skip to Main Content
11 de maio de 2021 | 12:29 am

PESQUISA DO SEBRAE REVELA EXPECTATIVA DOS EMPRESÁRIOS DO VAREJO BAIANO PARA 2021

PESQUISA DO SEBRAE REVELA EXPECTATIVA DOS EMPRESÁRIOS DO VAREJO BAIANO PARA 2021
Tempo de leitura: 2 minutos

Para entender as expectativas dos empresários do varejo para 2021, o Sebrae Bahia realizou uma pesquisa que mostrou a avaliação dos empreendedores em relação aos temas de finanças, vendas, meios de atuação e outros assuntos.

De acordo com o levantamento, 32% dos entrevistados afirmaram que o volume de vendas está ruim, mas em recuperação, enquanto 25% disseram que o movimento está bom, mas reconhecem que era melhor antes da pandemia. Outros 23% responderam que as vendas estão satisfatórias e 13% assumiram que as vendas seguem péssimas. Apenas 7% dos empresários entrevistados expressaram satisfação total com o volume de vendas.

Em relação à administração financeira, 84% disseram que realizam o controle internamente e 9% terceirizam o serviço. Outros 7% fazem internamente, com um funcionário dedicado às finanças. O levantamento mostrou ainda que 77% afirmaram que precisam melhorar a administração financeira do negócio.

Quanto ao modelo de comercialização, a maioria (52%) afirmou que realiza de forma híbrida (presencial e online), utilizando as redes sociais como Instagram, WhatsApp e Facebook, site ou loja virtual e marketplaces. Outros 40% disseram que atendem as clientes de forma presencial e apenas 8% comercializam seus produtos exclusivamente online.

Quando perguntados quais as redes sociais que utilizam com mais frequência, a maioria (82%) utiliza o WhatsApp e Instagram, seguido de Facebook (47%), Youtube e Messenger (ambos com 7%), Telegram (5%), Tiktok (2%) e Twitter (1%).

A PESQUISA

A pesquisa entrevistou 425 empresários baianos e foi realizada nos meses de novembro e dezembro de 2020, por meio de questionário online. O intervalo de confiança é de 95%.

Dentre os empresários entrevistados, 66% dos empreendedores do varejo são do sexo feminino, com idade média de 40 anos.

Em relação ao enquadramento, 58% dos empreendimentos são Microempreendedor Individual (MEI), 36% deles atuado no segmento de vestuário e acessórios e 19% em alimentação.

Cerca de 48% dos empreendimentos estão até com 2 anos de comércio aberto e ativo e 43% atuam na rua e 31% em centro comercial. Mais de 70% não possuem nenhum registro oficial em instituições e 96% possuem de 0 a 10 funcionários.

O levantamento foi realizado pela Unidade de Gestão Estratégica (UGE) do Sebrae Bahia, demandado pela Unidade de Atendimento Coletivo (UAC) e Coordenação de Comércio e Serviços da entidade.

RENOVA VAREJO

Com a mudança de comportamento do consumidor, que está cada vez mais digitalizado, bem como o avanço das compras online e marketplaces, as empresas varejistas precisam se adaptar para enfrentar um mercado ainda mais exigente. E, para apoiar os empreendedores do varejo baiano nesse momento que requer uma verdadeira transformação, o Sebrae lança o Movimento Renova Varejo, que pretende transformar o varejo baiano, elevando a maturidade digital dos empresários e preparando suas empresas para as demandas atuais.

Durante seis meses, os empresários que aderirem ao Movimento terão 38 horas de consultoria individual com especialista em marketing e vendas, e 12 horas de ações coletivas para capacitação sobre assuntos estratégicos da gestão, incluindo curso de 6 horas com o Alfredo Soares, autor dos livros Bora Vender e Bora Varejo.

O movimento é voltado especialmente para empresários de micro e pequenas empresas de vestuário, calçados, tecidos, cama, mesa e banho, minimercados, comércio de alimentos e bebidas, itens para casa, material de construção, equipamentos e suprimentos de informática.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top