skip to Main Content
4 de agosto de 2020 | 11:35 am

ILHÉUS: TURISTA RELATA QUEIMADURA E VIGILÂNCIA INVESTIGA RELAÇÃO COM ÓLEO NAS PRAIAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Turista mineiro relatou ardência na pele ao sair da praia, na zona sul de Ilhéus

O empresário mineiro Anderson Gabriel Palmela, de 38 anos, sofreu queimaduras na pele durante um banho de mar na Praia dos Milionários, no último sábado (2), e foi atendido na tarde do mesmo dia no Pronto Atendimento da Zona Sul. A suspeita é de que a intoxicação tenha sido causado pelo óleo. A Vigilância de Saúde Ambiental do município investiga a relação.

Depois de ir para casa e tomar banho, percebeu que os sintomas pioraram. “Meu corpo começou a coçar e queimar muito no mar. Quando cheguei em casa, no banho, a água ficou escura no chão e oleosa, mas na praia eu não vi óleo”, contou o empresário ao Correio. Ele disse ainda que horas mais tarde, foi com o secretário de Saúde, Geraldo Magela, até a praia e viu fragmento de óleo no local.

Gleidson Santana, coordenador da Vigilância de Saúde Ambiental, disse que não há como relacionar o caso com a presença de óleo nas praias do Nordeste. “A partir da notificação desse caso, que foi isolado, a Vigilância investiga e alimenta o sistema. Acionamos o Centro de Toxicologia para informar a situação. O rapaz será encaminhado ao dermatologista que fará novos exames”. Desde o dia 25, mais de 10 toneladas de óleo foram retiradas de praias de Ilhéus.

Mais de 10 toneladas de óleo foram retiradas das praias em Ilhéus || Foto Divulgação

ORIENTAÇÃO

Enquanto as investigações buscam identificar a origem do problema, a orientação da Vigilância à população é evitar o contato com o óleo, porque existem sintomas pelo contato dermatológico, por inalação e ingestão. Diante disso, recomenda-se a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

A Secretaria Municipal de Saúde orienta para o caso de entrar em contato com o óleo, a população deve tomar cuidado ao retirar o produto. Se houver reação alérgica, ou ingestão incidental, procurar um posto de saúde mais próximo. Recomenda-se usar água e sabão, fricção mecânica e evitar retirar o produto com soluções tóxicas.

Cerca de 20 dias antes da chegada das primeiras manchas de óleo, a Prefeitura Municipal, junto à Marinha do Brasil, Corpo de Bombeiros Militar da Bahia e órgãos ambientais, articulou uma megaoperação para controle e combate ao óleo, reunindo militares e técnicos com a participação de centena de voluntários para limpeza das praias.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top