skip to Main Content
24 de novembro de 2020 | 02:30 pm

DESCONFIANÇA E ABORRECIMENTO

Tempo de leitura: 2 minutos

Mutuários da Caixa cobram entrega de imóveis do Villa Verde|| Foto Arquivo

Mutuários da Caixa Econômica que compraram apartamentos no Condomínio Villa Verde, no Lomanto, em Itabuna, duvidam que a Construtora Casa Própria cumpra o prazo informado durante reunião com os dirigentes da Bahiagás, na sexta (24). Leovegildo Oliveira, dono da empresa, disse a dirigentes da Bahiagás que a obra será entregue em dezembro. Quem espera a entrega dos imóveis há mais de seis anos não acredita e observa que, no local, poucos funcionários estão trabalhando há meses.
A obra deveria ser entregue em 2012, mas os compradores dos mais de duzentos apartamentos foram surpreendidos com a quebra da Runa. Somente no último ano, a obra foi assumida pela Casa Própria. “Tem menos de dez operários na obra”, disse uma mutuária. A obra começou há quase 10 anos e foi interrompida com a quebra da Runa.
A grita dos mutuários também se dá em relação à Caixa Econômica. São seis anos de espera dos compradores – e de silêncio da Caixa Econômica, inclusive com registro de protestos na superintendência do banco em Itabuna (relembre aqui e aqui e aqui).
FLORES TROPICAIS
A grita contra a Casa Própria se dá também por parte de mutuários da Caixa que adquiriram imóvel em outro empreendimento, também em Itabuna, o Residencial Flores Tropicais. Mutuária que fechou contrato com a Casa Própria reclama que a empresa descumpriu prazos.
A entrega deveria ocorrer em junho, mas o dono da construtora alegou imprevistos (havia mais rochas que o esperado no terreno escolhido para o residencial). Porém, alega a mutuária, as obras estão paralisadas. Por contrato, a empresa tem mais seis meses, além do prazo inicial, para entregar os imóveis.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top