em favor de Fernando Gomes.
    Que viver verá.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top