skip to Main Content
28 de outubro de 2020 | 11:42 pm

IGREJA REFORÇA MOVIMENTO CONTRA A CONCESSÃO DA EMASA

Tempo de leitura: 2 minutos
Emasa é alvo de cobiça de pré-candidatos e de grandes grupos financeiros.

Emasa é alvo de cobiça de pré-candidatos e de grandes grupos financeiros.

A Igreja Católica reforçará o grupo contra a concessão da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) nesta segunda-feira (20). Hoje, haverá reunião extraordinária do Conselho de Pastoral.

A reunião está marcada para as 10h, coordenada pelo Padre Pio, coordenador do Conselho de Pastoral da Diocese de Itabuna. No último sábado (18), a Igreja Católica reuniu milhares de fiéis em uma caminhada pela água.

Após a reunião do conselho, na Igreja Nossa Senhora da Conceição, o conselho se une a movimentos sociais que ocupam a Câmara de Vereadores de Itabuna desde a última segunda (13).

A ocupação se deu contra o pretensão do prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer) de passar os serviços de água e esgoto, no município, para a iniciativa privada. A direção do movimento de ocupação da Câmara critica a condução do projeto, “nas carreiras” e antes da “aprovação do Plano Municipal de Saneamento Básico”.

A presidência da Câmara de Vereadores entrou com ação para a retirada dos ocupantes da Câmara. Após a retirada de funcionários da Emasa, membros de outros movimentos ocuparam a parte interna do prédio onde funciona o legislativo. “Conseguimos convencer o juiz de que a ocupação era justa e entramos com outra liminar pedindo a suspensão sobre qualquer tramitação desse projeto fraudulento”, informa nota do Comitê em Defesa da Emasa.

CONCESSÃO

A concessão é de 35 anos, conforme desejo do governo. Vane diz ver na medida a “salvação” para a crise da falta d´água vivida em Itabuna. Até aqui, quatro empresas manifestaram interesse em disputar a concessão, dentre elas a Águas do Brasil, a Odebrecht e a empresa estadual Embasa.

A Odebrecht, de acordo com fontes, é a principal interessada na proposta. No governo, há grupo que deseja a Águas do Brasil. O comitê em defesa da empresa municipal conta, a seu favor, com o apoio de quase todos os prefeituráveis, a maioria quer o adiamento do projeto de concessão, dentre eles Fernando Gomes e Augusto Castro.

Outros, como Geraldo Simões, defendem que os serviços de água e esgoto sejam repassados à Embasa. Dos prefeituráveis melhores situados em pesquisas não registradas, apenas Davidson Magalhães (PCdoB) defende a concessão dos serviços, o que gerou especulações e críticas ao deputado federal.

Esta publicação possui 4 comentários
  1. Oxente!!! Cada casos escabrosos, feio, nojento, repugnante na política do brasil e EM MOMENTO ALGUM a igreja católica se levantou para manifestar o seu repúdio!!!
    Por isso Jesus falou sobre os hipócritas em Mateus 23 que “coa um mosquito e engole um camelo”!
    É essa a sociedade que temos.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top