skip to Main Content
27 de fevereiro de 2020 | 01:50 am

AZEVEDO DIZ QUE VAIDADE DENTRO DA EQUIPE PROVOCOU DERROTA ELEITORAL EM 2012

Tempo de leitura: 9 minutos

O ex-prefeito Capitão Azevedo diz que a disputa entre as áreas de marketing e de coordenação de campanha, por vaidade, causou a sua derrota em 2012, quando tentou a reeleição. Azevedo perdeu para Claudevane Leite (Vane do Renascer) por uma diferença de 1.107 votos (45.623 a 44.516). Pré-candidato pelo PL, Azevedo concedeu entrevista ao PIMENTA e diz que errou ao não adotar critério técnico na formação da equipe de governo em 2009, quando assumiu a Prefeitura de Itabuna.

Hoje, Azevedo diz ter um grupo novo e que governará ouvindo todos os setores da sociedade. Para ele, a vitória em 2008 oxigenou a política de Itabuna ao interromper a polarização entre os grupos de Fernando Gomes e de Geraldo Simões. Atribui a si o título de recordista na captação de recursos e execução de grandes obras, embora fosse de um partido de oposição aos governos estadual e federal à época.

Na última semana, parte da entrevista já havia sido publicada, quando Azevedo respondia se aceitaria ser vice de Fernando Gomes. Diz que sua condição não será outra que não a cabeça de chapa. Também fala que, se eleito, vai “destravar a cidade” apostando em mobilidade urbana. E diz ter sido frustrado pelo ex-governador Jaques Wagner, que prometeu duplicar o trecho da BR-415 que vai da Nova Itabuna até Ferradas. Abaixo, confira a íntegra da entrevista que abre a série com pré-candidatos.

Blog Pimenta – O senhor terminou a disputa de 2016 em 4º lugar. Por que a decisão de se candidatar novamente a prefeito?

Capitão Azevedo – Agora ficou mais claro para a população que os meus sucessores [Vane do Renascer e Fernando Gomes] não tiveram a mesma capacidade para captar recursos e executar obras. Sem apoio político, nós captamos R$ 98 milhões e executamos grandes obras, como a cobertura do Canal Lava-Pés, na Avenida Amélia Amado. Lembra como era aquilo quando chovia? Demos outra cara àquela região. Ali passam 90% dos ônibus de Itabuna.

Pimenta – Essa seria a razão principal?

Azevedo – Olha, nós trabalhamos nos bairros direitinho, fazendo esgotamento sanitário, asfaltando, construindo casas dignas. São Pedro, Manoel Leão, Santa Clara, Maria Pinheiro, Zizo, Daniel Gomes, Pedro Jerônimo. No Maria Pinheiro, existia uma rua que chamavam de Rua da Bosta. Esse era o nome real. O esgoto corria pela rua. Hoje isso é passado. Bairros que não eram vistos pelo poder público. Atacamos a infraestrutura, investimos nas pessoas.

____________

Existiam ali, [na eleição de 2012], a equipe de marketing e a coordenação, que estavam tendo desentendimentos e aquilo prejudicou. Foi vaidade. Cada um querendo ser melhor que o outro.

_________

Pimenta – O senhor diz que fez captação recorde de recursos, executou grandes obras. A que o senhor atribui a não reeleição?

Azevedo – Eu atribuo a erros dentro da equipe. Na véspera do pleito, no sábado, fizemos a maior caminhada da história de Itabuna. Os adversários filmaram tudo e tomaram providência para agir na virada da noite, foram para o voto útil. Veja só: perdi a eleição de forma apertada, por 1.107 votos.

Pimenta – E o “racha” interno…

Azevedo – Exatamente. Existiam ali a equipe de marketing e a coordenação, que estavam tendo desentendimentos e aquilo prejudicou. Foi vaidade. Cada um querendo ser melhor que o outro. Isso, realmente, cria embaraços, é até comprometedor.

Pimenta – O que o senhor não repetiria em um eventual governo?

Azevedo – Não repetiria o critério de formação da equipe. Hoje, temos que ter técnicos para dar os resultados que a sociedade precisa. Estamos buscando a inteligência das universidades daqui, ouvindo todos os setores. Vamos ouvir o empresariado, trazer grandes investimentos para gerar emprego que é o que nossa juventude precisa.

Pimenta – Com quem o senhor está conversando em relação a alianças?

Azevedo – Estamos conversando com todo mundo. Temos que sair dessa briga ideológica, partidária. Só traz atrasos. A cidade vem perdendo terrivelmente competitividade. O momento exige alguém sem barreiras ideológicas, partidárias, que seja suprapartidário. Quando prefeito, nós quebramos a polarização que existia em Itabuna. A cidade respirou.

Pimenta – O senhor disse que está aberto, vai procurar todo mundo. O senhor procuraria o prefeito para novamente formar chapa?

Azevedo – Eu nem sei se o prefeito é candidato. Isso é lá na frente que vai se ver. Eu estou decidido. Não abro mão da cabeça de chapa.

Pimenta – O senhor não aceitaria composição sendo vice?

Azevedo – Em hipótese alguma. Isso está descartado. O projeto nasceu, está aqui na minha mente. Vamos colocar nossa proposta para a sociedade, com um novo modelo. A gente realmente reconhece os erros que tivemos no governo e eles devem ser corrigidos. Além do lado da resposta do desenvolvimento socioeconômico da cidade, temos que buscar respostas para cuidar da dignidade humana.

____________

A gente não pode aceitar que uma mãe não possa ser atendida na hora do parto, tendo que se deslocar pra Ilhéus, Jequié ou outra cidade para ter filho, criança morrendo em porta de hospital.

_________

 

Pimenta – O senhor tem sido cuidadoso nas críticas ao governo de Fernando. Isso se deve a quê? É pensando em aliança?

Azevedo – Nós temos que respeitar as pessoas. Sou amigo de Fernando, mas quando chega na questão administrativa, a gente não pode aceitar que uma mãe não possa ser atendida na hora do parto, se deslocando pra Ilhéus, Jequié ou outra cidade para ter filho. Criança morrendo em porta de hospital. A gente não pode aceitar isso. Veja, faço crítica construtiva, para melhorar.

Pimenta – O senhor faria composição com o prefeito Fernando Gomes?

Azevedo – Fernando Gomes tem a linha dele e eu tenho a minha. Eu estou decidido a ser cabeça de chapa e ir até o final… Agora, não podemos rejeitar apoios. Quem quiser me seguir…

Pimenta – E partido, o senhor vai para a disputa no PL mesmo?

Azevedo – Pelo PL, 22.

Pimenta – Está fechado?

Azevedo – (risos) Está, e com garantia.

Pimenta – Com a garantia de quem?

Azevedo – Do presidente, José Carlos Araújo.

Pimenta – E essa disputa de Araújo com o João Bacelar, que é ligado a Fernando Gomes, não pode deixar o senhor sem legenda?

Azevedo – O presidente me garantiu. Confio na palavra dele. Ele disse “eu sou homem e enfrentei o maior chefe de quadrilha desse país, o Eduardo Cunha. Eu garanto o partido”. Ali, ele demonstrou o perfil de homem determinado…

Pimenta – O PL é da base. O senhor buscará os partidos da base do governo estadual?

Azevedo – Eu não tenho restrições. Hoje a nossa base é Itabuna. Queremos criar o momento. Quando o político se elege, ele tem que procurar o governador, o presidente. A gente não tem como fugir disso aí. Eu era prefeito pelo Democratas e consegui recursos no Estado e na União em governos que eram do PT, com [Jaques] Wagner e Lula. Quebramos esse paradigma. Agora, eu tive sanções, né? Na saúde, a gente não recuperou a gestão plena [perdida no governo de Fernando Gomes, em novembro de 2008, e só recuperada em 2013, com Vane do Renascer].

 

____________

Olha, no meu governo só foram dois secretários de saúde. Quanto mais muda de secretário, complica. E os efeitos são terríveis para a sociedade, para quem mais precisa.

_________

 

Pimenta – O senhor acha que escolheu os melhores quadros para a Saúde?

Azevedo – Olha, a saúde é uma pasta complicada. Dr. Antônio Vieira contribuiu bastante. Depois, entendemos que deveríamos ter um alinhamento político, havia boicote em algumas áreas, e nomeamos um outro secretário, [Geraldo Magela, hoje secretário de Ilhéus]. Olha, no meu governo só foram dois secretários de saúde.

Pimenta – É uma crítica indireta a Fernando Gomes, que está no sexto secretário de Saúde desde 2017?

Azevedo – É dizer que é uma área complicada e só foram dois, né? Acho que quanto mais muda de secretário há solução de continuidade, complica. E os efeitos são terríveis para a sociedade, para quem mais precisa.

Leia Mais

MULHER É ACUSADA DE MATAR AMIGA PARA ROUBAR BEBÊ NO EXTREMO-SUL

Tempo de leitura: 2 minutos

Letícia foi assassinada no início do mês

A Polícia Civil acredita ter desvendado o mistério em torno da morte de uma mulher e o sequestro de um bebê em Eunápolis, no extremo-sul da Bahia, no início deste mês. De acordo com a polícia, Sílvia Letícia Araújo Pacheco, de 26 anos, foi assassinada por uma amiga.

O corpo da vítima foi encontrado no dia 4 deste mês já em estado de decomposição, no interior da casa onde morava com a criança.A acusada seria Helainne Alves, de 32 anos, que estaria foragida desde que a história foi descoberta.

Segundo as investigações, Sílvia Letícia foi assassinada pela amiga que havia inventado uma gravidez e queria roubar o filho da vítima para apresentá-lo como filho dela. Conforme a Polícia Civil, a mulher planejou os crimes: a morte da vítima e sequestro do bebê, que na época tinha dois meses de idade.

A polícia descobriu que a mulher decidiu roubar o bebê para enganar um namorado, que tinha deixado o município, mas seguia com relacionamento a distância. A acusada informou para o namorado que estava grávida e exigiu que ele retornasse para cidade por causa do falso bebê.

Como não estava grávida, a suspeita teria decidido a roubar a criança para apresentar o namorado como se fosse filho dele. A criança foi localizada semanas depois e entregue para parentes da vítima, que moram em Porto Seguro, também no extremo-sul do estado. A acusada está sendo procurada pela polícia.

ESTADO ANUNCIA R$ 25,6 MILHÕES PARA DUPLICAÇÃO DE PONTE E AVENIDA EM JEQUIÉ

Tempo de leitura: 2 minutos

Governo do estado vai duplicar ponte e avenida em Jequié

O governador Rui Costa assina, nos próximos dias, em Jequié, no sudoeste da Bahia, ordem de serviço para a duplicação da ponte sobre o Rio de Contas e a requalificação e duplicação da Avenida Toti Lomanto, que liga a BR-116 ao Centro da Cidade. Antiga reivindicação dos moradores, as intervenções vão desafogar o trânsito em dois pontos de grande movimentação.

No caso da ponte, a ideia é fazer fluir o tráfego de veículos e garantir maior segurança a pedestres e ciclistas que diariamente fazem a travessia do Rio de Contas, que separa o Centro da cidade do populoso bairro Mandacaru e do Centro Industrial de Jequié.

Realizada com recursos do Estado e orçada em R$25,6 milhões, a obra contempla a construção da ponte em pré-moldado de concreto, com ciclovia e passeio, e a articulação viária de todo o entorno, o que significa a requalificação das vias adjacentes com praça, equipamentos públicos, passeio e nova pavimentação.

Leia Mais

HOSPITAL COSTA DO CACAU REGISTRA 45 MIL ATENDIMENTOS DE EMERGÊNCIA EM 12 MESES

Tempo de leitura: 2 minutos

Hospital faz 45 mil atendimentos emergenciais

O setor de Emergência do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, registrou 44.895 atendimentos no ano passado. A unidade de saúde atende pacientes de 70 municípios e beneficia cerca de 1,7 milhão de pessoas do sul e baixo-sul da Bahia, sendo considerado um dos maiores hospitais do Estado.

O diretor assistencial do HRCC, Almir Gonçalves, explica que o hospital reduziu de maneira significativa o número de óbitos na urgência e emergência, ao mesmo tempo elevou e qualificou o atendimento do setor. “Em relação os anos anteriores, em 2019 reduzimos o número de óbitos, conforme levantamento epidemiológico sobre mortalidade institucional. O acompanhamento é feito pela Comissão de Revisão de Óbitos”, conta.

Para o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, a redução das taxas de mortalidade nesses procedimentos emergenciais é reflexo dos investimentos realizados pela gestão do governador Rui Costa em toda a malha hospitalar no estado. “É uma estrutura que, além de contar com equipamentos de ponta, buscamos atrair equipes mais preparadas e dedicadas para o setor público baiano. A Bahia é o estado que mais investe em saúde pública em todo o país”, diz o secretário.

A paciente Júlia Cardoso Soares, de 27 anos, moradora de Ilhéus, faz um relato emocionado sobre seu acolhimento no HRCC. “Tive um problema e fui levada a UPA da zona sul e, depois para cá, onde cheguei tremendo, quase convulsionando, pressão alta. Eu seguia para uma hospital de Itabuna, conveniado ao meu plano de saúde, mas minha mãe pediu para parar aqui, porque eu poderia não aguentar chegar até lá. Aqui, meu atendimento foi rápido, de imediato. Foram correndo me estabilizar e controlar minha pressão. Devido à excelência do atendimento, qualidade da assistência e medicamento disponível, ficamos aqui no SUS”, relembra.

Leia Mais

ITABUNA: CARRO QUE TERIA SIDO USADO EM SEQUESTRO É APREENDIDO PELA PRF

Tempo de leitura: 2 minutos

PRF apreende carro roubado

Policiais rodoviários federais apreenderam, na madrugada de quinta-feira (30), na BR-101, no sul da Bahia, um veículo Fiat Strada, prata, que pode sido utilizado num suposto sequestro de um homem em Itabuna. O crime teria ocorrido na noite de quarta-feira (29), quando pelo menos dois homens cercaram um terceiro, que foi obrigado entrar no veículo. A ação foi filmada por câmeras de seguranças do bairro.

Os agentes apreenderam o veículo depois de uma perseguição pela BR-101. Os bandidos descumpriram uma ordem dos policiais, quando trafegavam em frente à Delegacia da PRF, e iniciaram uma fuga em alta velocidade pela rodovia. De acordo com os policiais,  o motorista transitou em velocidade incompatível, sem observar as normas gerias de circulação e conduta prudente no trânsito, bem como desrespeitou às sinalizações dos trechos, colocando em risco a segurança de todos.

A caminhonete só parou após o condutor perder o controle da direção e colidir com uma defensa metálica às margens da rodovia.Os suspeitos abandonaram o carro e fugiram pelo matagal. Após  consulta ao sistema de dados da PRF, os agentes descobriram se tratar de um automóvel roubado em 6 de janeiro do ano passado, em Itabuna.

O veículo apreendido foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Itabuna para os procedimentos cabíveis e posterior devolução ao proprietário. Nenhum dos suspeitos foi preso até o momento. Também não há informações sobre o paradeiro do homem que teria sido sequestrado no Zildolândia.

CAI O NÚMERO DE DESEMPREGADOS, MAS A INFORMALIDADE É A MAIOR DOS ÚLTIMOS ANOS

Tempo de leitura: 4 minutos

Aumenta o número de pessoas na informalidade 

A taxa média de desocupação baixou de 12,3% em 2018 para 11,9% em 2019, a segunda queda anual consecutiva, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).A pesquisa revelou um contingente de 12,6 milhões de pessoas desocupadas, no ano passado, 1,7% a menos do que em 2018. Porém, na comparação com o menor ponto da série, quando atingiu 6,8 milhões em 2014, a população sem trabalho quase dobrou, crescendo 87,7% em cinco anos.

A soma dos trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar – atingiu 41,1% da população ocupada, o equivalente a 38,4 milhões de pessoas, o maior contingente desde 2016, apesar da estabilidade em relação a 2018. “Houve um aumento de 0,3 ponto percentual e um acréscimo de um milhão de pessoas”, avalia a analista da PNAD Contínua, Adriana Beringuy.

O Brasil conta com 11,6 milhões de trabalhadores sem carteira assinada no setor privado, exceto empregados domésticos – expansão de 4% em relação a 2018 e o mais alto patamar da série histórica iniciada em 2012. O número de trabalhadores por conta própria atingiu o maior nível da série, subindo para 24,2 milhões, sendo que a maior parte (19,3 milhões), sem CNPJ. O número também representa um acréscimo de 3,9 milhões de pessoas desde 2012. Na comparação com 2018, a expansão foi de 4,1% (958 mil).

Esses dados mostram que apesar da ligeira melhora no número de trabalhadores com carteira assinada, com a expansão de 1,1% pela criação de 356 mil vagas – interrompendo a trajetória descendente entre 2015 e 2018 –, ela não foi acompanhada pelos indicadores de informalidade na passagem de 2018 para 2019. Do acréscimo de 1,8 milhão no número de ocupações, 446 mil foram vagas sem carteira assinada; e a maior parte, 958 mil, são ocupações de trabalhadores por conta própria, dos quais 586 mil sem CNPJ.

Leia Mais

APÓS CRÍTICAS AO GOVERNADOR, ANGELO CORONEL CONVIDA RUI COSTA PARA SE FILIAR AO PSD

Tempo de leitura: < 1 minuto

Coronel convida Rui para o PSD para disputar a presidência da República

O senador Ângelo Coronel (PSD) convidou publicamente o governador Rui Costa (PT) para se filiar ao PSD para ser candidato a presidente do Brasil. “O PT nacional não quer Rui Costa como candidato a presidente do país em 2022, por isso acredito que ele venha para o PSD e seja candidato a presidente do país”, disse ele ao Políticos do Sul da Bahia.

O convite ocorre em um momento em que Coronel tem criticado tanto Rui como Jaques Wagner, porque a dupla estaria estimulando a candidatura de Major Denice, da Ronda Maria da Penha, à Prefeitura de Salvador. Para Coronel, Rui estaria discriminando as pré-candidaturas masculinas. Coronel é um dos nomes na disputa na capital baiana.

NESTE 31, HOMENAGENS PÓSTUMAS PARA CHARLES HENRI

Tempo de leitura: 3 minutos

Walmir Rosário

 

Perdemos nós as suas ideias – extravagantes, para alguns pobres de espírito – e que nos faz falta pela alegria contagiante. Hoje, em seu aniversário, será tudo diferente do que ele faria: não teremos bolo, não teremos champagne, nem cantaremos parabéns.

 

Hoje, 31 de janeiro, comemoramos o aniversário de Carlos Henrique Brito do Espírito Santo, o fenomenal Charles Henri, itabunense que conquistou o Brasil com sua irreverência e modo de viver. Na minha humilde concepção, morre o homem mas fica a fama (melhor seria conceito), daí considerar a data como dia de comemoração. Fui alertado pelo Facebook, apontando, que se vivo estivesse, completaria hoje 72 anos.

Confesso que não sou bom (péssimo, aliás) para lembrar os aniversários dos amigos e familiares, o que considero de minha parte uma falta de educação ou reciprocidade com pessoas da minha estima. Muito sabem disso e nem por isso nossa amizade fica estremecida. Em nome dessa legião cito como um bom exemplo o amigo Rui Carvalho, sempre o primeiro a me felicitar, embora a recíproca não seja verdadeira. Deixa pra lá.

Charles Henri continua merecendo todas as honras no dia do seu aniversário e fora dele pelo que representou para o jornalismo itabunense e regional. Além de mudar o vocabulário que nem todos os leitores de jornais entendiam, viveu com intensidade a vida social(?), promovendo festas monumentais com todos requintes dos grandes centros do Brasil e do mundo.

Mas falar de Charles Henri referindo-se apenas às festas que promovia é uma atitude mesquinha e que não condiz com a grandeza de suas atitudes quando o assunto era a sociedade. Não me prendo à alta sociedade comumente compreendida pelos frequentadores assíduos das colunas sociais escritas por Charles e tantos outros que se dedicaram a este segmento do jornalismo.

Destaco o Charles Henri destemido que assumiu o Itabuna Esporte Clube após ter sido abandonado pelos cartolas devido aos altos investimentos que nem sempre alcançavam os resultados pretendidos. Mostrou ser possível formar uma grande equipe investindo dedicação, unindo forças antagônicas em torno de um ideal. Com a mesma determinação que solicitava recursos aos cacauicultores, reivindicava a construção do estádio.

Quando dado como “morto” o Sindicato de Jornalistas do Sul da Bahia, Charles Henri partiu para mais uma ressurreição e se lançou candidato à presidência da entidade, vencendo mais uma peleja. Suas empreitadas não tinham limite e sempre foram vencedoras por atuar com foco e denodo, conseguindo reunir pessoas diversas num mesmo ideal.

Com a mesma dedicação que organizava um evento para uma autoridade pública, para uma pessoa de posses (financeira), com todo o requinte promovia um encontro com amigos despossuídos. Muito comum receber dele o convite para participar de um almoço, jantar, enfim, qualquer evento para homenagear uma pessoa de sua (nossa) convivência dentro dos padrões do custo 0800.

Charles Henri desfilando no carnaval do Rio de Janeiro pela Escola Beija-Flor

Charles Henri vivia, de forma macro, a sociedade 24 horas por dia. Com o mesmo destaque desfilavam por suas colunas pessoas poderosas, bem como as desconhecidas do high society. Viveu todo o luxo e riqueza da época áurea do cacau, acudiu instituições no período do debacle (vacas magras), atravessou com galhardia o período de recuperação econômica com o mesmo fôlego e galhardia em que desfilava como um dos principais destaques da Escola de Samba Beija-Flor no carnaval carioca.

Em novembro de 2018 Charles Henri muda de projeto, nos deixa neste mundo e parte para o além ou qualquer lugar neste universo. Perdemos nós as suas ideias – extravagantes, para alguns pobres de espírito – e que nos faz falta pela alegria contagiante. Hoje, em seu aniversário, será tudo diferente do que ele faria: não teremos bolo, não teremos champagne, nem cantaremos parabéns.

Nos basta a lembrança desta magnífica figura humana.

Walmir Rosário é jornalista, radialista e advogado, além de editor do Cia da Notícia.

EMPRESAS TÊM SÓ ATÉ HOJE PARA QUITAR DÍVIDA E CONTINUAR NO SIMPLES

Tempo de leitura: < 1 minuto

Prazo de adesão e para quitar dívida acaba nesta sexta

Termina nesta sexta (31) o prazo para o pequeno e micro empresário continuar no regime de tributação do Simples Nacional. Para quem ainda tem dívida ou pendência com estado, município ou União, é necessário comprovar a quitação do débito para poder continuar no Simples Nacional. O prazo também se aplica a empresários interessados em aderir ao regime pela primeira vez. Quem perder o prazo, terá que aguardar até o ano que vem para pedir adesão.

O Simples Nacional é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos para micro e pequenas empresas. Dentre suas vantagens está o de agregar oito impostos e contribuições de estados, municípios e da União em uma única arrecadação, facilitando a burocracia do pequeno empresário.

Além disso, de acordo com Carlos Melles, presidente do Sebrae, o regime do Simples Nacional prevê alíquotas menores: de 4,5% para o comércio e 11% para os outros setores.

“A previsão é de impostos muito mais baixos, ou seja, que vão de 4% a 4,5% para o comércio até 11% ou 11,5% para outros setores, contra uma carga tributária de 36%, que é a carga tributária do empresariado brasileiro.”

Até o momento, foram realizadas 534.794 solicitações para o Simples Nacional, sendo que dessas foram deferidas mais de 190 mil.

Para obter mais informações, basta acessar o portal do Simples Nacional no site da Receita Federal.

ITABUNA: ÔNIBUS DESTRÓI GUARITA EM ACIDENTE NA GARAGEM DA ROTA TRANSPORTES

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ônibus destruiu guarita e parte de moto na entrada da garagem, em Itabuna

Um ônibus desgovernado destruiu a guarita da sede da Rota Transportes, no Bairro Santo Antônio, em Itabuna, na manhã desta sexta-feira (31). O veículo estava deixando a garagem, quando ocorreu o acidente. O ônibus foi fabricado em 2005 e é usado em linhas que serve os municípios de Ilhéus, Itabuna, Itajuípe e Buerarema.

Não se sabe se o acidente foi causado por falha mecânica. A empresa ainda não se posicionou. Ninguém ficou ferido, apesar da cena de destruição no local. Uma moto também foi atingida pelo ônibus.

Back To Top