skip to Main Content
5 de abril de 2020 | 03:15 am

POETISA GRAPIÚNA TEM RECONHECIMENTO DA “DIVINE ACADÉMIE”, EM PARIS, FRANÇA

Tempo de leitura: 2 minutos
Ceres Marylise declamando na Casa das Artes, em Bento Gonçalves (RS).

Ceres declamando na Casa das Artes, em Bento Gonçalves (RS).

Divine Académie Française des Arts, Lettres et Culture, de Paris, na França, acaba de escolher a poetisa grapiúna Ceres Marylise, como integrante da instituição, em reconhecimento à qualidade da obra poética da autora.
Fundada em outubro de 1995, a Divine Académie, presidida atualmente por Diva Pavesi, costuma selecionar para seus quadros “pessoas que se destacam pelos serviços prestados às artes e à cultura”.
A produção de Ceres (que, na opinião do crítico Hélio Pólvora, “devolve a poesia ao seu estado natural, emotivo, encantatório”) foi publicada apenas em antologias e pela internet (o primeiro livro está em fase de negociações com a Editora Mondrongo), mesmo assim tem encontrado ampla repercussão, no Brasil e no exterior.
Além da Divine Académie, mais provas do bom momento vivido pela escritora: em março, ela toma posse na Academia de Letras e Centro Cultural Castro Alves e Casa do Poeta Latino-Americano, em Porto Alegre/RS; em abril, também em Porto Alegre, será homenageada na festa Mulheres Notáveis, com o Troféu Cecília Meireles, Categoria Especial; em agosto, recebe na Academia de Letras de Itabira o Troféu Carlos Drummond de Andrade; em novembro do ano passado, teve aprovada na Câmara de Vereadores de Itabuna uma moção de aplauso, proposta pelo vereador César Brandão.
Ceres Marylise Rebouças de Souza (professora universitária aposentada, nascida em Ubaitaba) terá, ainda este ano, o lançamento de uma seleção bilíngue (português-francês) de sua poesia, por sugestão da Aliança Francesa.

ÍNDIO QUER LIVRO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Projeto incentiva a leitura na comunidade tupinambá

Projeto incentiva a leitura na comunidade tupinambá

Levar o hábito da leitura à tribo Tupinambá de Olivença é o objetivo do projeto “Biblioteca Itinerante Oca Cultural”, lançado nesta segunda-feira (13) na reserva ecológica indígena Estância das Fontes, em Olivença. A proposta é uma iniciativa do Instituto dos Povos Indígenas da Bahia e está integrada ao Programa Arca das Letras, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).
Coordenador pedagógico do projeto, o tupinambá Cláudio Magalhães diz ser necessário inserir no cotidiano dos jovens da comunidade, abordagens que enfoquem temas como saúde, drogas, meio ambiente, direitos humanos e a história dos índios da Bahia e do Brasil. Para isso, ele considera essencial incentivar a prática da leitura.
“Exercitar a leitura como prática democrática é fundamental na formação do senso crítico e da cidadania”, salienta Magalhães.

OLIVENÇA: PUXADA DO MASTRO NESTE FIM DE SEMANA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Puxada do Mastro de São Sebastião. Foto Gidelzo Silva (Secom)Janeiro 2013.

A Estância Hidromineral de Olivença, em Ilhéus, faz os últimos preparativos para a festa da Puxada do Mastro de São Sebastião. O evento, que mistura o sacro com o profano,  é promovido pelos índios e caboclos da comunidade com apoio da Secretaria Municipal do Turismo.
A festa começa no sábado (11), às 21 horas, na Praça Cláudio Magalhães, com apresentação da banda Top Gun. O dia seguinte terá celebração religiosa, com os shows iniciando às 15 horas. Estão programadas as bandas Flor do Caribe, Tri Farol e Batuk Bom.
A Puxada do Mastro de São Sebastião é uma tradição que surgiu no século XVIII e que mistura elementos da espiritualidade medieval e religiosidade cabocla. Na cerimônia, faz-se um clamor aos santos contra todos ao males que atingem a humanidade. A festa é realizada anualmente em Olivença.
Canavieiras – A festa também acontece em Canavieiras, onde o mastro será levado por nativos e turistas às 20 horas deste sábado, percorrendo o trajeto entre o cais do porto, no sítio histórico, e a Praça da Capelinha. O cortejo tem a participação de filarmônicas e de um minitrio. No domingo (12), a partir das 18 horas, é realizada a “Levada do Mastro”, na Ilha da Atalaia.

ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS PROMOVE EXPOSIÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto
titulos ALI
Janete Lainha, Pawlo Cidade, Luh Oliveira, Heitor Brasileiro, Gustavo Felicíssimo, Geraldo Lavigne, Arléo Barbosa são alguns dos escritores com livros na exposição “Autores do Sul da Bahia, sob arte e papel”, que a Academia de Letras de Ilhéus promove até o dia 31 deste mês, em sua sede, na Rua Antonio Lavigne de Lemos, 39, Centro.
.
A exposição está aberta ao público, das 10 às 21 horas. Segundo o poeta Gustavo Felicíssimo, editor da Mondrongo, “a exposição poderá trazer visibilidade a autores até o momento desconhecidos do grande público”. O evento foi idealizado pela Comunidade Tia Marita, em parceria com a Academia de Letras.
.
Durante a mostra, os livros podem ser adquiridos a preços populares. Também fazem parte da exposição trabalhos do artista plástico Joferson Ferreira.

NAZAL LANÇA NOVA EDIÇÃO DE "MINHA ILHÉUS"

Tempo de leitura: 1 minuto
Minha Ilhéus - capa

Obra está na terceira edição.

Nazal: terceira edição de Minha Ilhéus.

Nazal: terceira edição de Minha Ilhéus.

Com uma edição revisada e ampliada com detalhes sobre os novos limites de Ilhéus e da área onde será instalado o Porto Sul, o fotógrafo e pesquisador José Nazal Pacheco Soub lança nesta quinta (9), às 18h30min, no Espaço Cultural Bataclan, o livro de registros históricos Minha Ilhéus, editado pela Via Litterarum.

A obra traz informações e fotografias da período de expansão econômica de Ilhéus a partir do Século XX em 268 páginas. Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Ilhéus, Nazal acrescenta que, nesta terceira edição, foram incluídas fotos oferecidas por pessoas que guardam objetos e registros sobre a memória da Capitania de São Jorge dos Ilhéus.
A edição também traz novo mapa que delimita os bairros da cidade, além da área da Zona de Processamento e Exportação (ZPE). Nazal ainda ilustra a obra com “fotografias dos povoados rurais que estão inseridos na área de influência direta do Porto Sul”. A obra é indispensável para quem deseja conhecer do passado e do presente de Ilhéus.

CINEMA E DANÇA NO TPI

Tempo de leitura: < 1 minuto
Filmes de Charles Chaplin são atração na Quarta do Cinema

Filmes de Charles Chaplin são atração na Quarta do Cinema

A Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes, segue com sua programação de janeiro, com atrações para todos os públicos.
Amanhã é dia da Quarta do Cinema, com exibição gratuita do Cine Incidental a partir das 19 horas. Nesse projeto, os músicos Elielton Cabeça e Pablo Lisboa executam ao vivo efeitos e trilha sonora de clássicos de Charles Chaplin. O filme em cartaz será o curta Dia de Pagamento.
Na Quinta da Dança, a Tenda do TPI recebe, a partir das 20 horas, o espetáculo Casa de Farinha, da Cia. de Dança Sôanne Marry e Ballet Folclórico do Ifba. Ingressos a R$ 20,00, com direito a meia-entrada para estudantes, idosos e titulares do cartão de fidelidade do TPI.

BUMBA-MEU-BOI NA JUERANA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Associação de Moradores da Vila Juerana (Amorviju), em Ilhéus, promove, dia 11 de janeiro, a partir das 19 horas, o projeto Resgate Cultural, com apresentação de bumba-meu-boi e samba de roda.
O evento, com entrada franca, terá a participação do Grupo Folclórico Reisado da Juerana e do músico Júnior da Sanfona, integrante da banda Zabumbahia.

A CASA SEM ESPÍRITO

Tempo de leitura: 2 minutos

ricardo artigosRicardo Ribeiro | ricardorib.adv@gmail.com
 

Registre-se que o grupo continua brilhando – inventivo, original e dinâmico – em sua fantástica e aconchegante tenda na Avenida Soares Lopes.

 
Se fosse observada a regra de que a propriedade deve atender ao interesse social, teria outro destino o imóvel onde funcionou a Casa dos Artistas, no centro histórico de Ilhéus.  Pertencente a uma família suíça, a casa está abandonada e se deteriora, sem que o poder público se manifeste.
A situação foi denunciada pelo site Ilhéus 24 horas, que provocou a gestão municipal a pensar no tombamento do imóvel, construído no início do século passado pelo coronel Domingos Adami de Sá. Não houve resposta.
O valor histórico da casa, vizinha ao endereço onde morou Jorge Amado, é inquestionável. Durante algum tempo, sua importância foi ainda maior, quando abrigou o Teatro Popular de Ilhéus, embrião de tantas criações geniais e hoje, sem a menor dúvida, o maior centro de produção cultural do sul da Bahia.
Fechou-se a casa, agora entregue às baratas, traças e aos cupins. Assim como parece estar a cultura de Ilhéus, uma cidade que propagandeia explorar o turismo cultural, mas só o faz no pior dos sentidos.
Chega a ser complicado sugerir ao poder público o tombamento do imóvel da família Koela, quando o governo custa a tomar providências no que diz respeito à preservação do patrimônio histórico de Ilhéus. Vide a situação do prédio do antigo Colégio General Osório, igualmente abandonado.
Como aqui se mencionou o TPI, registre-se que o grupo continua brilhando – inventivo, original e dinâmico – em sua fantástica e aconchegante tenda na Avenida Soares Lopes. Ali a cultura resiste aos ataques, dificuldades e intempéries, enquanto a antiga sede vira mausoléu e monumento ao descaso. Uma verdadeira casa sem espírito.
Ricardo Ribeiro é advogado.

ACM NETO SANCIONA LEIS MUNICIPAIS DE CULTURA

Tempo de leitura: < 1 minuto

ACM NetoO prefeito de Salvador, ACM Neto, sanciona nesta segunda-feira (6) as leis que regulamentam a política cultural do município. A solenidade será realizada no Plenário Cosme de Farias, na Câmara de Vereadores, a partir das 9h30min.
Os dispositivos que serão sancionados implantam o Sistema Municipal de Cultura e estabelecem medidas voltadas à proteção e preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade. Para o presidente da Fundação Gregório de Matos, Fernando Guerreiro, as leis representam uma vitória da classe cultural e artística da cidade.
“Esta era uma antiga dívida que o poder público municipal tinha junto à população. A partir de agora, a cultura será devidamente regulamentada, o que legitima a sua importância para o desenvolvimento de Salvador”, destacou.
A sanção das leis resulta de debate entre governo e sociedade, ocorrido em três audiências públicas ao longo de 2013. As propostas receberam ainda 15 emendas de vereadores, que foram incorporadas ao texto final dos dispositivos.

PROGRAMAÇÃO VARIADA NA TENDA DO TPI

Tempo de leitura: < 1 minuto

tenda tpi

A Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI) inicia 2014 com um leque variado de atrações. A programação inclui cinema, teatro, dança e música para plateias de gostos e idades diferentes.
Sábado Sim Verão abre a programação de janeiro neste sábado (04), a partir das 20 horas, com shows das bandas Enttropia e IOS. Este evento é realizado em parceria com o Coletivo Chocolate Groove, trazendo o melhor da música independente da região. As entradas custam R$ 20 a inteira e R$ 10 para estudantes, idosos e titulares do Cartão TPI.
Ao longo deste mês, a Tenda oferece a Quarta do Cinema, com o Cine Incidental, no qual serão exibidos filmes mudos de Charles Chaplin, sonorizados pelos músicos Elielton Cabeça e Pablo Lisboa. Na Quinta da Dança, a Cia. de Dança Sôanne Marry, A-RRISCA, Núcleo da Dança, Balé Afro Dilazenze, Grupo de Dança do Disk Emoções e Rafaela Canabrava trazem variados estilos de expressão corporal.
Para a Sexta do Teatro, estão programados os espetáculos Auto do Boi da Cara Preta (dia 10), 1789 (dia 17), Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito ( dia 24) e Lendas da Lagoa Encantada (31).
A agenda traz ainda o projeto Conto e Cantigas, com atividades exclusivas de incentivo à leitura e musicalização para crianças. Para participar, basta pagar uma taxa de adesão de R$ 15, que vale por um ano. O próximo encontro será no dia 25, a partir das 16 horas.

Back To Top