skip to Main Content
8 de maio de 2021 | 11:34 pm

EM ILHÉUS, LIXO É DESCARTADO NO RIO ALMADA POR FALTA DE CAIXA COLETORA

EM ILHÉUS, LIXO É DESCARTADO NO RIO ALMADA POR FALTA DE CAIXA COLETORA
Tempo de leitura: < 1 minuto

Vista aérea do esquecido Banco do Pedro, em Ilhéus

Segundo distrito mais populoso de Ilhéus, Banco do Pedro, local que tem uma ponte centenária que serviu de cenário da novela global Renascer, a comunidade é obrigada a descartar o lixo nas margens do Rio Almada. Faltam caixas coletoras. “Nós sofremos há anos com o descaso da prefeitura. O lixo só é recolhido uma vez por semana”, afirmou a moradora Ângela Santos.

E o problema sanitário aumenta em períodos de chuvas. O lixo é arrastado para o rio, responsável pelo abastecimento de várias comunidades ribeirinhas e dos municípios de Uruçuca e Itabuna. A comunidade é abastecida com água bruta sem tratamento.

“Aqui a prefeitura só olha para nós na festa do Senhor do Bomfim, em janeiro, quando arruma a estrada, pinta meios fios e a praça, o resto do ano sofremos com ônibus velhos, estradas ruins, atendimento precário na saúde e educação”, relata Ângela.

DA OBRA, NEM A PLACA

Em 2007 foi colocada uma placa anunciando a construção de quadra poliesportiva. A placa da obra foi retirada e não se sabe informar o destino do equipamento esportivo. E do dinheiro. Banco do Pedro, que engloba a famosa Vila de Rio do Braço, que tem um casario da década de 30 e serviu como principal cenário de Renascer, sofre também com falta de segurança, pontes precárias e estradas vicinais esburacadas. Para o conserto comerciantes e moradores fazem “vaquinha”.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top