skip to Main Content
7 de maio de 2021 | 08:24 am

3,8 MILHÕES DE DOSES DA VACINA DO COVAX FACILITY CHEGAM AO BRASIL NESTE DOMINGO

Brasil recebe vacina contra a Covid-19 da OMS
Tempo de leitura: 2 minutos

Um lote com 220 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca chegaram ao Brasil neste sábado (1º).  Esse é o primeiro de três lotes que chegarão até o final do domingo (2) no país. Para amanhã são esperadas mais 3,8 milhões de doses do imunizantes contra a covid-19.

As vacinas foram importadas por intermédio do consórcio Covax Facility, coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Com a chegada das doses deste domingo, completam-se os quatro milhões de doses previstos para maio, anunciados pelo Ministério da Saúde.

Além da OMS, fazem parte do grupo a Coalizão para Promoção de Inovações em prol da Preparação para Epidemias (CEPI), a Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (Gavi), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

10 MILHÕES DE DOSES DA OMS

O Brasil tem direito a receber 10,5 milhões de doses do consórcio. Em março, já foram enviadas ao país um total de 1 milhão de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, cujos lotes foram fabricados na Coreia do Sul pelo laboratório BK Bioscience.

De acordo com a Opas, as vacinas AstraZeneca recebidas são do mesmo tipo que as produzidas em solo brasileiro pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “É um produto seguro e de qualidade, tendo aprovação para uso emergencial tanto da OMS quanto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)”, destacou a organização, em nota.

Após o desembarque, os imunizantes foram levados à Coordenação de Armazenagem e Distribuição Logística de Insumos Estratégicos para a Saúde (Coadi) do Ministério da Saúde, em Guarulhos. As vacinas, agora, serão distribuídas conforme o Plano Nacional de Vacinação (PNI). Da Agência Brasil.

CORONEL BARRETO É EXTUBADO APÓS MELHORA NO TRATAMENTO DA COVID-19

Tenente-coronel Marcelo Barreto mas na UTI do Hospital Calixto Midlej
Tempo de leitura: < 1 minuto

Internado desde o início de abril no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, o tenente-coronel Marcelo Barreto, de 51 anos, reage bem ao tratamento contra a Covid-19.

Nesta quinta-feira (29), após melhora sustentada do seu quadro clínico, os médicos decidiram extubá-lo. O oficial da Polícia Militar ficou dez dias com o aparelho de respiração mecânica.

O estado saúde de Barreto ainda inspira cuidados. Além da doença causada pelo novo coronavírus, a intubação é um procedimento invasivo e exige ainda mais energia dos pacientes em recuperação.

RUI DEFENDE VACINA RUSSA E IRONIZA CRITÉRIOS DA ANVISA PARA AGROTÓXICOS

Governador não se conforma com decisão da agência contra uso da Sputnik no país
Tempo de leitura: 2 minutos

O governador Rui Costa (PT) saiu em defesa da vacina Sputnik V, cuja autorização de uso no Brasil foi negada, na última segunda-feira (26), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O petista disse hoje (30) que, caso fosse autorizado, usaria o imunizante russo contra a Covid-19 para proteger a população baiana, inclusive sua família, além dele mesmo.

A Anvisa, que tem um quadro técnico reconhecido internacionalmente por sua competência, segue parâmetros de controle de qualidade usados por agências europeias e a Food and Drug Administration (FDA), sua equivalente nos Estados Unidos da América (EUA).

Rui questionou, de forma irônica, se a agência brasileira também vai seguir os critérios da FDA na avaliação de agrotóxicos liberados no país. Segundo ele, 80% dos defensivos agrícolas aprovados pela agência no país foram proibidos ou banidos dos EUA.  “Então, que tal aprovar os padrões do DFA para o uso de defensivos agrícolas também?”, perguntou o governador da Bahia.

Também lembrou que a Sputnik V foi aplicada em mais de 20 milhões de pessoas em diversos países do mundo, a exemplo de Argentina e México.

CHECAGEM DE PASSAGEIROS EM AEROPORTOS

No início da pandemia no Brasil, no primeiro trimestre de 2020, a Anvisa foi à Justiça para impedir que estados e municípios pudessem checar a saúde dos passageiros em trânsito nos aeroportos do país. Nesta sexta, Rui disse que não compreende, até hoje, quais foram os padrões científicos de que a agência se valeu para mobilizar o Poder Judiciário contra as medidas. “Me pareceu à época um parâmetro muito mais de defesa da corporação que um padrão técnico”, disse.

ASTRAZENECA

O governador avalia como acerto da Anvisa a decisão de não suspender o uso da Aztrazeneca, como muitos países europeus fizeram, pelo risco de tromboses. “Concordo com a agência que os benefícios nesse caso são muito maiores que os riscos”.

TRANSPARÊNCIA E PROATIVIDADE

Questionado sobre a falta de transparência a respeito da fabricação da vacina, Rui cobrou maior proatividade da Anvisa, como buscar informações com os países que já usam o imunizante. “Desde cedo aprendi um ditado: quem quer fazer arruma um jeito, quem não quer, arruma desculpa”.

Segundo Rui, a Anvisa só avaliou a vacina russa por causa da determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). “Se não fosse isso, até hoje não teríamos uma opinião pública da agência sobre a vacina”.

O Estado da Bahia fechou acordo com o Fundo Soberano Russo para garantir a compra de 9,7 milhões de doses da vacina Sputnik V.

STF MANDA GOVERNO FEDERAL GARANTIR INSUMOS DO KIT INTUBAÇÃO PARA A BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta quinta-feira (29), a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o governo federal apresente, no prazo de até 10 dias, plano detalhado das ações em prática e das que pretende adotar para garantir o suprimento dos insumos do kit intubação na Bahia. O kit é fundamental no tratamento de pacientes internados em leitos de terapia intensiva por causa da Covid-19.

Na decisão, a ministra estabeleceu ainda que o plano deverá contemplar, no mínimo, o nível atual dos estoques de medicamentos, bem como a forma e periodicidade de monitoramento dos estoques; a previsão de aquisição de novos medicamentos, esclarecendo os cronogramas de execução; os recursos financeiros para fazer frente às necessidades de aquisição e distribuição dos insumos, considerando o prognóstico da pandemia no território nacional; os critérios que adotará para distribuir os insumos aos estados e municípios e às unidades hospitalares; e a forma pela qual dará ampla publicidade ao planejamento e à execução das ações.

“O não endereçamento ágil e racional do problema pode multiplicar esse número de óbitos e potencializar a tragédia humanitária. Não há nada mais urgente do que o desejo de viver, mais uma vez sublinho!”, enfatizou a ministra Rosa Weber.

AÇÃO NO SUPREMO

O Governo da Bahia, por meio Procuradoria-Geral do Estado acionou o Supremo Tribunal Federal para que a União seja obrigada a adquirir e distribuir os medicamentos do kit intubação, a exemplo dos sedativos que impedem o corpo dos pacientes intubados de reagir involuntariamente contra o procedimento invasivo.

De acordo com a PGE, os medicamentos solicitados contaram com financiamento do Ministério da Saúde no ano de 2020, mas o mesmo foi suspenso em 2021 sem justa causa.

BRASIL DEVERÁ RECEBER LOTE COM 1 MILHÃO DE DOSES DE VACINA DA PFIZER HOJE

Primeiro lote de vacinadas da Pfizer deverá ter 1 milhão de doses || Foto Dado Ruvic/Reuters/Agência Brasil
Tempo de leitura: < 1 minuto

O primeiro lote de 1 milhão de doses de vacinas da Pfizer chega hoje (29) ao Brasil. O voo está previsto para aterrissar no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 19h.

As doses serão distribuídas aos 26 estados e ao Distrito Federal. Segundo o Ministério da Saúde, a orientação é que sejam priorizadas as capitais devido às condições de armazenamento da vacina, que exige temperaturas muito baixas.

Conforme o Ministério da Saúde, os entes federados receberão de forma proporcional e igualitária. Os frascos serão entregues em temperaturas entre -25ºC e -15ºC, cuja conservação pode ser feita apenas durante 14 dias. Após entrar na rede de frio, com temperaturas de armazenamento entre 2ºC e 8ºC, o prazo para aplicação é de cinco dias.

Por essa razão, o ministério informou que enviará duas remessas diferentes. Cada uma delas terá 500 mil doses e será referente, respectivamente, à primeira e segunda doses que cada cidadão deverá receber.

O Ministério da Saúde comprou 100 milhões de doses do imunizante. Em março, em reunião com a farmacêutica, a pasta apresentou a previsão de que até junho seriam entregues 13,5 milhões. Informações da Agência Brasil.

ILHÉUS REGISTRA MAIS 5 MORTES POR COVID-19

71 dos 81 leitos de terapia intensiva dos hospitais da cidade estão ocupados
Tempo de leitura: < 1 minuto

O boletim epidemiológico sobre a Covid-19 em Ilhéus registrou mais 5 óbitos nesta terça-feira (27). O total de vidas perdidas para a doença no município saltou para 422.

O SUS mantém 81 leitos de terapia intensiva para tratamento da Covid-19 na cidade e 71 estão ocupados.

Ilhéus tem 249 casos ativos, enquanto 243 pessoas aguardam resultado do exame para descartar ou confirmar o contágio pelo novo coronavírus.

VACINÔMETRO

De acordo com o painel da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Saeb), Ilhéus aplicou a 1ª dose da vacina contra a Covid-19 em 32.165 pessoas, sendo que 17.129 receberam também a 2ª.

DECRETO PRORROGA TOQUE DE RECOLHER E OUTRAS MEDIDAS EM ILHÉUS

Prefeitura publicou novo decreto na noite desta terça-feira (27)
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Prefeitura de Ilhéus prorrogou a vigência do toque de recolher no município até a próxima terça-feira (4). A restrição de circulação noturna continua no mesmo horário, das 22h às 5h. As regras não se aplicam aos serviços envolvidos direta e indiretamente no combate à pandemia de Covid-19.

Os estabelecimentos comerciais e de serviços, incluindo os bares, restaurantes e similares, deverão encerrar as suas atividades até as 21h30. A venda de bebidas alcoólicas está liberada, inclusive no final de semana, das 5h às 22h.

Publicado nesta terça (27), o decreto também prorrogou até 4 de maio a proibição de atividades esportivas coletivas e amadoras e eventos, independentemente do número de participantes, tais como: cerimônias de casamento, eventos desportivos, recreativos em logradouros públicos ou privados, circos, parques, solenidades de formatura, passeatas e afins.

As academias, centros de treinamento, estúdios e similares poderão funcionar, respeitando a restrição de horário, os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19 e a capacidade máxima de lotação de 50%. O mesmo vale para os atos religiosos litúrgicos, mas com até 30% de ocupação dos espaços.

ILHÉUS AGUARDA MAIS VACINAS PARA APLICAR 2ª DOSE DA CORONAVAC

Falta de vacinas prejudica ritmo da campanha de vacinação em todo o país
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Ilhéus (Sesau) informou, nesta terça-feira (27), que aguarda a chegada de novos lotes para retomar a aplicação da 2ª dose da Coronavac, vacina contra a covid-19.

A falta de vacinas se deve ao atraso mais recente no cronograma de distribuição do Ministério da Saúde. O governo federal enfrenta dificuldades para disponibilizar a matéria-prima usada na fabricação da Coronovac pelo Instituto Butantan. O problema prejudica a continuidade da campanha de vacinação em todo o país

De acordo com a Sesau, até março, a orientação do Ministério da Saúde era a de que as doses não fossem retidas, ou seja, não era necessário manter a reserva da segunda dose.

O acompanhamento da eficácia da Coronavac indica que sua proteção contra a Covid-19 é maior quando a segunda dose é aplicada 28 dias após a primeira.

VÍTIMA DA COVID-19, MORRE O EMPRESÁRIO LÚCIO PUMAR

Lúcio Pumar faleceu após mais de dois meses internado
Tempo de leitura: < 1 minuto

O empresário itabunense Lúcio Pumar Santana é mais uma vítima do novo coronavírus. Ele faleceu nesta terça (27), após quase dois meses internado no Hospital São Rafael, onde se tratava da doença.

Lúcio estava internado desde o dia 20 de fevereiro no hospital soteropolitano, onde passou mais de 60 dias intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), informa o Diário Bahia.

O empresário deixa duas filhas e esposa e duas enteadas. Lúcio empreendeu em algumas áreas em Itabuna e a família tinha empreendimentos como Capri Tintas, Capri Tintas & Decor.

2,3 MILHÕES DE BAIANOS RECEBERAM A PRIMEIRA DOSE DA VACINA CONTRA A COVID-19

Bahia já vacinou 2,3 milhões de pessoas contra a Covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

Dados divulgados, nesta terça-feira (27), pela Secretaria de Saúde da Bahia mostram que 2.315.752 pessoas foram vacinadas, com a primeira dose, contra o coronavírus (Covid-19) no estado. Desse total, 964.545 também receberam a segunda dose do imunizante. A Bahia é um dos estados com o maior número de vacinados no país, hoje ocupa a 4ª colocação no ranking nacional.

A Sesab informou que se tem observado volume excedente de doses nos frascos das vacinas contra a Covid-19, o que possibilita a utilização de 11 e até 12 doses em apenas um frasco, assim como acontece com outras vacinas multidoses.

O Ministério da Saúde emitiu uma nota que autoriza a utilização do volume excedente, desde que seja possível aspirar uma dose completa de 0,5 ml de um único frasco-ampola. Desta forma, poderá ser observado que alguns municípios possuem taxa de vacinação superior a 100%.

107 ÓBITOS E NOVOS CASOS

Nas últimas 24 horas, a Bahia registrou 4.076 casos de Covid-19 e 107 óbitos. Dos 889.931 casos confirmados desde o início da pandemia, 856.110 já são considerados recuperados, 15.627 encontram-se ativos e 18.194 tiveram óbito confirmado.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 18.194, representando uma letalidade de 2,04%. Dentre os óbitos, 55,44% ocorreram no sexo masculino e 44,56% no sexo feminino. O percentual de casos com comorbidade foi de 64,88%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,58%).

ANVISA REJEITA IMPORTAÇÃO E USO DA VACINA SPUTNIK V

Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Tempo de leitura: 4 minutos

Os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitaram, por unanimidade, a importação e o uso da vacina russa Sputnik V pelo Brasil. A decisão foi tomada na noite desta segunda-feira (26). O imunizante é produzido pelo Instituto Gamaleya, da Rússia. Os diretores do órgão se reuniram, de forma extraordinária, para avaliar os pedidos de nove estados para a aquisição da vacina.

O diretor da Anvisa, Alex Machado Campos, que é o relator do pedido, considerou que o imunizante pode trazer riscos à saúde. Além disso, foram apontadas falhas e pendências na documentação apresentada pelo fabricante. Ele se baseou em pareceres técnicos de três gerências da Anvisa, que fizeram uma apresentação no início da reunião.

“Para os pleitos ora em deliberação, o relatório técnico da avaliação da autoridade sanitária ainda não foi apresentado, os aspectos lacunosos não foram supridos, conforme as apresentações técnicas. Portanto, diante de todo o exposto, verifica-se que os pleitos em análise não atendem, neste momento, às disposições da Lei 14.124 e da Resolução da Diretoria Colegiada 476, de 2021, razão pela qual eu voto pela não autorização dos pedidos de importação e distribuição da vacina Sputnik V solicitados pelos estados que já relacionamos”, afirmou o diretor-relator. O voto do relator foi seguido pelos outros relatores da agência.

A deliberação foi marcada dentro do prazo estipulado pela Lei n º 14.124/21, e de acordo com a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, que determinou a análise da questão dentro do prazo de 30 dias. Caso não houvesse essa análise por parte da Anvisa, a vacina poderia ser importada.

Os estados que tiveram seus pedidos avaliados pela Anvisa foram: Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Sergipe e Pernambuco. Além desses, também estão com pedidos pendentes de avaliação, ainda dentro do prazo, os estados de Rondônia, Sergipe, Tocantins, Amapá e Pará, e os municípios de Niterói (RJ) e Maricá (RJ). Ao todo, esses pedidos somam 66 milhões de doses, que poderiam vacinar cerca de 33 milhões de pessoas, por meio de duas doses.

Antes da votação dos diretores, gerentes de três departamentos da Anvisa apresentaram seus pareceres técnicos contra a compra da Sputnik V. Os relatórios foram incorporados ao voto do diretor-relator, Alex Machado Campos.

VÍRUS REPLICANTE

Em sua apresentação, o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, argumentou que os lotes analisados mostram a presença de adenovírus com capacidade de reprodução no composto da vacina, o que traz riscos à saúde. A tecnologia utilizada na fabricação da Sputnik V é a do adenovírus vetor. Por meio dessa técnica, o código genético do Sars-Cov-2, que é o vírus da covid-19, é inserido no adenovírus e este, ao ser administrado em seres humanos por meio da vacina, estimula as células do organismo a produzir uma resposta imune.

Leia Mais

99,9% DOS VACINADOS CONTRA COVID-19 NA BAHIA NÃO PRECISARAM DE INTERNAÇÃO

Dos 2,2 milhões de vacinados, apenas 382 foram internados em hospitais, informa Sesab
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) informar que 99,9% dos 2,2 milhões de vacinados contra a Covid-19 na Bahia não contraíram a doença após a imunização ou, se infectados, não precisaram ser internados em hospitais. O levantamento considera os dados epidemiológicos obtidos até o último sábado (24).

De acordo com a Sesab, apenas 382 pacientes imunizados evoluíram para quadro de saúde que exigiu internação hospitalar. Isto representa 2,14% das 17.786 notificações de internações por Covid-19 no período de 1º de janeiro até 24 de abril. Destes 382 pacientes, 281 tinham tomado somente a primeira dose e 99 também a segunda. Em outras duas notificações, não constavam a informação de quantas doses tinham sido aplicadas.

Das 382 notificações, 172 foram de residentes em Salvador, 21 de Vitória da Conquista, 11 de Lauro de Freitas e os demais de outros 105 municípios.

Segundo o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, dados como estes reforçam a importância da vacinação para que haja uma queda sustentada do número de solicitações de internamento. “Já temos três meses de vacinação e podemos observar, por exemplo, uma queda na solicitação de UTIs para idosos acima de 70 anos, que é um público que está com a vacinação bem avançada”, afirma.

Para a diretora da Vigilância Epidemiológica, Márcia São Pedro, ainda que os números apontem a eficiência da estratégia de vacinação, é importante manter as medidas de controle da pandemia. “Mesmo as pessoas que já foram imunizadas precisam continuar usando máscaras, manter o distanciamento social e evitar aglomerações”, ressalta.

95% DOS LEITOS DE UTI COVID DE ILHÉUS ESTÃO OCUPADOS

Município já perdeu 417 vidas para a doença
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Ilhéus (Sesau) informa que 77 dos 81 leitos de UTI Covid mantidos pelo SUS no município estão ocupados, o que representa taxa de ocupação de 95,06%.

Até o momento, o município registrou 16.390 casos da doença, 417 óbitos e 15.723 recuperados.

De acordo com o boletim epidemiológico deste domingo (25), Ilhéus tem 250 casos ativos de Covid-19, enquanto 157 pessoas aguardam resultado do exame para confirmar ou descartar o contágio.

STF NEGA PRAZO MAIOR PARA ANVISA DECIDIR SOBRE VACINA SPUTNIK

Segundo o ministro Ricardo Lewandowski, aumento de prazo violaria lei e prejudicaria celeridade do processo de análise da vacina
Tempo de leitura: 2 minutos

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou hoje (26) um pedido da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para suspender o prazo de análise sobre pedidos de importação da vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia contra a covid-19.

No dia 13 de abril, Lewandowski determinou que a Anvisa analisasse em 30 dias um pedido do Maranhão para importar a vacina, que já é utilizada em países como a Argentina, mas cujo uso, emergencial ou definitivo, ainda não foi autorizado pela agência no Brasil. Ele também proferiu ordens similares relativas aos estados do Piauí, Amapá e Ceará. Em todos os casos, os prazos se encerram nesta semana.

Diante do prazo determinado pelo ministro, a Anvisa marcou uma reunião extraordinária de sua diretoria para esta segunda-feira (26), às 18h, quando deve avaliar os pedidos de autorização excepcional de importação e distribuição (AET) da Sputnik V feito pelos estados.

Em paralelo, contudo, a Anvisa havia peticionado a Lewandowski, na semana passada, que suspendesse o prazo de 30 dias para a análise dos pedidos de importação. Tal prazo está previsto na Lei 14.124/2021, que trata de medidas excepcionais para aquisição de vacinas e insumos para o combate à pandemia de covid-19.

A agência argumentou, entre outros pontos, que “o relatório da autoridade russa para concessão do registro da Sputnik V não é público e não há dados em outras fontes capazes de trazer as informações sobre qualidade, eficácia e segurança para o processo de importação em questão”.

Ao negar o pedido, nesta segunda (26), Lewandowski afirmou que não há brecha na legislação que permita a suspensão do prazo de 30 dias. “O elastecimento do prazo pretendido pela Anvisa não só contraria a letra da Lei nº 14.124/2021, como também o seu espírito, eis que sua edição foi motivada pela exigência de dar-se uma resposta célere aos pedidos de aprovação das vacinas já liberadas por agências sanitárias estrangeiras e em pleno uso em outros países”, escreveu o ministro.

Lewandowski afirmou que cabe à Anvisa não autorizar o pedido de importação ou uso emergencial da vacina, mas que tal decisão deve estar embasada tecnicamente, “não se admitindo a mera alegação de insuficiência da documentação ou a simples alusão a potenciais riscos”, escreveu o ministro.

Ele reafirmou que, caso a Anvisa não decida sobre os pedidos de autorização de importação e distribuição no prazo de 30 dias, os estados ficam automaticamente autorizados a importar e distribuir a Sputnik V. Agência Brasil.

COVID-19: HOSPITAL ILHEENSE RECEBE 13 CAPACETES QUE PODEM EVITAR INTUBAÇÃO

Hospital público estadual recebeu 13 capacetes não invasivos
Tempo de leitura: 2 minutos

O Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, recebeu 13 capacetes de oxigenação não invasiva para atender vítimas da covid-19. Os capacetes foram enviados pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Este equipamento pode evitar a intubação em pacientes nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

A fisioterapeuta Alana Ferreira Farias, coordenadora de Fisioterapia da Unidade Covid do HRCC, ressalta que o capacete é um tipo de interface usada entre o paciente e o aparelho de ventilação mecânica ou a um fluxo de oxigênio com pressão. “O objetivo é que o ar chegue ao paciente de forma não invasiva (interna), diferente da intubação, que necessita do tubo orotraqueal” explica.

O capacete não invasivo envolve a cabeça inteira do paciente e é vedado com um colar de silicone colocado no pescoço. A vantagem é que não permite a propagação do vírus no ambiente, esclarece Alana Farias. “Sua vedação evita grande quantidade de vazamento de gás e ainda é possível colocar um filtro antiviral na saída de ar, assim, reduzimos a contaminação dos profissionais da saúde. Com o uso deste equipamento permitimos que haja a melhora da oxigenação e que o assistido continue interagindo com a equipe”, complementou.

De acordo com a fisioterapeuta, diante da avaliação diária da equipe médica e da fisioterapia, é possível evitar ou reduzir uma intervenção invasiva com alto risco. “Também reduzimos a necessidade do uso de medicações que já estão começando a ter falta no mercado mundial”, disse Alana Farias.

A coordenadora de Fisioterapia ainda destaca o trabalho da Sesab e do governo estadual no combate ao novo coronavírus. “O governo do Bahia vem investindo nas melhores tecnologia para o tratamento da Covid-19, em todo o estado. Juntos, com essa parceria: gestão, unidade e equipes de profissionais, podemos oferecer o melhor para a saúde da população”, concluiu.

Back To Top