skip to Main Content
3 de junho de 2020 | 11:16 am

MÉDICOS DO SUDOESTE DENUNCIAM A SESAB POR “SITUAÇÃO GRAVE” APÓS EXTINÇÃO DE CENTRAL DE LEITOS

Sesab manteve central de Juazeiro, porque é interestadual || Foto Divulgação
Tempo de leitura: 5 minutos

Médicos plantonistas do sudoeste baiano emitiram uma carta aberta para denunciar a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) pela “situação grave em que os serviços de saúde” da região se encontram após extinção da Central de Regulação de Leitos em Conquista. Há quase um mês, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, extinguiu as centrais de regulação em Itabuna e em Vitória da Conquista, com a aprovação do governador Rui Costa. O documento dos médicos aponta aumento dos riscos de óbito de pacientes tratáveis após o fim da Central no sudoeste e a centralização em Salvador.

Conforme carta aberta, após o encerramento das atividades da Central nos dois municípios – em 6 de maio -, os hospitais regionais e médicos plantonistas estão enfrentando dificuldades na transferência de pacientes de hospitais de baixa complexidade para os de maior porte e crescente risco de agravamento de quadro de saúde e óbito.

“As dificuldades enfrentadas pelos médicos plantonistas são contínuas, pois além de atenderem casos clínicos diversos, muitas vezes sobrecarregados pela quantidade de pacientes, agora estão com problemas para encaminharem os pacientes que necessitam de maiores cuidados”.

REALIDADE ERA OUTRA

Os médicos plantonistas explicam, na carta, que a central regional era operada por médicos reguladores locais, “que conheciam a realidade da região sudoeste, as limitações dos serviços de saúde e o fluxo era organizado de acordo com a capacidade das unidades hospitalares”.

E continuam:

“Dessa forma, a análise dos casos clínicos era realizada em tempo hábil, possibilitando a priorização na transferência dos pacientes mais graves para os hospitais de referência da região ou do estado. Os médicos reguladores também participavam de discussão clínica com os respectivos plantonistas das cidades menores, auxiliando na condução do tratamento, o que infelizmente se perdeu após a mudança”. Essa flexibilidade se perdeu com a centralização em Salvador.

MOROSIDADE E AGRAVAMENTO DE QUADRO

Os médicos denunciam que a centralização em Salvador resultou em morosidade para autorização das transferências dos casos mais graves e “falta de transparência nos relatórios de vaga zero”. Ainda grave, eles apontam dificuldade para contato direto com a Central por telefone e as transferências desordenadas para cidades muito distantes do local de partida.

Há, ainda, “escassez de informações por parte da Central para com os hospitais regionais, falta de comunicação com os médicos reguladores, insuficiência de informações sobre a transferência (vaga zero, maca retida, necessidade
do médico acompanhando)”. Os médicos citam, também, que o desconhecimento da rede hospitalar regional por parte dos reguladores em Salvador resulta em autorizações de transferências “para hospitais diversos, em algumas situações muito distantes da cidade de origem, utilizando apenas o critério de disponibilidade de vaga”.

Os médicos enumeram as consequências da centralização da regulação de leitos em Salvador em um estado de grande extensão territorial como a Bahia: “é a desorganização e retrocesso na forma de transferir os pacientes e isso fatalmente resulta em agravamento dos casos, piora dos prognósticos, atraso nos tratamentos e em último caso, no óbito de pacientes tratáveis”. Com a carta, os médicos buscam “tornar público” o problema enfrentado pelos profissionais e cobrar do Governo Estadual uma solução urgente desse imbróglio.

Vilas-Boas reclamou de corporativismo de servidores estaduais

“CORPORATIVISMO DOS SERVIDORES”

O secretário Vilas-Boas disse que estava determinado a centralizar a regulação de leitos em Salvador. Um prédio foi construído para essa finalidade na capital baiana. Durante videoconferência, há cerca de 30 dias, com secretários municipais de Saúde, que se queixavam das dificuldades com o novo sistema, ele disse:

– O corporativismo do servidor público é resistente. Pagaram pra ver se eu ia fechar mesmo [as centrais de regulação no interior]. Não acreditaram que eu ia fechar. Eu mandei fechar e botei todo mundo em aviso prévio –  disse ele aos secretários municipais.

A reação de Vilas-Boas contra os servidores deixou secretários indignados, mas não se pronunciaram publicamente por temerem retaliações em tempos de pandemia. Ele afirmou que demorou 30 dias para fechar a equipe para a central em Salvador. Foi quando decidiu intervir e determinar a contratação de funcionários para fazer a central na capital baiana. “Estou esperando, essa semana, poder voltar a ter número de pessoas para manter a tela limpa”, disse ele.

Abaixo, no leia mais, a íntegra da carta dos profissionais do sudoeste baiano.

Leia Mais

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE É PRORROGADA ATÉ 30 DE JUNHO NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Campanha de Vacinação contra a Influenza foi prorrogada até o dia 30 de junho, informou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). De acordo com órgão, a meta de vacinar 90% para alguns grupos não foi alcançada, o que levou à prorrogação da campanha.

Na Bahia, somente os grupos de trabalhadores da saúde, indígenas e idosos, a partir de 60 anos, atingiram a meta de vacinação. No primeiro grupo, 99,41% de cobertura e no segundo grupo, a cobertura ficou em 96,97% e o terceiro grupo, a cobertura ficou acima de 100%. Os outros grupos ficaram muito abaixo da meta: crianças (34,31%); gestantes (45,10%); puérperas (53,30%); adultos de 55 a 59 anos (33,61%).

Na Bahia, a meta é imunizar 90% do público alvo, formado por cerca de 4,6 milhões de pessoas. Para proteger ao máximo a população, a vacina está disponível em postos espalhados por todos os municípios. Além disso, a Secretaria Estadual da Saúde orientou aos gestores municipais a ofertarem a vacina fora dos postos de saúde, em ambientes abertos e ventilados a fim de ampliar a oferta e evitar aglomerações, obedecendo a distância necessária.

“SEMPRE DISSE A DEUS QUE ESTAVA ALI PARA SERVIR”, DIZ TÉCNICA DE ENFERMAGEM LIVRE DA COVID-19

Empenho e dedicação de profissionais asseguram qualidade da assistência hospitalar
Tempo de leitura: 2 minutos

O compromisso dos profissionais de saúde torna-se ainda mais marcante em tempo de pandemia. A técnica de enfermagem Layane Alves Nascimento expressou o seu sentimento por sua profissão, colegas, amigos, pacientes e local de trabalho. Ela é profissional do Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus.

Nesta semana, por meio de uma rede social, Layane Alves publicou em um post que, há um mês, recebeu a notícia do seu diagnóstico positivo para a Covid-19. A técnica de enfermagem relatou que, inicialmente, tomou um susto, por não apresentar nenhum sintoma da doença e iniciou seu isolamento de 14 dias.

Layane descreveu que foram dias difíceis e a única coisa que sentiu, disse, foi tédio. “Com a graça do Deus que eu sirvo, não senti uma dor na unha. Fui completamente assintomática. Sempre disse a Deus que estava ali para servir e para cuidar das pessoas doentes que precisam de nós, profissionais, e que nessa pandemia eu iria me dedicar cada vez mais”, confessou.

A técnica de enfermagem chegou a se perguntar: “não entendo. Deus está precisando de tantos profissionais e eu aqui, em um quarto, trancada. Será que não tenho utilidade?” Ao terminar o isolamento, Layane disse que havia voltado para o lugar de onde não deveria ter saído: o hospital.

Com propósito claro, Layane retornou ao trabalho e está atuando na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da ala Covid-19 do HRCC. Ela relata a satisfação: “Deus hoje me colocou em uma UTI Covid. Só agora eu pude entender que Deus ouviu o meu pedido, que era cuidar mais ainda dessas pessoas que precisam nessa pandemia. Ele me trouxe aqui imune e cheia de forças para trabalhar. São momentos difíceis. A luta é grande, mas estamos vencendo”, reconheceu a técnica de enfermagem.

Layane Alves disse ainda ter ido atuar na UTI Covid-19 porque soube que a ala estava precisando de funcionários e não quis perder essa oportunidade. “É uma aprendizagem para minha carreira profissional. Temos equipamentos de proteção de ótima qualidade, nada nos falta. Infelizmente, perdemos pacientes para o Covid-19. É doloroso, mas quando vemos um paciente sair para a enfermaria, depois de ter vencido dias na UTI, é muito gratificante”, afirmou.

AGRADECIMENTO

A técnica de enfermagem agradeceu o apoio de todos. E também pelo amor e carinho que recebeu dos familiares, colegas de trabalho, amigos, pacientes, da vigilância de Itabuna e pelo envio de energia positivas. Layane ainda destacou o cartão virtual de apoio enviado pelo HRCC durante seu isolamento: “muito importante para mim e para minha equipe do segundo B. Foi doloroso para mim e para outros amigos ficarmos afastados e agradecemos a todos pelo cuidado e por nos apoiar como profissionais”.

Para o diretor assistencial do HRCC, Almir Gonçalves, é gratificante ver esses esforços simultâneos e a cooperação de todos empenhados em ofertar melhores serviços de saúde. “Aqui trabalhamos com as equipes coesas, muito dedicadas ao trabalho. O reconhecimento como esse de Layane demonstra que nós estamos propiciando um bom ambiente de trabalho, com sinergia. Isso reflete positivamente na assistência aos pacientes”, concluiu.

UBAITABA: CASOS DE COVID-19 AUMENTAM 50% E PREFEITURA ACELERA DESINFECÇÃO DE RUAS

Equipe se reveza na desinfecção de ruas e unidades de saúde em Ubaitaba
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Prefeitura de Ubaitaba acelerou o ritmo do trabalho de desinfecção de ruas e espaços públicos. De acordo com o último boletim epidemiológico, cresceu em 50% o número de casos do novo coronavírus (Covid-19) no município sul-baiano. Ontem (25), sete pacientes testaram positivo para a doença.

A equipe de desinfecção fez a lavagem de ruas e locais de maior movimento de pessoas em Ubaitaba na manhã desta terça-feira (26). Também houve desinfecção da base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e do Centro de Referência do Coronavírus no município.

De acordo com os números divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, Ubaitaba possui 15 casos ativos, 5 pacientes curados e ocorreu um óbito pela Covid-19. Segundo nota da Prefeitura, a tendência é de adoção de medidas ainda mais duras para conter o avanço da doença no município.

VITÓRIA DA CONQUISTA TEM 2,5 MIL NOTIFICAÇÕES E 300 CASOS CONFIRMADOS DE DENGUE

Vitória da Conquista tem 2,5 casos notificados de dengue.
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, confirmou, nesta segunda-feira (25), a notificação 3.342 casos suspeitos de Dengue, Zika e Chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.  Foram confirmados 319 casos de dengue e duas mortes causadas pela doença, no período de 1º de janeiro a 22 de maio.

Até o momento, além dos 319 casos confirmados de dengue, 61 foram descartados, 416 apresentaram diagnóstico inconclusivo em relação à doença e duas moradores do município morreram. Elas tiveram dengue hemorrágica. Já foram notificados, até agora, 2.560 casos suspeitos de dengue no município e 1.762 pacientes ainda aguardam resultado laboratorial.

CHIKUNGUNYA E ZICA

Com relação a Zica, dos 481 casos suspeitos notificados, três pessoas tiveram resultados confirmados laboratorialmente, 38 foram descartados e 71 apresentaram diagnóstico inconclusivo. Outras 369 pessoas notificadas com suspeita aguardam resultado laboratorial.

No caso da Chikungunya, foram notificados 301 casos suspeitos, sendo três casos confirmados laboratorialmente e 298 que ainda aguardam resultado de exames.

Em caso de sintomas de febre, dores articulares, dores abdominais e ao redor dos olhos, diarreia ou a presença de manchas avermelhadas pelo corpo, a pessoa deve procurar atendimento médico na unidade de saúde mais próxima de casa, onde será feita a notificação, orientações de cuidado e solicitação de exames de sangue específicos para detecção da Dengue, Zika ou Chikungunya.

A amostra é enviada ao Lacen Estadual, em Salvador, que realiza o exame laboratorial e dá um prazo de, no mínimo, 30 dias para divulgação do resultado – a demora na análise é justificada pelo atual cenário de pandemia do novo coronavírus que tem sobrecarregado o serviço.

APÓS QUARENTENA, FUNCIONÁRIOS DO HOSPITAL COSTA DO CACAU RETORNAM AO TRABALHO

Tempo de leitura: 2 minutos

Profissionais do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, que testaram positivo para o novo coronavírus (Covid-19) já retornaram ao trabalho na unidade hospitalar, após cumprir quarentena. A maioria desses trabalhadores não apresentou qualquer sintoma da doença.

A medida de afastamento foi aplicada de forma preventiva para inibir a circulação do vírus no hospital. Também colabora para a não propagação da Covid-19 na sociedade, já que muitos funcionários trabalham em outros locais e exercem atividades sociais diversas. A direção do HRCC e colegas de trabalho comemoraram o retorno desses colaboradores e reconheceram o valor e importância de cada um deles, afirma a direção.

De acordo com o diretor assistencial do HRCC, Almir Gonçalves, o retorno desses profissionais é  momento ímpar para a instituição e toda a equipe de trabalho. “Estamos felizes com o retorno dos colaboradores. A volta desses guerreiros, com saúde, graças a Deus, nos alegra bastante e nos dá forças para continuarmos trabalhando”, disse.

Almir Gonçalves enfatiza que cada vida é extremamente importante. “Todas essas pessoas e suas vidas não são apenas números estatísticos, são seres humanos, amados por muitos. Aqui, em reconhecimento ao trabalho de toda equipe do hospital, faço uma referência à memória do meu colega e amigo, o médico Gilmar Calasans, que, infelizmente, veio a óbito lutando contra a Covid-19”, destacou.

Funcionários reconheceram o respeito às medidas adotadas pela administração do hospital diante dos cuidados necessários frente a pandemia. O enfermeiro Adernilson Alves relata que foi informado pelo gerente de enfermagem sobre o resultado do seu exame positivo para Covid-19. “A partir desse momento fui afastado do setor para passar o período de quarentena, conforme protocolo do Ministério da Saúde. Nesses dias de isolamento, recebi todo o apoio da gerência de enfermagem e dos colegas do HRCC. Agradeço a todos pelas mensagens e ligações e a gestão do IBDAH pelo apoio de sempre”.

Wanderson Aragão, encarregado administrativo, relata que houve uma grande preocupação por parte do IBDAH, Instituto que faz a gestão do HRCC. “Quando meu exame deu positivo fui para isolamento e todos os dias estava sendo monitorado por médicos ao telefone e por WhatsApp. Sempre recebendo orientações, palavras de incentivo e apoio da minha coordenadora Fabiana, e de todos da unidade. Aqui, somos uma família e saber que eles têm esse cuidado é muito gratificante”, disse.

RECONHECIMENTO

Alguns pacientes internados no HRCC avaliam a qualidade do atendimento na unidade. Luiz Carlos Santana de Oliveira, de 43 anos, morador do Teotônio Vilela, em Ilhéus, chegou ao HRCC por causa de problemas cardíacos, via emergência. “Passei mal e fui encaminhado para o hospital. Fui atendido imediatamente, de forma excelente. Todo mundo que trabalha aqui é excelente, desde a limpeza até técnicos, enfermeiros e médicos”, avaliou.

Opinião semelhante é do paciente Jorge Antônio Borges, morador de Ilhéus, que passou por cirurgia no hospital, também fez boas referências à unidade hospitalar. “Ilhéus e toda região está de parabéns por ter um hospital desse. Fui atendido com agilidade, rapidez e eficiência. Muita dedicação dos funcionários, um quadro de profissionais e médicos excelentes, nota mil. O hospital poderia ser modelo para outros estados”.

MOÇÃO DE APLAUSOS 

No início deste mês, o HRCC recebeu uma moção de aplausos da Câmara de Vereadores de Ilhéus, pelos esforços empreendidos no combate a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A homenagem teve a autoria do fisioterapeuta e edil Fabrício Nascimento, (PSB)

HOSPITAL MANOEL NOVAES ALERTA PARA AUMENTO DE CASOS DE DENGUE

Hospital Manoel Novaes registra grande procura de vítimas da dengue
Tempo de leitura: 2 minutos

Números divulgados nesta sexta (22) pelo Hospital Manoel Novaes, em Itabuna, revelam aumento dos casos de dengue entre crianças, o que revela a necessidade de não descuidar em relação ao transmissor da doença, o mosquito Aedes aegypti. O hospital pediátrico aponta uma corrida pelo atendimento médico e crescimento da doença em abril.

De acordo com dados do Manoel Novaes, ocorreram 18 atendimentos de pacientes com dengue em abril, 5 deles do quadro mais grave da doença, a hemorrágica. Segundo a diretora técnica, Fabiana Ferreira Chávez, foram apenas dois pacientes com sintomas da doença. “A maior parte dos pacientes precisou ser internada”, revela a médica em relação aos casos de 2020.

Fabiana Chávez acredita que as pessoas estejam se descuidando de todas as outras doenças, principalmente as que são mais comuns no público pediátrico, devido à tensão gerada pelo novo coronavírus. Ela avalia que, como mais pessoas estão ficando em casa, aumentou a produção e acúmulo de lixo. Isso facilita o surgimento de criadouros de larvas do Aedes aegypti. “Parece que as pessoas não estão cuidando bem dos locais que servem para a reprodução do mosquito”, observa.

SINTOMAS DIFERENTES

Ela esclarece que a febre em casos do novo coronavírus não é tão insidiosa, persistente e, em boa parte das ocorrências, o paciente não apresenta febre alta. Já com a dengue, nas primeiras 48 horas, a febre é muito alta e, em certos casos, não passa mesmo com o uso de medicamentos. “A mialgia (dores musculares), é mais intensa. Na dengue, o paciente não apresenta anosmia (perda de capacidade olfativa) nem dores de garganta, por exemplo”, destaca a profissional.

A médica alerta também que a pessoa, em caso suspeito do novo coronavírus, só deve ser levada para a emergência se estiver passando mal, com dificuldade de respirar. Caso contrário, deve procurar o atendimento na rede básica de saúde e informar os sintomas para Vigilância Epidemiológica de seu município. Em Itabuna, esse atendimento é feito na UPA 24h do Monte Cristo, definida como Centro de Triagem local.

Fabiana acrescenta que nesse período de pandemia do novo coronavírus, ainda que não estejam saindo de casa, os pais devem evitar beijos e abraços nos bebês. Para a população em geral, a recomendação são aquelas já amplamente divulgadas, como só sair à rua em caso de necessidade, mas sem se esquecer do uso de máscara e lavar as mãos com sabão sempre que possível ou fazer uso de álcool em gel.

PRORROGADAS INSCRIÇÕES DE CHAMAMENTO DE MÉDICOS PARA ATUAR EM UTI COVID-19 NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Foram prorrogadas até o dia 25 de maio as inscrições para médicos de todo o Brasil interessados em atuar nas UTIs das unidades de referência e retaguarda para o coronavírus (Covid-19) em território baiano. O formulário deve ser preenchido por meio do site da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (www.saude.ba.gov.br/medicocovid19). São 400 vagas distribuídas entre diaristas, plantonistas e coordenação, com início imediato. Até o momento, cerca de 250 profissionais fizeram o cadastro.

A convocação visa contratar médicos com experiência, sendo especialistas nas áreas de medicina intensiva, anestesiologia, pneumologia, cardiologia, cirurgia, clínica médica ou especialidades afins. As vagas abrangem todo o território do estado da Bahia.

As contratações se farão por meio das Organizações Sociais gestoras das unidades hospitalares ou por empresas. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail medicocovid@saude.ba.gov.br ou pelo número (71) 99662-4661 (WhatsApp).

ANVISA IDENTIFICA VACINA CONTRA A GRIPE FALSIFICADA

Anvisa encontra vacina contra gripe falsificada
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou, na noite desta terça-feira (19), que foram identificados três casos de falsificação da vacina Fluarix Tetra, da empresa GlaxoSmithKline Brasil (GSK), utilizada para prevenir a influenza (gripe). A vacina falsificada é vendida na apresentação frasco-ampola multidose, ou seja, um frasco que permite que várias doses sejam retiradas e aplicadas em diversas pessoas.

A vacina Fluarix Tetra original da GSK é produzida e comercializada em embalagem que contém uma seringa preenchida com dose única, agulha, estojo plástico (para acondicionamento da seringa e da agulha), bula e cartucho. A empresa GSK também fabrica a Fluarix com 10 doses, porém a embalagem contém dez seringas preenchidas.

A agência alerta que, caso você encontrar a vacina Fluarix Tetra da GSK em frasco-ampola multidose, deve denunciar porque se trata de falsificação. A denuncia na Anvisa pode ser feita pelo 0800 701 22 33 ou pelo e-mail sac.brasil@gsk.com.

MÉDICOS CUBANOS SÃO RECONTRATADOS PARA ATENDER NO SUL E EXTREMO-SUL DA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sete municípios das regiões sul e extremo-sul estão entre as localidades da Bahia que terão médicos cubanos reincorporados para atendimento na rede pública de saúde. Os profissionais foram recontratados pelo governo federal por meio do Programa Mais Médicos para o Brasil. A reincorporação foi publicada pelo Ministério da Saúde no Diário Oficial da União.

Os municípios beneficiados são Canavieiras, Eunápolis, Gongogi, Ilhéus, Santa Cruz Cabrália, Uruçuca e Wenceslau Guimarães. De acordo com a Portaria nº 31, por meio da Secretaria de Atenção Primária à Saúde será concedido registro único para o exercício da medicina, no âmbito do projeto, aos médicos cubanos “reincorporados em 1ª chamada do Edital nº 9 de 26 de março de 2020”.

A pasta havia estimado um total de R$ 1,4 bilhão em investimentos e que esses profissionais poderão atuar em mais de uma unidade de saúde, o que deverá ser organizado pelas respectivas secretarias de saúde. Em toda a Bahia, 41 médicos cubanos foram reincorporados pelo Ministério da Saúde para atendimento na Bahia.

Back To Top