skip to Main Content
18 de janeiro de 2021 | 01:33 am

MORRE EX-JOGADOR MARADONA, AOS 60 ANOS

MORRE EX-JOGADOR MARADONA, AOS 60 ANOS
Tempo de leitura: 2 minutos

Do Canal ESPN

Morreu nesta quarta-feira, aos 60 anos, a maior personalidade do esporte da Argentina e um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, Diego Armando Maradona Franco.

O craque não resistiu a uma parada cardiorrespiratória sofrida em sua casa neste 25 de novembro. Várias ambulâncias foram ao local para tentar reanimá-lo, mas não foi possível.

O ex-jogador deixa órfãos oito filhos, além de um país inteiro e uma legião de fãs espalhados por todo o planeta, apaixonados pelo gênio controverso de um dos esportistas mais talentosos e autodestrutivos a competir em alto nível na História.

Dalma, 33, e Giannina, 31, são frutos de seu casamento com Claudia Villafañe, com quem ele viveu uma relação intermitente entre 1989 e 2003.

Na Itália, vivem Diego Júnior, 34, filho de Cristina Sinagra, concebido na época em que ele jogou pelo Napoli, e Jana Maradona, 24, de Valeria Sabalain.

Recentemente, ele teve Diego Fernando, atualmente com 7 anos, com Verónica Ojeda. Segundo a Justiça Cubana, Maradona tem ainda outros três filhos na ilha centro-americana, que ele morreu sem reconhecer.

Ídolo dos argentinos, dos torcedores de Boca Juniors e Napoli e de amantes de futebol em geral, Maradona despertou adoração a ponto de ter uma igreja fundada em seu nome em seu país.

A Igreja Maradoniana La Mano de Dios, em Rosário, tem entre seus mandamentos “declarar amor incondicional a Diego e ao futebol”.

D10s (Deus, em Espanhol, grafado com numerais que formam um 10), aliás, era um de seus muitos apelidos.

Seu talento exuberante fez surgir por todo mundo gerações de garotos batizados como Diego em sua homenagem, que hoje têm entre 30 e 40 anos.

Entre eles, está o autor deste obituário.

Maradona liderou a Argentina na conquista da Copa do Mundo de 1986, no México, sobre a Alemanha Ocidental. Disputou também as copas de 1982, na Espanha; 1990, na Itália; e 1994, nos EUA, onde foi flagrado no antidoping pelo uso de efedrina, um estimulante.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top