skip to Main Content
7 de julho de 2020 | 08:21 am

AUDITORES DIZEM QUE A TEL FOI INTERDITADA POR CAUSA DE GRAVES IRREGULARIDADES

Tempo de leitura: 2 minutos
Interdição da TEL em Itabuna

Ministério Público do Trabalho acusa a TEL de irregularidades

A interdição da empresa de call center Tel Telemática em Itabuna ocorreu por causa de graves irregularidades na forma de controle da jornada dos empregados, informou Ministério Público do Trabalho (MPT). A ação foi realizada por auditores-fiscais do trabalho, com o apoio da Polícia Federal, nesta segunda-feira (16).

A equipe do Ministério do Trabalho chegou à sede da empresa, na Avenida JS Pinheiro, centro, no início da manhã e teria confirmado as suspeitas identificadas no inquérito que o MPT instaurou para apurar denúncias de descumprimento da legislação trabalhista.

Os auditores-fiscais Maysa Duarte e Alessandro Pazzuello confirmaram o que o MPT já havia detectado no inquérito que abriu para apurar o caso. Eles encontraram irregularidades quanto à concessão de repouso semanal remunerado, à utilização irregular de sistema de banco de horas, ao trabalho nos dias de domingo à realização de horas extras e à duração da jornada diária de trabalho, que no setor de call center é limitado a seis horas diárias, com possibilidade de eventuais acréscimos de até duas horas extras por dia.

O procurador do trabalho Ilan Fonseca, que preside o inquérito no MPT, informou que a solicitação para a fiscalização da Gerência Regional do Trabalho em Ilhéus foi feita a partir das informações colhidas nas investigações do MPT.

Ele esclareceu que o caso começou a ser apurado em fevereiro deste ano a partir de denúncia sigilosa. A mesma empresa é alvo de outros inquéritos e ações civis públicas movidas pelo MPT por situações que envolvem assédio moral, problemas na oferta de alimentação aos funcionários, atrasos no pagamento de salários e controle de idas ao banheiro.

ATIVIDADES SUSPENSAS

Com a interdição, todas as atividades relacionadas a teleatendimento estão suspensas na unidade da empresa em Itabuna estão suspensas por tempo indeterminado e só poderão ser retomadas após a comprovação de que estão sendo cumpridas as normas trabalhistas válidas para todas as empresas do setor no que se refere a controle de jornada.

As recomendações dos auditores, no termo de interdição incluem a instalação de sistema de registro eletrônico de ponto, termo de compromisso da empresa de não usar mais outro sistema de registro de ponto ilegal e de conceder pausas e descansos nas jornadas de trabalho, conforme prevê a lei trabalhista brasileira. A empresa Tel Telemática ainda não se manifestou sobre as acusações.

Este post tem um comentário
  1. Estamos em uma cidade onde não há investimentos de GRANDE EMPRESAS por conta disso não há demandas de empregos. Aí chega uma TEL da vida ofertando e empregando mais de 800 funcionários. Há relatos internos de pessoas q estão ali “trabalhando” insatisfeitos, não pelo q exercem, mas sim por preguiça, por comodidade, e assim começam a esculhambar no atendimento, começam a pausar os atendimentos. E a empresa é rígida é aplicado advertências, demite, como qualquer outra empresa. Informo q uma empresa como a TEL não tem a necessidade de estar instalada em Itabuna, ela pode atender em qualquer cidade. Assim amanhã ou depois por conta de tantas denúncias infundadas esta empresa arruma as malas e deixa um buraco de desempregados nesta falida cidade. Por isso o motivo de falta de investimentos, pois nenhuma empresa quer se instalar em ITABUNA.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top