skip to Main Content
25 de fevereiro de 2020 | 04:14 pm

PESQUISA DE ESTUDANTES BAIANOS SOBRE A DIABETES É PREMIADA NOS EMIRADOS ÁRABES

Tempo de leitura: 2 minutos

Saulo Capim e Iago Lage são premiados na Milset Expo-Sciences International, nos Emirados Árabes

A pesquisa “Processamento da farinha da casca do Mangostão e seu uso na alimentação de pessoas com Diabetes tipo 1 e 2”, desenvolvida no Instituto Federal Baiano (IF Baiano), no campus de Catu, foi premiada na Milset Expo-Sciences International (ESI) 2019, junto com outros 500 projetos de jovens pesquisadores de 50 países. A premiação foi em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

A pesquisa foi apresentada, na semana passada, para um público de mais de 2 mil pessoas, pelo estudante do curso técnico em Química, Iago Lage, e o professor Saulo Capim, orientador do projeto. Também fazem parte do grupo de pesquisa os estudantes Enrick Melo e Daniela Silva, os orientadores, Cassiane Oliveira, Karina Pitta e Hildemar Lacerda, e técnicas em alimentos do campus,Suzana Carvalho e Raquel Nunes.

A pesquisa tem como objetivo desenvolver uma farinha que possa ser incorporada na alimentação de pessoas com diabetes tipo 1 e 2. “Propõe a adição da farinha do mangostão e (ou) substituição da farinha de trigo na produção de alimentos consumidos pelos diabéticos, gerando, assim, alimentos ricos em fibras e com baixo teor de açúcar e carboidratos o que de fato irá contribuir muito com a vida de uma grande parcela da sociedade que sofre desta doença”, explica o pesquisador e orientador do projeto, Saulo Capim.

A trabalho do IF Baiano foi um dos 15 projetos que representaram o Brasil no evento e ainda levou o prêmio destaque na área de Ciências da Saúde e a oportunidade de participar de evento na Costa Rica, em maio de 2020. “O IF Baiano arrebentou nos Emirados Árabes e nosso projeto foi muito elogiado e parabenizado, inclusive pelo ministro da educação daquele país”, conta Saulo Capim.

APOIO IMPORTANTE

A secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, Adélia Pinheiro, acredita que são exemplos de trabalhos como este que demonstram como é importante o investimento em pesquisa científica. “Quando falamos de apoiar projetos científicos, o fazemos como um investimento que vai retornar para a sociedade em forma de desenvolvimento e qualidade de vida.

A Secti reconhece o trabalho desses estudantes, que identificaram como oportunidade e desafio a forma de viver de pessoas que sofrem com a diabetes, buscando uma melhoria na qualidade de vida dessa parcela da população. Isso é ciência. A Secti tem orgulho de ser entusiasta desse projeto, que foi, inclusive, o primeiro da nossa série de reportagens chamada Bahia Faz Ciência”, afirmou.

A Milset Expo-Sciences International (ESI) é o maior evento nos Emirados Árabes Unidos com foco exclusivo na criatividade científica de jovens cientistas aspirantes de todo o mundo. A ESI é uma iniciativa do Movimento Internacional para Atividades de Lazer em Ciência e Tecnologia (MILSET), uma organização juvenil não governamental, sem fins lucrativos e politicamente independente, que visa desenvolver a cultura científica entre os jovens.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top