skip to Main Content
14 de julho de 2020 | 03:35 am

FUNCIONÁRIOS DA SANTA CASA ENTRAM EM GREVE NA SEGUNDA; MUNICÍPIO É DENUNCIADO

Tempo de leitura: 2 minutos
Santana: denúncia contra o município.

Santana denuncia município.

Durante assembleia realizada ontem (21) à noite, os funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna decidiram entrar em greve na próxima segunda (25). A paralisação afetará o atendimento nos hospitais Calixto Midlej Filho, Manoel Novaes e São Lucas.

A instituição ainda não pagou o salário de dezembro dos mais de 1,7 mil funcionários. O atraso está relacionado ao não pagamento de dezembro por parte da Secretaria de Saúde de Itabuna.

MUNICÍPIO DENUNCIADO

Ontem, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna e Região (Sintesi) denunciou o município por ter recebido, do Ministério da Saúde, R$ 8 milhões – sendo R$ 2 milhões antecipados ainda em dezembro, mas ter atrasado o pagamento aos fornecedores da alta e média complexidade.

– Os prestadores de serviços esperavam que o pagamento das faturas também fosse antecipado. Entretanto, isso não ocorreu. Dia 15 de janeiro chegou mais R$ 6 milhões, completando o repasse dos serviços da média e alta complexidade, e apenas alguns valores pré-fixados foram pagos para as instituições – afirma Raimundo Santana, presidente do Sintesi.

Santana desconfia que parte do dinheiro tenha sido usado “indevidamente” pelo município. “Há prestadores sem receber, essa situação cria transtornos porque os trabalhadores não recebem salários e fornecedores não são pagos”.

No último final de semana, o secretário de Saúde de Itabuna, Paulo Bicalho, disse que a Pasta aguardava a sanção do orçamento de 2016 – o que ocorreu no último dia 20 – para iniciar o processo de pagamento aos fornecedores. O quadro demonstrativo de despesas do orçamento deste ano teria sido enviado com atraso da Câmara para a prefeitura.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Raimundo não sabe o que diz! No tocante ao Quadro de demonstrativo de despesa é um dos anexos da Lei Orçamentária Anual e foi publicada um dia após a publicação da Lei, assim que chegou do Legislativo. A fala de Raimundo também não atende ao rito de transferência de recursos do Ministério da Saúde para os municípios, pois a competência dezembro ocorre sempre, no mês posterior. A fala de Raimundo, revela muito mais que a tentativa de denunciar a gestão; demonstra uma relação direta com o patronato, numa clara ligação de peleguismo entre o sindicado e a instituição. A fala dele ao invés de ser uma cobrança para que a instituição pague ao funcionalismo, representa uma tentativa de justificar a dificuldade da instituição e esvaziar a cobrança, transferindo todo ônus para à administração. Esforço de puro peleguismo!

  2. Gente! o que é isso?
    Um secretario prioriza a Santa casa o outro o Hospital de base, para com isso, a saude
    de Itabuna é uma só, os funcionarios e os pacientes merecem respeito.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top