skip to Main Content
7 de agosto de 2020 | 05:42 am

COM MELIM, JAU E SINHO FERRARY, ITACARÉ ANUNCIA PROGRAMAÇÃO DO CARNAVAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Prefeitura de Itacaré, no sul da Bahia, anunciou neste sábado (2) a programação do carnaval oficial. A festa terá atrações nacionais e reunirá nomes como Jau, Banda Melim, Os Travessos e a dupla Rafa e Pipo Marques, além de Sinho Ferrary, de 2 a 5 de março.

A festa começa no sábado de carnaval, 2 de março, com blocos alternativos e tradicionais. A abertura oficial será às 20h, na orla, com a Banda Samba da Porra, Mussutaiba, Os Travessos e Jeanne Lima. No domingo, às 11 horas, Padre Ednaldo e Amigos fazem arrastão em minitrio. À noite, Zalela, Dani Matos e Sinho Ferrary, além de Isaac Gomes, agitam os foliões.

A segunda-feira de Carnaval terá Quebra City na Praia da Concha, a partir das 11h, seguido de festa dos mascarados e fantasiados. À noite, a festa na orla será com Amassa, Vitrine do Amor, Rafa e Pipo Marques e Sem Retoque.

As principais atrações se apresentam no último dia de carnaval, na terça (5 de março). O fenômeno Melim se apresenta a partir das 20h. Jau vem na sequência. E Vitor Kelsh encerra os quatro dias de carnaval oficial em Itacaré. A festa será promovida pela Prefeitura e Governo da Bahia.

TEATRO DE ILHÉUS RECEBE EXPOSIÇÃO DA ITABUNENSE NAJDA ALVES

Tempo de leitura: < 1 minuto

A arte de Nadja Alves ficará em exposição no TMI até o final de fevereiro

Começa na próxima segunda (4) a exposição de 11 telas da artista plástica itabunense Nadja Alves. As peças estarão expostas no foyer, até o final de fevereiro, das 8h às 18h, com entrada gratuita. São pinturas que trazem um colorido especial e remetem a lugares, afazeres e sentimentos, em um mix de cultura, tradição e realidade.

Nadja Alves descobriu a pintura em 2011, e desde então vem mostrando seus trabalhos em várias cidades do interior e na capital. Em Ilhéus, já expôs duas vezes consecutivas no Cana Brava Resort e quatro no TMI. “São pinturas que representam a região cacaueira, a simplicidade e o cotidiano de seu povo”, diz a artista.

Segundo a chefe municipal dos Espaços Culturais, Jeniffer Horrana, a programação do TMI está suspensa até março, devido às intervenções necessárias feitas no local desde o mês passado.

EM ILHÉUS, DUAS FESTAS PARA IEMANJÁ NO SÁBADO

Tempo de leitura: 2 minutos

Nativos, religiosos e turistas se misturam nas homenagens a Iemanjá || Divulgação

A programação da festa de Iemanjá no sábado (2) acontece em dois lugares em Ilhéus, na Maramata (Nova Brasília), das 8h às 19h, e na Avenida Llitorânea Norte (Malhado), das 8h às 22h. O festejo é um dos mais populares do ano e atrai moradores, religiosos de matriz africana e turistas. Os dois eventos são organizados pelos terreiros de candomblé, em parceria com as secretarias de Turismo e Esporte (Setur) e de Cultura de Ilhéus(Secult), que buscam fortalecer as manifestações tradicionais culturais e religiosas do município.

A alvorada de fogos saúda o Dia de Iemanjá nas primeiras horas do dia. A partir das 8 horas, no caramanchão, estrutura montada para receber as oferendas, próximo a Universidade do Mar e da Mata (Maramata), na Nova Brasília, reúnem-se adeptos do candomblé para homenagens à divindade. Cânticos em louvor ao orixá, apresentação de grupos de samba de roda e capoeira, como o Samba de Treita, rezas e banhos de água de cheiro são realizados ao longo do dia. O encerramento culmina com a procissão marítima, quando diversas embarcações saem para entregar as oferendas, em alto mar.

No bairro do Malhado, as comemorações serão na Avenida Luiz Eduardo Magalhães (Litorânea Norte), especificamente nas proximidades da Escultura da Sereia. Em meio ao ritual, os adeptos da religião de matriz africana dançam, rezam e benzem com água de cheiro, devotos e turistas. Durante a tarde, a partir das 15h, grupos musicais afro se revezam com as apresentações de bandas locais no minitrio elétrico. Ao fim da tarde, o cortejo leva as oferendas e a imagem do orixá até a embarcação, que seguirá rumo ao alto mar.

ESPETÁCULO MONTADO NA PERIFERIA DE ILHÉUS É INDICADO AO PRÊMIO BRASKEM

Tempo de leitura: 2 minutos

O Grande Yorick é indicado ao Prêmio Braskem

A peça O Grande Yorick, montagem da Trupe Teatro Sem Fim, foi indicada ao Prêmio Braskem na categoria melhor espetáculo do interior e é o 2º espetáculo do sul da Bahia a receber uma indicação nessa modalidade. O espetáculo foi montado na periferia de Ilhéus e traz um elenco afinadíssimo que se desdobra em vários personagens para contar a história de vida de Willian Chagas, um apaixonado e sonhador ator de teatro, que luta para não se submeter as convenções impostas pela onda conservadora da sociedade.

Com uma dramaturgia de quebra-cabeça, dividida em 13 capítulos, o público acompanha o personagem Willian em diferentes fases da sua vida pessoal, desde a infância sofrida na periferia trabalhando com a mãe vendendo acarajé, até a fase adulta na cidade grande, onde ele vai em busca do seu sonho e descobre a ferocidade do sistema para aqueles que seguem a margem da sociedade.

A trama acontece nos dias de hoje e é livremente inspirada em dois grandes clássicos da literatura mundial, Dom Quixote de Cervantes, a triste figura, e Hamlet de Shakespeare, o príncipe louco da Dinamarca. O espetáculo mistura projeções de imagens com a interpretação dos atores, e tem uma trilha sonora que é executada ao vivo pelo músico Luan Borba.

O Grande Yorick segue fielmente a cartilha de um psicodrama com momentos muitos densos e tristes, e outros extremamente poéticos e alegres. Em meio ao caos, a saúde mental do protagonista é colocada em xeque, o que provoca grandes reviravoltas no enredo. A peça tem causado comoção geral no público pelo impacto, ousadia e criatividade em abordar com muita propriedade assuntos atuais e polêmicos no universo das artes.

O Prêmio Braskem de Teatro é uma das mais importantes premiações do Nordeste, onde os artistas são reconhecidos por suas produções e legitima a importância do fazer teatral na Bahia.

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Ed Paixão
Elenco: Ed Paixão, Geisa Pena, Mauricio Lima e Luan Borba
Composição musical: Cabeça Isidoro (9 músicas) e Luan Borba (11 músicas)
Trilha Sonora: Luan Borba
Cenário, Figurino e Adereços: Ed Paixão, Aldo Silva e Larissa Paixão
Iluminação: Anderson Santos
Operação Audio Visual: Larissa Paixão
Classificação: 16 anos
Realização: Trupe Teatro Sem Fim
Produção local: Ruy Penalva

ANTÔNIO LOPES FALA DE PROJETOS LITERÁRIOS, DOIS DELES QUASE PRONTOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Lopes tem três projetos literários a serem lançados

Passando uns dias no Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, o jornalista e escritor Antônio Lopes não vê a hora de “dar no pé” para concluir alguns projetos. Na manhã de terça passada (15), Lopes sofreu AVC de baixa intensidade. Neste final de semana, reagiu com bom humor ao evento que vem sendo superado com garra.

– Não atendi ao inusitado convite, pois ainda não tenho a mesa posta e a mala arrumada, como ensino o poeta. Tenho, sim um livro quase pronto – escreveu.

Hélio Pólvora – noites de salto alto é a obra quase pronta, pela Editus, por onde também será publicada A vida refletida, com prefácio de Joaci Góes. O autor de Buerarema falando para o mundo também revela que há um terceiro projeto, uma antologia pessoal. E emenda: “nada que faça inveja a Jorge Luís Borges. Mas uns textos que meus amigos, sempre bons críticos, consideraram interessantes”.

Quanto à antologia, brinca, espera um descuido da equipe do HRCC para fugir e tratar de concluir a obra, que tem apresentação da professora Evlina Hoisel, da UFBA.

ZÉ DIRCEU LANÇA “MEMÓRIAS” EM ILHÉUS, NA SEXTA

Tempo de leitura: 2 minutos

Livro de José Dirceu será lançado nesta sexta, em Ilhéus

O Teatro Popular de Ilhéus receberá na próxima sexta-feira (18), a partir das 18h, o lançamento regional do livro Memórias – Volume 1, do ex-ministro José Dirceu. A autobiografia conta os bastidores inéditos de sua militância estudantil durante a ditadura militar, seu exílio e o treinamento para ser guerrilheiro em Cuba, a cirurgia plástica que mudou seu rosto, a vida clandestina no Brasil nos anos 1970, a volta à legalidade com a anistia, em 1979, e sua ascensão no Partido dos Trabalhadores, onde se tornou presidente e maior responsável pela eleição de Lula à presidência da República.

Nascido na cidade de Passa Quatro, em Minas Gerais, e formado em Direito pela PUC de São Paulo, Dirceu revela, pela primeira vez, segredos dos bastidores da luta política dentro do PT e do próprio governo, onde foi chefe da Casa Civil e provável sucessor de Lula, até ser abatido pelas denúncias do “Mensalão” – cujos episódios serão contados no segundo volume, previsto para ser lançado ainda este ano.

No primeiro volume de suas Memórias, Dirceu, que concederá autógrafos e um bate-papo com os presentes, expõe o que jamais foi dito sobre sua vida e sobre os principais líderes da política brasileira nos últimos 50 anos. Um livro imprescindível para se entender como foi a luta contra a ditadura militar, a redemocratização, a derrubada do presidente Fernando Collor, a oposição aos governos de Fernando Henrique Cardoso, a eleição de Lula e Dilma e o atual momento político do país.

COMPROMISSO

Ao sediá-lo, o Teatro Popular de Ilhéus reafirma seu compromisso com o público e o conteúdo de suas obras. O TPI é um grupo independente apartidário, e além de ter uma longa trajetória de produção de espetáculos ligados à realidade da classe trabalhadora, traçando consistentes críticas políticas e sociais, também sempre abriu suas portas para diversos projetos externos, companhias visitantes, artistas locais e nacionais e demais eventos que sejam de interesse da sociedade.

BANDA LANÇA RELEITURAS DE CANTIGAS DAS LAVOURAS DO SUL DA BAHIA

Tempo de leitura: 3 minutos

Mulheres em Domínio Público lançam primeiro EP, que tem participações especiais

Releituras de cantigas entoadas por lavadeiras, trabalhadoras e trabalhadores das lavouras sul-baianas são a primeira investida da banda Mulheres em Domínio Público, que lança, hoje (10), o seu primeiro EP, Sindô lê lê. As músicas estarão disponíveis em plataformas digitais como iTunes, Spotify, Deezer, Google Play, entre outras. O videoclipe da faixa-título, gravado na icônica Fazenda Yrerê, em Ilhéus, também será lançado no YouTube.

O grupo de Ilhéus se dedica a experimentações sonoras dando seu olhar sobre músicas de domínio público. Neste primeiro trabalho, faz uma homenagem ao cancioneiro regional, conferindo um toque de contemporaneidade, com roupagem musical rica em diversidade de ritmos.

O nome da banda faz jus tanto à proposta do grupo quanto à presença feminina nos vocais, compostos por Cris Passos, Geisa Pena, Ingrid Luíse e Tacila Mendes. Quatro músicos atuantes na cena musical da região e unidos por interesse em pesquisas sonoras dessa natureza participam do EP – Marcelo Santana (guitarra), Danilo Ornelas (baixo), Lula Soares Lopes (bateria) e Igor Péca (Percussão). O EP também conta com participação do músico Cabeça Isidoro.

“Nosso primeiro EP chega em um momento em que o sul da Bahia se reinventa com outro olhar sobre o cacau, agora também produzindo e exportando seu próprio chocolate. Então, para a gente, este álbum é como um chocolate de origem bean-to-bar: são cantigas que saem das lavouras e ganham o nosso olhar, transformando-se nas releituras que estão em ‘Sindô lê lê”.

Este primeiro registro do grupo conta com a participação da atriz, cantadeira e ex-lavadeira Valderez Teixeira, que marca presença desde o início do projeto, relembrando as cantigas que cantava durante a lavagem de roupa, ofício que exerceu por décadas no rio Cachoeira, região do Salobrinho, em Ilhéus. Dona de uma poderosa voz e interpretação genuína de uma mestre do saber, Valderez também já participou de novelas e filmes, o que já lhe rendeu um troféu Candango, no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 2005.

Leia Mais

FESTA EM LOUVOR A SÃO SEBASTIÃO COMEÇA NA PRÓXIMA SEXTA EM ILHÉUS

Tempo de leitura: 2 minutos

Festividades incluem lavagem das escadarias da Catedral || Foto Rodrigo Macedo

A fé do ilheense católico é sempre renovada durante os tradicionais festejos dos seus padroeiros. Nesta sexta-feira (11), às 19 horas, será aberta a festa em louvor a São Sebastião, padroeiro da Catedral diocesana. Ilhéus São Sebastião é, também, patrono dos estivadores.

Com o tema central “Batizados em enviados: a igreja de Cristo em missão pelo mundo”, o novenário vai abordar a iniciação cristã. O cronograma de atividades acontece por nove dias com orações, louvores, recitação do terço, apresentações culturais e ladainhas.

O encerramento das celebrações será em 20 de janeiro, com alvorada às 5h, missa solene às 10h, procissão com saída da Catedral, na Praça Dom Eduardo, contornando o morro São Sebastião, percorrendo as ruas centrais e, pela Avenida Soares Lopes retornando a Catedral, onde, após a missão, encerra festa.

O padre Paulo Brandão lembra um pouco da História da Igreja. “As festas de padroeiro remontam à Idade Média na Igreja e continuam ativas em todas as paróquias espalhadas pelo Brasil.”.

Para ele, o sopro de renovação tem dado vitalidade a essas festas, tornando-as fortes momentos de evangelização. “A Festa do padroeiro é fundamental no processo de evangelização de uma paróquia. A festa, bem preparada, nos ajuda a reunir o povo de Deus”, pontua o padre Paulo Brandão, pároco da Catedral que está na área de abrangência da paróquia de São Jorge, uma das mais antigas da Bahia.

OTAMBÍ DE VERÃO 2019 SERÁ NA TENDA DO TPI

Tempo de leitura: < 1 minuto

Orquestra Gombombira será uma das atrações do Otambí de Verão 2019

Ilhéus vai receber mais uma edição do Otambí de Verão, no dia 20 de janeiro, a partir das 17h, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus. A animação vai ficar por conta da Orquestra Gongombira, anfitriã da festa, e dos convidados Camilo Dória, Fabrício (Banda Quizila), Aline Moraes (Banda Elétrikka) e do grupo de pagode Som do Tambor.

Os ingressos antecipados podem ser adquiridos por R$ 10,00 nos pontos de venda – Livraria Papirus, Espetinho do Gilson (Dilazenze), Tenda Teatro Popular de Ilhéus, localizada na Avenida Soares Lopes, ou pelo site www.teatropopulardeilheus.com.br.

A temporada de Verão do Otambí vai até março, sempre com uma edição por mês, animando o público com um repertório diversificado, com influências musicais afro e latinas, como o Ijexá, Samba Reggae, Merengue, Salsa, Reggae, Samba de Roda, entre outros.

O projeto Otambí, sigla que abrevia a Orquestra de Tambores Mãe Ilza, foi criado em 2010 e, desde então, faz parte do calendário do verão ilheense. A festa é promovida pela Gongombira Serviços Culturais.

ILHÉUS: SECULT DIVULGA VENCEDORES DO EDITAL “ARTES NAS RUAS”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Teatro também ganha espaço em edital || Foto Rodrigo Macedo

A Secretaria de Cultura (Secult) de Ilhéus publicou o resultado final dos credenciados nas categorias em várias modalidades artísticas, disponível no Diário Oficial do Município, edição de 4 deste mês. A iniciativa beneficia grupos de teatro, performance circense, estátua viva, grupos de culturas populares, grupos de dança, poeta, cordelista, contadores de história, djing, trio ou duo musical, breakdance, graffiti, rapper, djing, breakdance, solo e pocket instrumental afro para compor a programação artístico-cultural do verão 2018-2019.

O secretário municipal da Cultura, Pawlo Cidade, informa que foram credenciados os projetos “A mulher árvore”, Teatro Lambe-Lambe (grupos ou artistas de teatro), Axé Capoeira Recepção Verão Cultural 2018-2019 (grupo de culturas populares), Palhaços do Maktub na Rua (performance circense), Billy Fat e Digital Apparatus (rap); bandas Violino de Luxo e Quente, “Show amor, política e ozadia”, de Cabeça Isidoro e Sintética (trio ou duo musical).

Back To Top