skip to Main Content
1 de outubro de 2020 | 04:42 am

PROFESSORES DE ITABUNA RECORREM AO MINISTÉRIO PÚBLICO CONTRA ATRASO DE SALÁRIO

Tempo de leitura: 2 minutos

Servidores protestam na entrada da Prefeitura de Itabuna|| Foto divulgação

O Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi) ingressou, na quarta-feira (10), com representação no Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra o prefeito Fernando Gomes e contra o município. A entidade reclama de atraso de salário para uma parte dos professores e erros no pagamento do 13º salário.
A presidente do Simpi, Maria do Carmo Oliveira, a Carminha Oliveira, informou, por meio da página do sindicato na internet, que os trabalhadores querem que o MP-BA analise as contas municipais e auxilie a classe na defesa dos seus direitos. Ela disse que na terça-feira (9) foram informados que cerca de 300 profissionais da educação, dentre os quais, professores, coordenadores, diretores e pessoal de apoio, estão sem previsão de receber os seus salários.
A sindicalista afirmou que um ponto que está intrigando não só os professores, como também os demais servidores públicos, é o fato de o prefeito Fernando Gomes alegar falta de recursos para pagamento de salários, mas promover carnaval antecipado, o que, segundo ela, demandará alto custo ao erário. “Não somos contra o entretenimento, mas deixar de pagar os servidores e promover festa é algo, no mínimo, irresponsável”, disse a dirigente sindical.
Já os servidores de outras áreas da administração municipal protestaram, pelo segundo dia seguido, no estacionamento do Centro Administrativo Firmino Alves (Prefeitura), no bairro São Caetano. Eles prometem novas manifestações para esta sexta-feira (12), a partir das 8h30min, em ação liderada pelo Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserv). Os funcionários também reclamam de atraso de salário do pagamento de dezembro.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Rapaz, o Ministério Público não vai tomar nenhuma atitude contra esse absurdo? É imoral o prefeito gastar dinheiro com festa enquanto os funcionários estão sem receber. O mais preocupante é que, se está assim no início do segundo ano do governo, o que será dos servidores – e da cidade – quando chegar 2020???

  2. Engraçado q na gestão de Vane, um carnaval foi barrado por conta de um surto de dengue, da seca, algo assim. Agora o prefeito não paga o salário e o MP se cala.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top