skip to Main Content
19 de fevereiro de 2020 | 09:48 am

BRADESCO PLANEJA FECHAR 450 AGÊNCIAS ATÉ 2020

Tempo de leitura: < 1 minuto

Bradesco prevê fechamento de 450 agências até 2020

O Bradesco deverá fechará 10% das suas agências em todo o Brasil até 2020. O plano representa o fechamento de 450 agências para fazer frente à despesa acima da meta e à pressão dos bancos digitais, de acordo com o Valor Econômico. Segundo a publicação, é o maior fechamento de agências desde a compra do HSBC, em 2016, quando foram fechadas 565 unidades.

Das 450 agências, 150 serão fechadas até o final de dezembro. Em 2020, outras 300 encerram as atividades, conforme o planejamento divulgado pelo Valor. O banco fechou 50 até setembro mais 100 até o final deste ano. O banco segue caminho adotado por Itaú e Banco do Brasil. O Itaú fechou 195 no primeiro semestre. O Banco do Brasil prevê fechar 242.

CAIXA ANUNCIA NOVA REDUÇÃO DE JUROS DO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Caixa Econômica Federal (CEF) reduziu, pela terceira vez no ano, as taxas para aquisição da casa própria. Tiveram queda as cobranças de juros do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Em ambas modalidades, a taxa efetiva mínima será a soma da Taxa Referencial (TR) mais juros de 6,75% ao ano, e a taxa efetiva máxima, a TR mais juros de 8,5% ao ano.

As reduções foram, respectivamente, de 0,75 ponto percentual e 1,0 ponto. As taxas valem para novos contratos e estarão vigentes a partir do dia 06 de novembro, segundo anúncio feito pela instituição financeira.

Até a primeira quinzena deste mês, a taxa mínima variava entre 7,3% e 7,99% ao ano entre os cinco principais bancos brasileiros. Conforme o Banco Central, o SFH é regulamentado pelo governo federal, e o valor máximo de avaliação do imóvel é de R$ 1,5 milhão. No caso do SFI, as condições são estabelecidas em livre negociação entre os clientes, bancos ou instituições financeiras.

CONSTRUÇÃO CIVIL: REDE CASA MAIS FÁCIL INAUGURA LOJA EM ITABUNA NESTA SEXTA

Tempo de leitura: 3 minutos

Casa Mais Fácil inaugura loja em Itabuna nesta sexta || Fotos Andreyver Lima/Pimenta

Um ano após chegar a Ilhéus, a Casa Mais Fácil vai abrir a primeira loja no maior polo comercial do sul da Bahia, o município de Itabuna, nesta sexta (1º). A unidade será inaugurada às 9h, na Avenida Juracy Magalhães, 721, no Fátima.

Toni, da Casa Mais Fácil: da fundação ao acabamento

Com 47 anos de mercado e 13 lojas nas regiões sul, baixo-sul e sudoeste da Bahia, a rede de lojas Casa Mais Fácil traz para Itabuna centenas de marcas conhecidas nacionalmente. Uma das apostas da rede é a facilidade para o consumidor regional parcelar as compras até em 36 vezes no crediário próprio. Outra opção de pagamento de compras é o parcelamento em até 10 vezes, sem juros, no cartão de crédito.

Segundo o diretor comercial da Casa Mais Fácil, Antônio André (Toni), o consumidor encontrará de tudo para sua construção e contará com serviço de entrega com menor prazo. “Além disso, temos o maior mix de produtos para construção na Bahia, preços competitivos e um excelente serviço de pronta entrega de todos os produtos expostos na loja”, disse Toni.

POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO

A empresa, afirma Toni, acredita no potencial de desenvolvimento de Itabuna.“É um município com uma grande história, com um povo que acredita no crescimento econômico e social. Por isso, que estamos vindo para contribuir com esse desenvolvimento e, também, fazer parte da história de Itabuna”.

Profissionais da arquitetura e da engenharia conhecem mix da rede || Andreyver Lima/Pimenta

Para Lorena Santos Dias, gerente da loja em Itabuna, por ser uma grande rede, a Casa Mais Fácil oferece uma série de vantagens exclusivas ao consumidor. Ela cita como diferencial, por exemplo, o prazo para o pagamento no crediário próprio e o mix de produtos. “O cliente pode buscar aqui produtos para todas as etapas da obra”.

Embora trabalhe com todos os produtos para a construção, afirma Lorena, um dos carros-chefes da rede de lojas são os pisos. “Temos 300 mil metros quadrados de pisos para pronta-entrega, com quase 250 modelos diferentes. Outra vantagem é que trabalhamos com as melhores marcas do Brasil”.

Loja abrirá com 300 mil m² de piso para pronta-entrega || Foto Andreyver Lima/Pimenta

APROVAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA

Na terça-feira (29), a rede de lojas do setor de construção ofereceu um coquetel para que os engenheiros, decoradores e arquitetos conhecessem a filosofia de trabalho e o mix de produtos da unidade de Itabuna.  “A chegada de um concorrente representa sempre mais opções de produtos e mercas no mercado. Isso é muito bom para o consumidor”, avalia o engenheiro civil Noival Neto.

Outra profissional que aponta vantagens para o consumidor e elogia a grande variedade de produtos e marcas conhecidas nacionalmente é a engenheira civil Ananda Justino. “É uma loja completa. Aqui podemos observar a alta qualidade dos produtos que serão ofertados para os clientes. Acredito que, com a chegada desse empreendimento, Itabuna só tem a ganhar”.

Toni, da Casa Mais Fácil, com equipe que atuará na filial de Itabuna || Andreyver Lima/Pimenta

Nesta quarta-feira (30) será a vez dos pedreiros, pintores e eletricistas conhecerem o mix de produtos da Casa Mais Fácil e o atendimento diferenciado da rede de lojas. O coquetel exclusivo para estes profissionais da construção civil será a partir das 19h30min.

A rede Casa Mais Fácil pertence ao grupo Ramiro Campelo e possui lojas em Valença, Ituberá, Camamu, Ipiaú, Gandu, Jequié, Tancredo Neves, Ubaitaba, Santo Antônio de Jesus, Nazaré e Ilhéus e, a partir de sexta-feira, Itabuna. Com mais de 20 funcionários, a loja de Itabuna ocupará espaço de 520 metros quadrados. Atualizado às 15h20min.

CÔNSUL-GERAL DE CUBA VISITA BIOFÁBRICA E MANIFESTA INTERESSE EM COOPERAÇÃO COM O SUL DA BAHIA

Tempo de leitura: 3 minutos

Os cônsules Yoneski e Milena atentos às explicações de Lanns || Foto Mariana Ferreira

Mariana Ferreira

A cônsul-geral de Cuba no Nordeste, Milena Caridad Zaldívar, e o cônsul para Assuntos Econômicos e Comerciais, Yoneski Gutiérrez, estiveram em missão no Litoral Sul da Bahia, no último final de semana, para conhecer a produção de mudas que a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) distribui aos agricultores familiares na Bahia por meio da Biofábrica de Cacau. Os cônsules conheceram os viveiros e laboratório da instituição, em Ilhéus, e o plantio e desenvolvimento precoce das mudas de cacau no Projeto de Assentamento Dois Riachões, localizado no município de Ibirapitanga. A missão técnica foi articulada pelo deputado estadual Marcelino Galo.

“O objetivo da nossa visita foi precisamente conhecer o desenvolvimento que tem alcançado essa região na produção de cacau. Cuba tem muito interesse em conhecer essa experiência e começar a desenvolver parcerias que nos possibilitem aperfeiçoar os procedimentos, os mecanismos que temos lá para fortalecer a produção do cacau”, destacou a cônsul-geral, que conheceu os diferentes tipos de propagação das mudas de cacau produzidas na Biofábrica com a parceria da SDR.

“Encontrei no sul da Bahia uma preparação de qualidade, um trabalho muito bem feito na área, desde o trabalho nos viveiros e laboratório ao campo. Acredito que uma parceria muito boa na troca de conhecimento vai acontecer entre o estado da Bahia e Cuba”, disse a cônsul-geral.

“Vou levando para o meu país essa experiência, esse saber que vocês têm adquirido aqui e uma agenda de ações, que vai incluir a participação de pesquisadores cubanos, e também a visita de uma delegação do sul da Bahia a Havana, incluindo a participação em eventos internacionais. Parabenizamos pelos 20 anos da Biofábrica e desejamos muito sucesso nos próximos anos e nessa parceria entre o sul da Bahia e Cuba que está se iniciando”, completou Milena Caridad.

O presidente da Biofábrica, Lanns Almeida, ressaltou o fortalecimento da estratégia de inserção regional em mercados internacionais. “O sul da Bahia, ao receber a visita técnica do Consulado de Cuba, se fortalece na estratégia de inserir a região cacaueira no mercado internacional, ao passo em que também evidencia a importância da Biofábrica para a cadeia produtiva do cacau não apenas no Brasil, mas no contexto mundial. A SDR, por meio do secretário Josias Gomes, demonstra alinhamento e capacidade de expandir os horizontes da região e da Bahia”, ressaltou o diretor presidente da Biofábrica, Lanns Almeida.

Cônsules conhecem trabalho no Assentamento Dois Riachões || Foto Daniel Thame

DOIS RIACHÕES

Em Ibirapitanga, Milena Caridad e Yoneski Gutiérrez conheceram o trabalho comunitário desenvolvido pelo Projeto de Assentamento (PA) Dois Riachões. No local, além de hortaliças para distribuir em feiras e estações orgânicas e consumo próprio, a comunidade possui uma área produtiva de cacau de 164 hectares.

“Somos 40 famílias. Hoje todas as famílias aqui trabalham na produção do cacau de qualidade, cacau orgânico, porque somos praticantes da agroecologia, obedecendo as regras do nosso estatuto desde o começo. Nossa comunidade caminha, apesar da crise, e está conseguindo superar com a diversificação da produção e com o cacau de qualidade”, disse Marcelo Mota, morador do PA, que em 2018 recebeu do governo do estado a doação de cinco mil mudas de cacau dos clones Cepec 2002 e CCN 51.

Leia Mais

CACAU FINO DO SUL DA BAHIA CONCORRE A PRÊMIO NA FRANÇA NESTA QUARTA-FEIRA

Tempo de leitura: 2 minutos

cacau do sul da Bahia concorre a prêmio na França|| Foto Divulgação

Duas amostras de cacau produzido no Brasil, uma da Bahia e outra do Pará, estão entre as 50 finalistas do Programa Cacau de Excelência (CoEx 2019), que premia as melhoras amêndoas entre os países produtores de cacau do mundo. A premiação será nesta quarta-feira (30), durante o Salão do Chocolate, em Paris, na França. O evento será realizado até o próximo dia 3.

O representante baiano é o produtor João Dias Tavares, que é dono de uma fazenda em Uruçuca e já viveu a experiência de ganhar, por mais de uma vez, o prêmio pela produção de cacau fino. Há 10 anos, Tavares foi o primeiro produtor de cacau brasileiro a receber o prêmio pela qualidade das amêndoas.

João Tavares é um craque no campo quando o assunto é produção de amêndoas de alta qualidade. Ele ganhou duas edições da CoEx, por dois anos consecutivos, em 2010 e 2011. As amêndoas são produzidas na Fazenda Leolinda, de cerca 700 hectares, no município de Uruçuca, no sul da Bahia.

João Tavares ao lado do empresário belga Pierre Marcolini

PROCESSO DE SELEÇÃO

A seleção das amostras brasileiras foi feita pela Comissão do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em parceria com o Centro de Inovação do Cacau (CIC).

Inicialmente, foram apresentadas oito amostras dos maiores produtores de cacau do Brasil (cinco da Bahia, duas do Pará e uma do Espírito Santo). Já em Paris, foram selecionadas duas para concorrer à premiação final. A outra finalista brasileira é a produtora Elcy Gutzeit, do Pará.

O CoEx tem como objetivo reconhecer e valorizar o trabalho dos produtores de cacau de alta qualidade, valorizando a diversidade de sabores de diferentes origens. O prêmio promove ainda a educação ao longo da cadeia de valor do cacau no sentido de estimular a produção de alta qualidade e a preservação dos sabores resultantes da diversidade genética.

O CoEx visa também facilitar a comunicação e construir elos entre produtores de cacau, cadeias de abastecimento e oportunidade de mercado.Os finalistas brasileiros já estão entre as 50 melhores amostras do mundo.

KALUNGA PREVÊ FATURAR R$ 1 MILHÃO POR MÊS EM LOJA NO SHOPPING JEQUITIBÁ

Tempo de leitura: 2 minutos

Kalunga vai inaugurar em Itabuna a quinta loja na Bahia || Foto Reprodução

A Kalunga inaugura sua quinta loja na Bahia, desta vez no município de Itabuna. A partir desta sexta-feira (1º), os frequentadores do Shopping Jequitibá, um dos principais polos de negócios da região, podem conhecer as novidades do novo estabelecimento.

A loja em Itabuna funcionará em espaço de 500 metros quadrados. Por Itabuna ser caracterizado como polo universitário regional, os estudantes e demais clientes poderão encontrar um mix de mais de 11 mil produtos da maior varejista do segmento de papelaria, material escolar, suprimentos para escritório e informática do país.

Quando o novo estabelecimento atingir o nível de maturação, a Kalunga estima faturamento entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão por mês. “A abertura de mais uma loja na Bahia reforça a liderança nacional da rede em seu segmento, além de confirmar a importância da região para a conquista de melhores resultados”.

A rede possui mais de 200 lojas em todo o país e espera chegar a 250 unidades em 2020. Além das cinco lojas na Bahia, a Kalunga está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Bahia, Ceará, Pernambuco, Goiás, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraíba, Alagoas, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Pará e Piauí e no Distrito Federal.

EXPANSÃO DO SHOPPING JEQUITIBÁ

Já nesta quinta (31), o Shopping Jequitibá promove evento para convidados para a inauguração da segunda expansão do centro de compras onde funcionará a Kalunga. Cerca de R$ 25 milhões estão sendo investidos pelo Jequitibá para abrigar novas lojas e serviços, além das salas de projeção da Cinemark, previsto para inaugurar até dezembro.

Sistema Pode Reinventar a Produção Industrial de Cacau Gourmet na Bahia

Tempo de leitura: 3 minutos

O professor Jauberth Abijaude, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), decidiu aplicar um sistema baseado em Internet das Coisas para otimizar a produção de cacau, uma das maiores riquezas da Bahia. O objetivo é montar uma cadeia de monitoramento para avaliar os processos do fruto com foco nas fases de fermentação e secagem das amêndoas, período no qual se desenvolvem características fundamentais do cacau gourmet.

Jauberth explica que o conceito de internet das Coisas veio para facilitar tarefas do cotidiano que passam a ser realizadas com o auxílio de sensores e atuadores. “A tecnologia cria uma rede de objetos inteligentes que reúne e transmite dados para otimizar a vida das pessoas. O uso da Blockchain e dos contratos inteligentes adiciona uma camada de segurança nos dados coletados pelos sensores”.

O pesquisador acrescenta que a inspiração de trazer esta realidade virtual para o mundo do cacau veio do anseio de valorizar o fruto, que é uma joia baiana. “Eu e meu grupo de pesquisadores buscamos também driblar o declínio na produção causado por infestações como a vassoura de bruxa, fungo que atingiu a produção brasileira de cacau no final dos anos 1980”.

O novo sistema é composto de microcontroladores programáveis e um aplicativo capaz de monitorar e registrar atributos como temperatura, umidade, pH, além de acionar fontes de calor ou resfriamento.

COMO FUNCIONA O SISTEMA

O sistema funciona da seguinte maneira: a plataforma acompanha e intervém no processo que é monitorado de forma online ou automática, configurando agendas e gatilhos para manter a fermentação dentro de parâmetros desejados. Assim, a evolução do fruto é mensurada e possíveis danos na plantação podem ser evitados previamente com os dados coletados.

De acordo com o pesquisador, a inovação do sistema está em acompanhar e interferir no processo de fermentação em tempo de execução, capturando os dados e enviando-os para os contratos eletrônicos hospedados na Blockchain. “Isto permite que as informações capturadas possam ser auditadas sem a necessidade de um terceiro elemento de confiança”, ressalta.

A primeira versão do protótipo já foi testada e o software está em processo de atualização para funcionar em fazendas que não possuem internet. O projeto ganhou reconhecimento internacional e será apresentado em um congresso sediado no Brasil, especificamente em Salvador, chamado Latin-American Conference on Communications (LATINCOM 2019), considerada a maior conferência sobre comunicações da América Latina.

O professor Jauberth Abijaude vislumbra que, no futuro, a indústria do cacau terá mais dados e conhecimentos sobre a produção e poderá melhorar ainda mais a qualidade do alimento.

O trabalho foi realizado em colaboração com os professores Fabíola Greve, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Juliana Torres, do Instituto Federal Baiano (IF Baiano), além de Péricles Sobreira e Omar Wahab, ambos da Universidade de Québec (UOQ), no Canadá. A orientação do projeto ficou a cargo de Ítalo Pinto da Uesc e Cristian Zubieta da UOQ.

A Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb) também apoiou a iniciativa, através dos pesquisadores Henrique Serra e Isaac Allef, da Uesc. Estudantes de graduação e pós-graduação de outras universidades como Uesc, Ufba e IF Baiano também participaram. Foram eles Levy Santiag, Hellan Vianna, Noberto Hess, e Lucas Arléo, e os voluntários João Victor Rupp e Pablo Carvalho.

BAHIA FAZ CIÊNCIA

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fapesb estrearam, no dia 8 de julho, o Bahia Faz Ciência, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias serão divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estarão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria.

SISTEMA PODE REINVENTAR A PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE CACAU GOURMET NA BAHIA

Tempo de leitura: 3 minutos

Sistema pode ajudar a desenvolver produção de cacau gourmet na Bahia

O professor Jauberth Abijaude, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), decidiu aplicar um sistema baseado em Internet das Coisas para otimizar a produção de cacau, uma das maiores riquezas da Bahia. O objetivo é montar uma cadeia de monitoramento para avaliar os processos do fruto com foco nas fases de fermentação e secagem das amêndoas, período no qual se desenvolvem características fundamentais do cacau gourmet.

Jauberth explica que o conceito de internet das Coisas veio para facilitar tarefas do cotidiano que passam a ser realizadas com o auxílio de sensores e atuadores. “A tecnologia cria uma rede de objetos inteligentes que reúne e transmite dados para otimizar a vida das pessoas. O uso da Blockchain e dos contratos inteligentes adiciona uma camada de segurança nos dados coletados pelos sensores”.

O pesquisador acrescenta que a inspiração de trazer esta realidade virtual para o mundo do cacau veio do anseio de valorizar o fruto, que é uma joia baiana. “Eu e meu grupo de pesquisadores buscamos também driblar o declínio na produção causado por infestações como a vassoura de bruxa, fungo que atingiu a produção brasileira de cacau no final dos anos 1980”.

O novo sistema é composto de microcontroladores programáveis e um aplicativo capaz de monitorar e registrar atributos como temperatura, umidade, pH, além de acionar fontes de calor ou resfriamento.

Leia Mais

MAIS DE 40 PRODUTORES BRASILEIROS PARTICIPARÃO DO SALON DU CHOCOLAT EM PARIS

Tempo de leitura: 3 minutos

Mais de 40 produtores de cacau e chocolate de origem do Brasil se preparam para representar o País na 25ª edição do Salon Du Chocolat de Paris, maior evento mundial do segmento, entre os dias 30 de outubro e 3 de novembro. Eles integram a Missão Empresarial Brasileira, que reúne empreendedores da Bahia, do Pará, São Paulo e outros estados para uma imersão no mercado europeu.

O Brasil já foi líder mundial na produção do cacau como commodity. Atualmente em sexto lugar nesse ranking global, o País vem se destacando na produção do cacau fino e premium, investindo em tecnologia, pesquisa e inovação para obter amêndoas de alto padrão. Em paralelo, ações de estimula à verticalização da matéria-prima, com investimentos em capacitação, novas unidades industriais e a realização de eventos em todo país, tem permitido o crescimento anual do mercado de chocolate de origem, com qualidade e potencial para exportação dentro dos segmentos bean to bar e gourmet.

CACAU DO BRASIL

Essa elevação do status brasileiro no exterior é fruto de esforços dos produtores, tanto individualmente quanto através de suas instituições representativas, mas principalmente incentivados pelo projeto intitulado Cacau do Brasil, que há 11 anos atua na qualificação do processo produtivo e na promoção do cacau fino, contando desde o início com o apoio dos governos estaduais da Bahia e do Pará, onde se concentram as principais áreas de cultivo do fruto no país.

A Missão do Cacau do Brasil no Salon de Paris é hoje uma das mais importantes formas de divulgação e prospecção de mercado para o cacau brasileiro. “A capital francesa é um dos mais avançados centros do mundo no segmento e o evento é o maior ponto de encontro para participantes globais da cadeia produtiva”, ressalta o produtor baiano de cacau fino e chocolate Pedro Magalhães, presidente da Associação Chocosul.

Leia Mais

CAIXA E BB INICIAM NOVA FASE DE PAGAMENTO DO PIS/PASEP

Tempo de leitura: 3 minutos
Inauguração Agência Itabuna

Caixa abre nova fase de pagamento do PIS || Foto Pimenta/Arquivo

O abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) do calendário 2019/2020 começa a ser pago nesta quinta-feira (17) para os beneficiários nascidos em outubro e servidores públicos com final de inscrição 03.

A Caixa Econômica Federal é responsável pelo pagamento do abono salarial do PIS. Os pagamentos são disponibilizados de forma escalonada conforme o mês de nascimento do trabalhador.

Os titulares que possuem conta individual na Caixa com cadastro atualizado receberam o crédito automático antecipado ontem (15).

Os primeiros a receber o abono foram os nascidos em julho, no caso dos trabalhadores da iniciativa privada. Quanto aos servidores públicos, os que têm inscrição iniciada em zero.

Os trabalhadores que nasceram até dezembro recebem o PIS ainda este ano. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2020.

Os servidores públicos com o dígito final de inscrição do Pasep de 0 e 4 também recebem este ano. Já no caso das inscrições com o final entre 5 e 9, o pagamento será no próximo ano.

O fechamento do calendário de pagamento do exercício 2019/2020 será no dia 30 de junho de 2020.

QUEM TEM DIREITO

O benefício é pago ao trabalhador inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias ao longo de 2018 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

Para ter direito ao abono também é necessário que o empregador tenha informado os dados do empregado na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2018.

Leia Mais
Back To Top