skip to Main Content
20 de abril de 2021 | 10:40 am

O SILÊNCIO DA SESAB E DA SESAU SOBRE A CORONAVAC EM ILHÉUS

O SILÊNCIO DA SESAB E DA SESAU SOBRE A CORONAVAC EM ILHÉUS
Tempo de leitura: 2 minutos

Quantas doses da vacina Coronavac Ilhéus recebeu em 24 de fevereiro?

O Blog do Gusmão, com sede em Ilhéus, buscou saber. Mas, porém, contudo… Esbarrou na má-vontade das secretarias de Saúde Estadual (Sesab) e Municipal (Sesau), conforme relato em publicação desta terça (2).

Segundo a publicação, o Núcleo Regional de Saúde da Sesab, sediado em Ilhéus, alegou não ter autonomia/autorização para fornecer esta informação, que, veja só!, é de utilidade pública e reforçaria a transparência quanto à distribuição e ao uso dos imunizantes tão escassos neste Brasil governado pelo negacionista Jair Bolsonaro.

“Sem qualquer tipo de justificativa pertinente, a Secretaria Estadual de Saúde se recusa a informar quantas vacinas Coronavac Ilhéus recebeu no dia 24 de fevereiro”, sustenta o blog editado pelo comunicólogo e jornalista Emílio Gusmão.

Ainda conforme o editor, a Secretaria de Saúde de Ilhéus teria adotado postura idêntica ao receber mais de 1,3 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca.

“Antes da Sesau-Ilhéus informar com atraso o recebimento da nova remessa de imunizantes da faculdade britânica, o BG, por meio do Núcleo Regional de Saúde Sul, conseguiu levantar a quantidade”.

O site especula que a publicação informando a quantidade de doses do imunizante da Oxford pode ter irritado autoridade municipal e levado o NRS-Sul a dificultar ou não passar informações sobre as doses de Coronavac recebidas no último 24 de fevereiro. A direção do Núcleo Regional foi pressionada?

A repartição regional, diz o site, disse que repassar a informação dependia de autorização da área de comunicação da Sesab. “Antes não havia dificuldade”, destacou o Blog do Gusmão.

A postura da Sesab levanta interrogações e aumenta especulações em um período em que a imprensa profissional é essencial para o combate às notícias falsas (fake news) e à falta de transparência.

Exercendo o nosso direito de perguntar, vamos lá:

O que estaria por trás desse “zelo” do NRS-Sul?

Qual o mistério que ronda a Coronavac em Ilhéus?

Por que o NRS-Sul mudou de postura no acesso à informação pública e de grande relevância para a sociedade em um período pandêmico e com o país e a Bahia batendo recordes de mortes diárias pela Covid-19?

Será necessário aguardar o retorno do titular da Sesab, Fábio Vilas-Boas, para que as informações não mais sejam sonegadas aos veículos e – mais importante – ao leitor e cidadão?

Que as autoridades – aqui ou acolá – exerçam o dever de responder!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top