skip to Main Content
20 de junho de 2021 | 09:54 pm

FORAGIDO DA JUSTIÇA, ACUSADO DE MATAR EX-NAMORADA EM JEQUIÉ É PRESO NO CEARÁ

Tempo de leitura: 2 minutos

Acusado de matar ex-namorada (ao lado) foi preso em Fortaleza

Um homem suspeito de matar a ex-namorada a facadas em 2015, em Jequié, no sudoeste da Bahia, foi preso em Fortaleza (CE). De acordo com informações da policia do Ceará, Ricardo Oliveira dos Santos, de 28 anos, foi flagrado ao tentar fazer uma carteira de identidade usando um nome falso.
O crime ocorreu no dia 19 de novembro de 2015. A vítima, Andreia Barbosa Santos, de 20 anos, foi morta ao lado do filho do casal, que na época, tinha 2 meses. Ricardo chegou a ser preso e confessou o crime, mas recebeu liberdade provisória e fugiu. O suspeito estava foragido há 3 anos. Conforme a polícia cearense, o homem tentava se restabelecer em Fortaleza e, para isso, tentou o documento.
Segundo a polícia, Ricardo procurou um posto para tirar a identidade apenas com uma certidão de nascimento. Durante o atendimento, o suspeito contou que não possuía outro documento além da certidão, o que levantou suspeita.
De acordo com a polícia, foi realizado um levantamento – junto aos órgãos de segurança do Estado da Bahia – e identificado que, além de já possuir um número de documento de identidade em nome do suspeito, contra ele pesava um mandado de prisão em aberto, expedido pela Vara do Júri e Execuções Penais da Comarca de Jequié, desde fevereiro de 2017.
A PRISÃO NO CEARÁ
Quando Ricardo retornou para buscar o documento emitido no Ceará, que acabou não sendo confeccionado, ele foi preso por policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), que já o aguardavam.

Na delegacia, segundo a polícia, o homem afirmou que tentava tirar a identidade para se candidatar a uma vaga de emprego como pedreiro. Ricardo afirmou ainda que, após fugir da cidade onde cometeu o crime, passou por Paulo Afonso, no norte da Bahia, seguindo para o estado de Sergipe e para Fortaleza.
Ainda conforme a polícia, Ricardo disse também que, atualmente, morava em uma casa de recuperação para dependentes químicos, no município de Eusébio, na Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13). Do G1.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top