skip to Main Content
26 de outubro de 2020 | 05:47 pm

AOS 65 ANOS, MORRE ENGENHEIRO ZILDO GUIMARÃES

Tempo de leitura: < 1 minuto
Zildo faleceu nesta manhã de sexta.

Zildo faleceu nesta manhã de sexta.

O engenheiro agrônomo e empresário Zildo Guimarães faleceu, vítima de infarto, dentro do próprio veículo, nesta manhã de sexta (17), próximo à Ponte do São Caetano, na região central de Itabuna. O engenheiro tinha 65 anos.

Servidor da Ceplac, Zildo começou a se sentir mal e estacionou o veículo, momentos após sair de uma lotérica. O Samu 192 foi acionado, mas não houve tempo para reanimação. Foi constatada a morte de um dos fundadores do Bairro Zildolândia. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento. Atualizado às 10h16min.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. O nosso amigo e colega de Ceplac, iria completar 65 anos em julho deste ano. É bom corrigir pois com setenta e cinco ele já estaria aposentado.

    Da Redação: Obrigado, Cristina. Correção feita.

  2. Zildão, ou Zildão, foi colega na Ceplac,daí nossa convivência e amizade. Quando alguém olhava para o grande bigode não imaginava o grande coração. Sempre levou uma vida regrada e era homem que vivia com simplicidade. Perdi um bom amigo. Faz parte da vida.

  3. Grande amizade desde colégio 2 de julho em Salvador , Escola de agronomia em Cruz das Almas e após isso convivência muito salutar Itabuna e região. Fica uma saudade imensa .Hoje tem risadas no Céu , com Carlos Dórea e ele, fraternos amigos.

  4. Que triste notícia!Fomos amigos na nossa fase de adolescência. Que o nosso Deus Pai Misericordioso e de todo Amor acolha esse espírito envolvendo-o em muita luz,e conforte os corações dos seus familiares e amigos.

  5. Grande pessoa. Divertido e amigo. Que Deus conduza para um belo lugar e que conforte toda a família. Fica aqui na terra as boas lembranças.

  6. Fiquei muito surpreso. Doutor Zildo, como eu o tratava, foi meu chefe quando trabalhei na Granja na CEPLAC no ano 1993. Uma pessoa gentil. Por trás do bigode grosso havia uma grande e generosa criatura humana. Eu havia passado por uma situação delicada na CEPLAC e ele me tratou da melhor maneira possível até eu sair para a Justiça Federal. Também tivemos oportunidade de negociar terrenos do Bairro Zildolândia e ele igualmente demostrou grande tranquilidade e respeito até a assinatura das escrituras. Fará falta, mas Deus sabe de todas as coisas. Nossos pêsames à família. Tudo passa… mas as grandes atitudes serão sempre lembradas e exaltadas. Descanse em paz, doutor Zildo.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top