skip to Main Content
25 de maio de 2020 | 02:29 am

CACAU SUL-BAIANO CONQUISTA SELO DE INDICAÇÃO GEOGRÁFICA

Tempo de leitura: 2 minutos

Cacau sul-baiano conquista selo de Indicação Geográfica || Foto Maurício Maron

Viviane Cabral | Agência Sebrae
A Associação Cacau do Sul Bahia conquistou a Indicação Geográfica (IG) na espécie de Indicação de Procedência (IP) da amêndoa de cacau – Theobroma cacao L., publicada nesta terça-feira (30), pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). O reconhecimento é fruto de trabalho desenvolvido em conjunto com entidades que integram a Rede de Governança do Cacau e Chocolate na região, em parceria com o Sebrae.
A notícia foi comemorada pelos produtores de cacau da região, entre eles, um dos idealizadores do projeto de reconhecimento do produto, o produtor José Maltez, dono dos chocolates Maltez. “A Indicação Geográfica representa uma grande conquista para a região, que vai ter o cacau reconhecido nacionalmente”, afirma o produtor.
A Indicação Geográfica tem a finalidade de garantir proteção aos produtos oriundos de uma determinada cidade ou região. Para o diretor executivo da Associação Cacau Sul Bahia, Cristiano Santana, além de ser um registro, é um movimento que funciona como impulsionador. “O IG é um processo que vem sendo discutido há mais dez anos e se tornou uma ferramenta de agregação de valor, não só para a amêndoa, mas para a região como um todo”.
Dentre alguns passos que contribuíram para alcançar esse reconhecimento, Cristiano destaca o apoio das diversas instituições locais e regionais, a exemplo do Sebrae, que promoveram capacitações e orientações específicas com os produtores. “Nos próximos dias, já está prevista uma reunião com os produtores, no Centro de Inovação do Cacau, na Uesc, para que eles possam entender o processo de acesso ao selo, captação de recursos para investimentos e divulgação”.
A busca pelo IG do cacau do Sul da Bahia está entre as estratégias trabalhadas no projeto Cacau e Chocolate da Unidade Regional do Sebrae de Ilhéus. De acordo com a gerente regional do Sebrae, Claudiane Figueiredo, a conquista é um marco que exprime a mudança de narrativa da região Sul da Bahia. “Representa um passo importante de um sonho a ser realizado: sermos referência mundial em cacau de altíssima qualidade”.
LOCALIZAÇÃO
As amêndoas de cacau da região estão em uma área de aproximadamente 61.460 quilômetros quadrados. Os seguintes municípios fazem parte da Indicação de Procedência de cacau no Sul da Bahia: Aiquara, Alcobaça, Almadina, Apuarema, Arataca. Aurelino Leal, Barra do Rocha, Barro Preto, Belmonte, Boa Nova, Buerarema, Caatiba, Camacan, Camamu, Canavieiras, Coaraci, Cravolândia, Dário Meira, Eunápolis, Firmino Alves, Floresta Azul, Gandu, Gongogi, Guaratinga, Ibicaraí, Ibicuí, Ibirapitanga, Ibirataia, Igrapiúna, Iguaí, Ilhéus, Ipiaú, Itabela, Itabuna, Itacaré, Itagi, Itagibá, Itagimirim, Itaju do Colónia, Itajuípe, Itamaraju, ltamari, Itambé, Itanhém, Itapé, Itapebi, Itapitanga, Itororó, Ituberá, Jaguaquara, Jequié, Jiquiriçá, Jitaúna, Jucuruçu, Jussari, Laje, Maraú, Mascote, Mucuri, Mutuípe, Nilo Peçanha, Nova Canaã, Nova Ibiá, Nova Viçosa, Pau Brasil, Piraí do Norte, Porto Seguro, Potiraguá, Prado, Presidente Tancredo Neves, Santa Cruz Cabrália, Santa Cruz da Vitória, Santa Luzia, São José da Vitória, Taperoá, Teolândia, Ubaíra, Ubaitaba, Ubatã, Una, Uruçuca, Valença e Wenceslau Guimarães.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. A Região Sul da Bahia é muito forte e se juntarmos ao Extremo Sul, Sudoeste e Baixo Sul, confesso, vai se tornar ainda melhor, e renderá muitos frutos. Eu acredito.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top