skip to Main Content
27 de novembro de 2020 | 10:32 pm

CONSULTORIA APONTA AVANÇOS NA ACREDITAÇÃO HOSPITALAR DO COSTA DO CACAU

Tempo de leitura: 2 minutos

Durante nova visita ao Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, a consultora Adriana de Carvalho Dias, da CGQ – Consultoria e Gestão da Qualidade, destacou avanços para Acreditação Hospitalar da unidade. Para a consultora, duas questões devem ser ressaltadas nesse processo, a restruturação do Núcleo Interno de Regulação (NIR) e a instalação do escritório da Qualidade.

De acordo com Adriana Dias, foi auditado o Almoxarifado e uma nova visita foi feita ao NIR, constatando as mudanças no setor e seu perfil de funcionamento. “Como resultados da reestruturação do Núcleo Interno de Regulação é que agora a gente vai ter indicadores, monitorando de forma efetiva a gestão de leitos e de alta hospitalar do paciente. Então, essa nova reestruturação do núcleo vai fortalecer ainda mais os processos relacionados a transferência interna e externa da instituição”, comentou.

Outro ponto importante citado pela consultora da CGQ foi a instalação do Escritório da Qualidade no HRCC para acompanhamento do processo de Acreditação Hospitalar. “Hoje, temos na composição desse escritório uma enfermeira e uma administradora, duas profissionais diferenciadas com muito conhecimento e expertise, inclusive no manual da ONA (Organização Nacional de Acreditação). Então, isso vai agregar bastante os processos também, facilitar a comunicação entre as áreas e o escritório da qualidade”, avaliou.

Adriana Dias ainda relatou que sua visita, realizada no período de 16 a 20 de novembro na unidade, foi bastante produtiva. “Conseguimos fazer duas reuniões, uma com o corpo clínico, onde nós estamos verificando o perfil epidemiológico da unidade junto com a prevalência e a gravidade, dessa forma criaremos protocolos assistenciais que vão ser monitorados. Percebemos essa interação e acordamos que todos os meses essas reuniões iriam acontecer, onde passamos todas as informações relacionadas a protocolo e indicadores de resultado”, disse.

A consultora ainda destacou a apresentação, por todos os gestores, dos acordos de serviços, segunda ferramenta de trabalhado, com todas as tratativas que são dadas através dos mapas de processos. “Todas as equipes do hospital já estão descrevendo seus Procedimentos Operacional Padrões (POPs) e Procedimentos Sistêmicos (PSs), onde envolvem duas ou mais áreas, essas rotinas estão sendo descritas para poder melhorar o os processos no HRCC”, concluiu.

HOSPITAL METROPOLITANO PODERÁ SER GERIDO PELO ALBERT EINSTEIN, DIZ VILAS-BOAS

Tempo de leitura: 2 minutos

O secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, se reuniu nesta terça-feira (24), em São Paulo, com dirigentes do Hospital Israelita Albert Einstein, para apresentar a modelagem da Parceria Público-Privada (PPP) que será lançada pelo governo baiano ainda este ano, a fim de gerir e ampliar o Hospital Metropolitano, em Lauro de Freitas.

O Hospital terá 265 leitos, sendo 70 de UTI e a sua gestão licitada na Bolsa de Valores. Segundo Vilas-Boas o objetivo é “atrair hospitais de excelência para sua gestão”.

De acordo com o secretário, a relação da Secretaria da Saúde da Bahia com o Einstein vêm sendo construída ao longo dos dois últimos anos. “O hospital paulista tem prestado consultoria na área de gestão hospitalar a fim de aumentar a eficiência da rede estadual”, afirma Vilas-Boas.

O Einstein é uma das cinco entidades de excelência que integram o Programa de Desenvolvimento de Apoio Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), responsável por projetos em parceria com o Ministério da Saúde e demais entes federados em prol de fortalecer e aprimorar o Sistema Único de Saúde (SUS). O programa é fundamentado na expertise dos hospitais de excelência e atua nas áreas de capacitação, incorporação de tecnologia, pesquisa e gestão em serviços de saúde.

Além do perfil assistencial e da modelagem econômico-financeira da PPP do Hospital Metropolitano, foram apresentados os investimentos já realizados e os que deverão ser empreendidos após a concessão. O encontro contou com a participação do CEO do Hospital, Henrique Sutton Neves, da diretora de Consultoria, Anarita Buffé, e do diretor-superintendente do Instituto Israelita de Responsabilidade Social, Guilherme Schetinno.

Leia Mais

DIA DO DOADOR: BANCO DE SANGUE DE ITABUNA SOFRE COM BAIXO ESTOQUE

Adelson Bispo apela que os voluntários voltem a doar sangue
Tempo de leitura: 2 minutos

O 25 de novembro é dedicado à celebração do Dia Nacional do Doador de sangue. Assim como ocorre em todo o Brasil desde o início da pandemia do novo coronavírus, os hospitais do sul da Bahia vêm sofrendo com a falta de doadores. Para mudar este quadro, uma campanha de captação foi lançada em Itabuna.

As ações com objetivo de sensibilizar a população estão sendo coordenadas pelo Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. A doação pode ser agendada pelo telefone (73) 3214-9126. São atendidas seis pessoas por hora na unidade instalada no anexo do Hospital Calixto Midlej Filho, na rua Antônio Muniz, no bairro Pontalzinho. O Banco de Sangue funciona das 7h às 17h, de segunda a sexta-feira, e das 7h ao meio-dia aos sábados.

Para tornar-se um doador, a pessoa precisa ter entre 16 e 69 anos, pesar, no mínimo 50 quilos e estar bem de saúde. Menores de 18 anos precisam de autorização de um responsável. Nesta quarta-feira (25), como forma de agradecimento, o Banco de Sangue de Itabuna distribuirá brindes aos doadores que comparecerem à unidade.

Nos últimos dias, o banco vem enfrentando mais um período crítico, com baixo estoque de sangue. Na semana passada, por exemplo, a queda de doação foi em torno de 70%, segundo o coordenador de captação do Banco de Sangue da SCMI, Adelson Bispo.

O receio é que essa redução se mantenha nos próximos meses. A quantidade de voluntários, observa Adelson, caiu drasticamente em março, mas registrou uma melhora significativa a partir do julho, passando de 450 para 800 bolsas mensais. Mesmo com essa melhora, o Banco de Sangue não alcançou o estoque de 1.200 bolsas, volume necessário para o abastecimento dos hospitais de Itabuna e de outros municípios da região.

Segundo Adelson, tradicionalmente, o número de doadores cai a partir de dezembro. “Essa redução ocorre por causa das férias escolares e das faculdades e porque muitos doadores viajam nesse período. Neste ano, o estoque já estava baixo por causa das medidas adotadas para evitar a disseminação do novo coronanvírus. Pedimos às pessoas que não deixem de comparecer ao Banco de Sangue de Itabuna e que continuem fazendo esse ato de amor ao próximo”, apela.

PGE-BA SE POSICIONA QUANTO À OPERAÇÃO DA PF

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Procuradoria-Geral do Estado da Bahia (PGE) acompanha, por um dos seus procuradores de Estado, o cumprimento do mandado de busca e apreensão na sede da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), nesta quinta-feira (19), de documentos relacionados ao Hospital Regional de Juazeiro e às instituições IBDAH e APMI.

“A orientação é a de garantir o fiel cumprimento da decisão judicial, considerando que o Estado da Bahia é o maior interessado nos esclarecimentos dos fatos”, diz a nota da PGE.

MUTIRÃO VIRTUAL DE PREVENÇÃO DO DIABETES NO BRASIL TERÁ PALESTRAS E DICAS DE PREVENÇÃO

Rafael Andrade, criador do maior mutirão de prevenção do diabetes no Brasil
Tempo de leitura: 2 minutos

Para esclarecer sobre o diabetes, especialmente como proteger a saúde dos olhos, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) realizará, em 21 de novembro, maratona de atividades com 24 horas de entrevistas e palestras com dicas de prevenção. O evento 24 horas pelo Diabetes terá edição virtual devido às limitações impostas pela Covid 19 na realização de mutirões por todo o país.

O evento terá a participação do médico Rafael Andrade, presidente da ONG Unidos pelo Diabetes e coordenador do Mutirão do Diabetes de Itabuna, considerado o maior evento no tratamento e prevenção da doença em todo o país. De acordo com Rafael, serão 24 horas voltadas para orientação sobre prevenção e tratamento do diabetes, “numa grande mobilização nacional, que envolve não apenas médicos”, mas diversos segmentos da sociedade organizada”.

Durante o evento também serão apresentados depoimentos de pacientes, de artistas e celebridades que enfrentam o diabetes. Haverá ainda várias reportagens sobre o tema. A ação digital também contará com a participação dos usuários das redes sociais, que poderão enviar perguntas, depoimentos e comentários.

“O Conselho Brasileiro de Oftalmologia entende que o diabetes é um tema que deve ser visto como prioridade pela saúde pública. Por isso, convidamos Governo, sociedades médicas e entidades da sociedade civil para fazerem parte dessa grande mobilização. Vamos levar esclarecimentos à população sobre o quão prejudicial o diabetes pode ser à visão e a importância da prevenção e do controle da doença, de uma forma geral”, afirmou o presidente do CBO, José Beniz Neto.

O coordenador do evento e vice-presidente do CBO, Cristiano Caixeta Umbelino, demonstra preocupação com os indicadores da doença. “O crescimento da prevalência do diabetes no mundo reforça a urgência de ações efetivas. No Brasil, entre 2006 e 2019, a prevalência de diabetes passou de 5,5% para 7,4%, segundo dados do Ministério da Saúde”, destaca. A programação completa das atividades de 21 de novembro, com foco nas mídias digitais, ficará disponível na página do CBO.

PACIENTE COMEMORA ARTROSCOPIA FEITA NO HOSPITAL COSTA DO CACAU

Tempo de leitura: 2 minutos

Há quatro anos, Tauan de Andrade Santos sofreu lesão no joelho e passou por duas ressonâncias magnéticas. Os exames diagnosticaram lesão do Ligamento Cruzado Anterior (LCA) e cisto no balde do menisco. Em consequência disso, o paciente sofreu alguns acidentes de trabalho e em sua casa, por falta de estabilidade em sua perna direita.

Tauan revelou que enfrentou várias filas para consulta e sempre recebia a mesma resposta, que seria necessário um tratamento cirúrgico. “Porém, minha cidade de Itabuna não oferecia pelo SUS. Entrei para a fila da lista única do Estado, para ser encaminhado a Salvador. Sequer consegui uma consulta. Minha vida tinha dado um pause”, disse o paciente.

Por meio do Projeto “Artroscopia Para Todos”, criado pelo médico ortopedista Umberto Castro Alves, que chegou ao Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, em outubro, Tauan conseguiu a sua tão esperada cirurgia. “Consegui uma consulta, fui ao ambulatório e, ao ver tantos pacientes operados pelo Dr. Umberto, fiquei muito confiante. Fui encaminhado a consulta e atendido pelo Dr. Adalberto, ele deixou minha situação super clara e marcou a minha data da cirurgia. Fiz a minha cirurgia super tranquilo, tive a minha alta e agora estou fazendo a fisioterapia”, comentou Tauan.

O paciente está bem confiante em sua plena recuperação e ressalta a importância do projeto, agradecendo a toda equipe do HRCC, pelos cuidados recebidos na unidade hospitalar. “Agradeço por essa iniciativa que atendeu vários pacientes, com história semelhante à minha, conheci no muitos que passaram pela mesma situação. Graças a Deus e ao projeto consegui, agora e só me recuperar e voltar, muito obrigado mesmo”, agradeceu Tauan.

José Antônio Sousa, presidente do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Administração Hospitalar (IBDAH) que faz a gestão do HRCC, sinaliza que os avanços na unidade se dá devido aos investimentos do Governo do Estado da Bahia e o empenho da equipe. “É notório os investimentos do governador Rui Costa para que a saúde tenha avanços e no Hospital Costa do Cacau eles são bem significativos, assim como, o empenho de toda a equipe que trabalha focada na assistência de qualidade aos usuários do SUS”, disse.

DIABETES É RESPONSÁVEL POR 43 AMPUTAÇÕES DIÁRIAS NO BRASIL; VEJA DICAS DE PREVENÇÃO

Tempo de leitura: 4 minutos

Neste Dia Mundial de Combate ao Diabetes, lembrado hoje, o Brasil registra a marca de 43 amputações de membros inferiores por dia, decorrentes de complicações da doença. Os dados, do Ministério da Saúde, se referem à soma de 10.546 amputações feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) entre janeiro e agosto deste ano, ao custo de R$ 12,3 milhões.

No mesmo período do ano passado, foram realizadas pelo SUS 10.019 amputações de membros inferiores em decorrência do diabetes, que custaram R$ 11,6 milhões. O crescimento no número de procedimentos em 2020 foi de 5,26%.

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) alerta que o principal motivo que leva a essas amputações é a falta de cuidados com a doença, a causa mais comum para amputações de pés e pernas, com cerca de 60%. Em 85% dos casos, o problema aparece como uma ulceração nos pés, ou seja, uma lesão nos tecidos, que pode ser tratada. O diabetes causa perda da sensibilidade, e os ferimentos podem evoluir para o chamado pé diabético, chegando aos casos graves de gangrena que necessitam de amputação.

O paciente diabético precisa ficar atento a qualquer sinal nos pés, como frieiras, bolhas, ferimentos e calos. Os cuidados envolvem secar os pés com cuidado após o banho, manter a pele hidratada, utilizar meias de algodão e sapatos fechados.

DIABETES E COVID-19

O diabetes também é um dos principais fatores de risco para o agravamento da covid-19. Por isso, o projeto internacional CoviDiab Registry, uma iniciativa da King’s College London, da Inglaterra, e da Monash University, da Austrália, está reunindo dados globais sobre diabetes e covid-19. Segundo os pesquisadores, há indícios de que o novo coronavírus também possa causar diabetes em quem não tinha.

“É plausível que o Sars-Cov-2 possa causar várias alterações coexistentes do metabolismo da glicose, que podem complicar a fisiopatologia do diabetes pré-existente ou levar a novos mecanismos da doença. Existem, de fato, precedentes para uma etiologia viral para diabetes com tendência à cetose”, informa o projeto.

O que os cientistas ainda não sabem é se o diabetes causado pelo Sars-Cov-2 persiste após a cura da infecção, ou se pode se tornar mais um fator de risco para pacientes com tendência à doença.

Estudo feito no início da pandemia no Brasil mostrou que os pacientes de diabetes negligenciaram os cuidados por causa do isolamento e das medidas restritivas. A pesquisa ouviu 1.701 pacientes entre os dias 22 de abril e 4 de maio e os resultados foram publicados em agosto no periódico científico Diabetes Research and Clinical Practice.

Participaram do levantamento pesquisadores e médicos de diversas instituições, entre elas a International Diabetes Federation, ADJ Diabetes Brasil, Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), Universidade de São Paulo (USP), Pan African Women in Health (PAWH), Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Hospital do Rim e Hipertensão de São Paulo.

Do total, 95,1% dos entrevistados reduziram a frequência de saídas da residência e 91,5% passaram a monitorar a glicose no sangue em casa. Foi relatado aumento, diminuição ou maior variabilidade nos níveis de glicose por 59,4% dos participantes, 38,4% deles adiaram consultas médicas e exames de rotina e 59,5% diminuíram a atividade física.

Outra pesquisa foi iniciada em setembro pela Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com o apoio da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), com o objetivo de analisar o autocuidado em diabetes e resiliência na pandemia pelos brasileiros. Podem participar as pessoas com diagnóstico de diabetes, de ambos os sexos, maiores de 18 anos e que residam no Brasil. O formulário está disponível em https://bit.ly/DIABETESvid.

SINTOMAS, PREVENÇÃO E TRATAMENTO

Segundo o Ministério da Saúde, o diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo. Com isso, podem ocorrer altas taxas de glicose no sangue que levam a complicações cardíacas, nas artérias, olhos, rins e nervos, podendo inclusive ser fatal.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, o Brasil soma atualmente mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença. Os dados da Federação Internacional de Diabetes mostram que no ano passado 463 milhões de adultos viviam com diabetes no mundo, sendo que metade não foi diagnosticada. A estimativa é que o número chegue a 700 milhões em 2045. Em 2019, a doença causou 4,2 milhões de mortes no mundo e pelo menos US$ 760 bilhões em gastos com saúde, o que equivale a 10% dos gastos totais com adultos.

Os principais sintomas são fome e sede excessiva e vontade de urinar várias vezes ao dia. No diabetes tipo 1, pode ocorrer também perda de peso, fraqueza, fadiga, mudanças de humor, náusea e vômito. No tipo 2, são sintomas também formigamento nos pés e mãos, infecções na bexiga, rins, pele e infecções de pele, feridas que demoram para cicatrizar e visão embaçada.

A prevenção é feita com a prática de hábitos saudáveis, como comer diariamente verduras, legumes e frutas; reduzir o consumo de sal, açúcar e gorduras; parar de fumar; praticar exercícios físicos regularmente; e manter o peso controlado. Os fatores de risco para a doença envolvem questões genéticas e também pressão alta, colesterol alto, alterações na taxa de triglicérides, sobrepeso, doenças renais crônicas, mulher que deu à luz criança com mais de 4kg, diabetes gestacional, síndrome de ovários policísticos, distúrbios psiquiátricos como esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar, apneia do sono e uso de medicamentos da classe dos glicocorticoides.

O tratamento para o diabetes do tipo 1 é feito com injeções diárias de insulina e pode ser recomendada medicação oral. Para o tipo 2, o tratamento dependerá do grau da doença e pode envolver remédios para impedir a digestão e absorção de carboidratos ou que estimulam a produção de insulina. O tratamento e acompanhamento do diabetes é oferecido gratuitamente pela atenção básica do SUS.

“HIPNOSE CLÍNICA PODE SER ÚTIL NO TRATAMENTO DE PACIENTES”, AFIRMA PSICÓLOGA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Carolina Loureiro fala de vantagens da hipnose clínica em tratamento de pacientes

A hipnose clínica pode ser útil para tratar pacientes que apresentam diversos tipos de distúrbios como fobias, medos, depressão, ansiedade, síndrome do pânico e vícios, afirma a especialista em avaliação psicóloga e neuropsicológica Carolina Loureiro. Na lista, a profissional certificada em hipnose clínica também enumera transtornos alimentares, ansiedade, insônia e problemas sexuais como impotência, ejaculação precoce e diminuição da libido, além de doenças psicossomáticas e casos de dores.

Carolina Loureiro explica que, no campo da psicoterapia, a hipnose tem várias formas de uso. Dentre elas, estão a hipnoanálise, a escrita automática, a regressão de idade, a indução de sonhos, as sugestões pós hipnóticas, as entrevistas sobre hipnose, a dessensibilização sistemática, a hipnose associada ao psicodrama, as técnicas de projeção do futuro entre outras.

Segundo o psicóloga Carolina Loureiro, quando o paciente está hipnotizado, torna-se altamente sugestionável. “E é exatamente por estar nesse estado especial de consciência que se consegue trabalhar no nível inconsciente da mente, descobrindo traumas de infância, fazendo regressões de idade e possibilitando que ele se lembre de problemas e emoções que foram reprimidos por algum motivo”.

COM ESTOQUE MÍNINO, BANCO DE LEITE MATERNO DE ITABUNA PRECISA DE DOADORAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Banco de Leite Humano do Hospital Manoel Novaes, que atende a mais de 120 municípios baianos, está operando com a capacidade mínima, segundo a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. A instituição apela às mães que estejam amamentando façam doação ao banco de leite. Hoje, a unidade funciona com pouco mais de 20% do estoque. O mínimo necessário é estoque de, pelo menos, 70 litros.

O Banco de Leite do Manoel Novaes é responsável pela coleta, processamento e distribuição do leite destinado aos bebês prematuros internados ou com patologias que não podem receber o produto diretamente das mães. A unidade tem a missão de assegurar o alimento diário para uma média de 45 bebês internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI-Neo).

Segundo a coordenadora do Banco de Leite, a enfermeira Bianca Baleeiro, o processo para tornar-se doadora é muito simples. Basta a pessoa se dirigir à unidade com carteira de identidade e exames pré-natal (sorologia). Quem preferir, pode cadastrar-se sem precisar sair de casa, via telefone. “É tudo muito rápido, sem burocracia. Se não tiver condições de se deslocar, o Corpo de Bombeiros, que é o nosso parceiro, vai até a casa da doadora fazer a coleta”, relata Baleeiro.

O leite é um alimento essencial nos primeiros meses de vida dos bebês. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que até os seis meses de idade as crianças sejam alimentadas com leite materno. O Banco de Leite funciona no anexo do Hospital Manoel Novaes e o telefone é o (73) 3214-4346.

PRF PROMOVE EM ITABUNA CAMPANHA DE REDUÇÃO DE ACIDENTES

PRF promove ações de saúde em Itabuna
Tempo de leitura: < 1 minuto

Prossegue até esta terça-feira (12), na BR-101, na Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Itabuna, no sul da Bahia, a Campanha Nacional de Redução de Acidentes e Roubo de Cargas. As ações são promovidas em todo o país pela PRF em parceria com o Sest/Senat.

A ação busca levar informações aos motoristas, além de circuito de saúde com abordagens nas especialidades de odontologia, fisioterapia, nutrição, psicologia e orientações de autoproteção e prevenção da Covid-19.

Durante as ações, motoristas de veículos de carga são convidados a participar de uma oficina, com informações sobre condições e dicas de segurança com a temática roubo de cargas.

As oficinas também contam com circuito de saúde, nas especialidades de odontologia e fisioterapia, além do de testes-rápido de hepatite B, C, sífilis e HIV, realizado pela Equipe do Centro de Referência em Prevenção, Assistência e Tratamento (Cerpat). Os motoristas são orientados pelas equipes sobre autoproteção e prevenção da covid-19.

Back To Top