skip to Main Content
28 de outubro de 2020 | 11:54 am

AUDIÊNCIA NA AL-BA DEBATE VENDA DE ATIVOS DA PETROBRAS

Tempo de leitura: 3 minutos
Rosemberg diz que venda de ativos da Petrobras afeta a Bahia.

Rosemberg diz que venda de ativos da Petrobras afeta a Bahia.

Os desafios e perspectivas do Sistema Petrobras na Bahia é o tema de audiência pública desta quarta (2), às 14h, na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), promovida pelo deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) e o Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro Bahia). A discussão ocorrerá no Auditório Jornalista Jorge Calmon, no Prédio Anexo Jutahy Magalhães.

Com a redução em vários segmentos de atuação, a Petrobras iniciou um pacote de venda de ativos, conhecido como “programa de desinvestimentos” que vai prejudicar principalmente a Bahia e a região Nordeste, na opinião do parlamentar petista.

O programa prevê, dentre outros, a redução da atuação nos setores de exploração e produção, fim da participação obrigatória nos leilões do pré-sal e venda de diversos blocos, principalmente dos campos maduros (terra e mar), no refino, um modelo de negócio baseado em “parcerias” com a iniciativa privada e/ou estrangeira; no setor de Biocombustíveis e G&E (gás e energia), saída do negócio; e na distribuição, abertura de capital da BR e redução de participação da Petrobras.

Na Bahia, afirma, o impacto é superior, pois a maior parcela de negócios da Petrobras estão concentradas nas áreas de E&P (campos terrestres), refino, distribuição, gás e energia, biocombustíveis e fertilizantes.

Rosemberg Pinto diz que a Petrobras é um patrimônio nacional que, além de produzir lucro, tem importante papel social. “É uma empresa de desenvolvimento social e que deve estar em todo o Brasil. alavancando o desenvolvimento, gerando empregos e atraindo novas empresas; por isso, precisamos ter uma unidade entre os trabalhadores, os governantes e a sociedade para manter a empresa na Bahia e no Nordeste”, defendeu.

Rosemberg Pinto se aposentou pela Petrobras, foi dirigente nacional da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e um dos articuladores, em 1995, do movimento contra a privatização da Petrobras, tramada pelo governo de FHC.

Em 2003, foi gerente de comunicação da estatal no Nordeste e iniciou o processo da interiorização promocional da empresa, sendo um dos responsáveis pela democratização dos investimentos em ações sociais, de cultura e de meio ambiente, priorizando o resgate das manifestações culturais vinculadas a identidade popular.

O parlamentar também ajudou na implantação do programa Mova Brasil, que ajudou a alfabetizar adultos em todo o País. Teve atuação marcante na luta pela manutenção das atividades da Petrobras nos campos terrestres na Bahia e no Nordeste. Por último coordenava o Grupo de Mobilização para a nova legislação de extração de petróleo no Brasil, a partir das descobertas na camada do Pré-Sal.

Rosemberg Pinto participou dos debates em torno do novo marco regulatório da empresa e um dos objetivos foi destinar parte dos lucros na criação de um Fundo Social para investimentos no Combate à Pobreza.

O debate deverá reunir nomes como o presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Jonas Paulo; o economista, professor e ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli; o Secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner; o presidente da CUT Bahia, Cedro Silva; o economista, pesquisador do Centro Celso Furtado e membro do GEEP (Grupo de Estudos Estratégicos de Propostas da FUP), Rodrigo Leão.

Também foram convidados o secretário-executivo da ABPIP (Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás, Anabal Santos Júnior; o presidente do SINAVAL (Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore, Ariovaldo Santana da Rocha; o prefeito de Catu, Geranilson Dantas; o presidente do CREA Bahia, Marco Antônio Amigo; secretário de administração e finanças e coordenador do setor naval da CNM (Confederação Nacional dos Metalúrgicos), Edson Carlos Rocha; o coordenador do Sindipetro Bahia, Deyvid Bacelar; o coordenador da Federação Única dos Petroleiros, José Maria Rangel.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top