skip to Main Content
12 de maio de 2021 | 02:51 pm

TONHO DE ANÍZIO CHAMA VILAS-BOAS DE “ALMOFADINHA”, DESABAFA CONTRA RUI E CONFIRMA SAÍDA DO PT

TONHO DE ANÍZIO CHAMA VILAS-BOAS DE “ALMOFADINHA”, DESABAFA CONTRA RUI E CONFIRMA SAÍDA DO PT
Tempo de leitura: 3 minutos

O prefeito de Itacaré, Antonio Mario Damasceno, Tonho de Anízio, confirmou hoje (9) que vai deixar o Partido dos Trabalhadores, ideia que cozinha desde 2019. Fez o anúncio durante a sessão de abertura do ano legislativo da Câmara de Vereadores, após longo desabafo contra o governador Rui Costa (PT). Sobrou também para o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, chamado pelo prefeito de “almofadinha”, “parasita” e “bon vivant“.

O EX

Primeiro, comparou Rui Costa e o senador Jaques Wagner (PT). Na opinião do prefeito, enquanto Rui mal lhe recebe, o ex-governador “sempre teve um carinho com Itacaré”. Citou intervenções do Estado no município durante o governo de Wagner, como a requalificação e a ampliação da rede de saneamento básico e o asfaltamento da estrada do distrito de Taboquinhas. “Quem deu foi Wagner, Rui só inaugurou”.

Depois, disse que esperou quatro anos por uma audiência com o governador, ocorrida no dia 8 de fevereiro de 2021. Para ele, Rui é muito mais atencioso com os prefeitos de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD), e de Itabuna – antes com Fernando Gomes e agora com Augusto Castro (PSD).

ESCUTA AQUI

O prefeito de Itacaré, em julho de 2017, era o presidente da Amurc (Associação dos Municípios da Região Cacaueira da Bahia). Naquele mês, liderou comitiva de 22 prefeitos para audiência com Rui Costa, realizada no Hotel Tarik, em Itabuna. “Quando o governador adentrou no recinto eu vi na fisionomia dele que ele não tava satisfeito”, narra Antonio.

Depois que os secretários estaduais apresentaram o projeto da Policlínica Regional, Rui, segundo o relato do prefeito, tentou encerrar o encontro. “Aí eu falei: Governador, nós pedimos a reunião, nós não vamos falar?” Após a intervenção do presidente da Amurc, Rui deu ouvidos aos prefeitos. “Mas, não deu satisfeito”, diz Antonio.

Tonho de Anízio avalia Rui Costa como um dos melhores gestores do Brasil, mas, na sua opinião, o governador precisa “aprender a ouvir”. Conforme o prefeito, Rui tem dado provas dessa falta de “sensibilidade” para a escuta ao adotar as medidas restritivas contra a pandemia de Covid-19. “Os decretos saíam de nós, os decretos agora saem de lá, vêm de salvador”.

DIVISÃO INTERNA E DESEMPENHO DO PT

Ele botou na conta do governo do estado a diminuição do número de petistas no comando de prefeituras baianas. Eram 93 em 2012; em 2020, o partido fez 32 prefeitos(as) na Bahia. “Com Rui Costa só fez descer a ladeira”. Na interpretação de Tonho, partidos da base aliada ocupam as secretarias estratégicas e as “utilizam em prol dos prefeitos deles, dos candidatos”. “A Seinfra [Secretaria de Infraestrutura] tem [o secretário] Marcus Cavalcanti, que é [indicação do senador] Otto Alencar [PSD]”.

Também declarou que o PT baiano está dividido numa queda-de-braço entre o secretário de Desenvolvimento Rural do Estado, Josias Gomes, e o deputado estadual Rosemberg Pinto, líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). Essa disputa interna, segundo Antonio, prejudica o acesso dos prefeitos petistas às secretarias estaduais administradas pelo partido.

“VILAS-MAUS”

Se ao governador o prefeito fez um desabafo, ao secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, reservou artilharia pesada.

Segundo Antonio, o governo estadual condicionou a ajuda financeira para o custeio da UPA Covid à contratação de empresa terceirizada para gerir a unidade em Itacaré. O prefeito disse que recusou porque, segundo ele, esse tipo de terceirização costuma gerar problemas com a Polícia Federal.

Também lamentou a demora do estado para pagar a desapropriação do imóvel da Fundação Hospitalar de Itacaré, que será cedido ao município. O decreto de desapropriação é de novembro de 2019.

Para não deixar dúvidas sobre a sua opinião a respeito do secretário de Saúde da Bahia, o discurso agudo do prefeito subiu duas oitavas:

– O secretário Fábio Vilas-Boas –  que para mim não tem nada de Boas, é Vilas-Maus – é um almofadinha, gente da alta, bon vivant, que tá ali, um parasita que tá ali porque eu e você, nós demos votos ao governador para manter ele ali. E recebe a gente mal. Recebe Marão na alegria, recebe Augusto Castro na maior alegria, mas não nos recebe bem. Nem para tirar uma foto. Ed é testemunha ali. E eu quero foto com aquele traste nada.

No fim do discurso, revelou que está propenso a se filiar ao Progressistas, partido do deputado federal Ronaldo Carletto e do vice-governador João Leão. Pretende entregar a carta de desfiliação do PT nas mãos do governador Rui Costa.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top