skip to Main Content
21 de junho de 2021 | 02:18 pm

FILHO É UM SER ESPECIAL

Tempo de leitura: 2 minutos

OzielOziel Aragão

O rebento chegou às 22h19min, há 30 dias, 08/02/2016, no Hospital Pediátrico Manoel Novaes, em Itabuna. Bernardo de Jesus Lima Aragão, filho que trouxe emoção de marejar os olhos e de me dar oportunidade de ver, presenciar, testemunhar o nascimento de mais um filho. Aos 41 anos, não esperava mais vivenciar tamanha felicidade, ainda mais registrar cada momento, do sair da barriga às mãos da médica Najla Gody, oportunidade que não tive antes com as minhas filhas.

Tenho agora quatro, na verdade, três filhas (Luiza, Monick e Isabelle) e Bernardo. Claro, ainda tenho um neto, Pietro, filho da mais velha, Monick. Alegria que sempre veio a cada dois anos, depois com oito anos de diferença. Quando chega, sempre pensamos: “e agora?” Contas, leite, fraldas, medicamentos, e quando começamos a pensar na escola daqui a 3 anos, caramba, a cabeça dá um nó. No fundo, gostamos de nos precipitar, jogar a toalha antes da luta, bem brasileiro.

Os filhos são dádivas de Deus, sempre chegam para trazer alegria, desafios, vitórias e, às vezes, não. Costumo dizer que filho é caro para quem cuida, para aquele que faz e lança no mundo para tentar a sorte, aí fica barato mesmo. Então 10 ou até mais, não fará diferença. Contudo, existem os pais e mães que lutam até o fim e depois tem um orgulho danado de dizer criei meus filhos todos, estão formados, graças a Deus.

Mesmo com a magia da maternidade, pensamos de forma dura e forçada em tempos atuais. Será que é possível arriscar tentar uma gravidez nesse momento em especial, com tantas doenças e possibilidades de sempre acontecer o pior? Às vezes, acontece; às vezes, é um descuido; às vezes, é arriscar na fé e esperança do mais novo ser vivo, que é carregado por nove meses na barriga e, quando chega, chora e provoca lágrimas na equipe médica,  nos amigos, pais, tios, tias, sobrinhos, irmãos e avós. Eita, é felicidade que não cabe no coração.

Com Bernardo Aragão, foi assim, complicações durante a gestação, a mamãe Samara Lima teve chikungunya no oitavo mês. Veio, então, a preocupação. Claro, poderia acontecer de tudo, mas, graças a Deus, ele chegou cheio de saúde, um pouco abaixo do peso, só 2,184 kg, mas esperto que só. No terceiro dia na incubadora, abriu os olhos, olhando sempre para um lado do apartamento, e logo seguiu o caminho de casa, nos braços da vovó Adélia. Falando em avós, Vovô Tadeu, vovó Maria, estão corujando que só.

Os bebês, são realmente um ser especial!

Oziel Aragão é jornalista e pai de Bernardo.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top