skip to Main Content
13 de julho de 2020 | 08:44 pm

ITABUNA: COMERCIANTES ARRECADAM DOAÇÕES PARA FAMÍLIAS EM DIFICULDADE

Comerciantes fazem campanha para arrecadar donativos em Itabuna
Tempo de leitura: < 1 minuto

A campanha de arrecadação solidária para ajudar famílias de Itabuna, neste período de pandemia, ganhou a adesão de panificadoras que integram o Núcleo de Padarias da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (ACI). A entidade é uma das realizadoras do projeto, juntamente com o Programa de Qualificação Social e o Movimento Empresarial Sul da Bahia em Ação.

Os estabelecimentos serão pontos de coletas de doação de alimentos como arroz, feijão, óleo, sal, açúcar, café, macarrão, fubá, biscoitos doces ou salgados. Os comerciantes também estão arrecadando produtos de higiene e limpeza como sabão em pedra, creme dental, sabonete, papel higiênico e detergente.

As doações podem ser feitas na Padaria Primus, no bairro Mangabinha; Panificadora Bom Jesus, no Centro da Itabuna; Padaria Martins, no Fátima; Esquina Portuguesa, no Jardim Vitória; Panificadora Santa Rita, no São Caetano; Panificadora Vitória, no Santo Antônio; e Mercado e Padaria Pão Nosso, no bairro Califórnia.

As doações podem ser entregues também na empresa Módulo Rural, na avenida Juca Leão, nº 217, no Centro Comercial. Quem quiser ajudar sem sair de casa,  pode ligar para o telefone (73) 99177-8908.

“QUINTA DA ALEGRIA”: ENTIDADES RECEBEM RECURSOS DO ROTARY CLUB ITABUNA

Silvio Roberto, presidente do Rotary Club Itabuna
Tempo de leitura: < 1 minuto

Silvio Roberto preside o Rotary Club de Itabuna

A Campanha Quinta da Alegria, promovida pelo Rotary Club de Itabuna, será encerrada amanhã (18), com a solenidade de entrega dos recursos arrecadados aos representantes de quatro instituições beneficiadas. A solenidade será na sede do Rotary, no São Judas, às 19h.

As instituições que atendem prioritariamente crianças foram escolhidas pelo Conselho Diretor do Clube, antes da realização do evento. São elas a Fundação Dr. Baldoíno Lopes de Azevêdo, o Centro Comunitário Creche Irmã Margarida, o Núcleo Cuidar e o Instituto de Flauta Carlos Oliveira (IFCO), que dividirão o valor arrecadado, de R$ 23.000,00. O evento beneficente foi realizado no Fiesta Park, do rotariano José de Carvalho Peixoto, em 5 de dezembro do ano passado.

Para o presidente do Rotary Club de Itabuna, Silvio Roberto, a realização da Quinta da Alegria representa mais uma ação em busca de minimizar as desigualdades. “No firme propósito de tentar implementar o slogan do ano rotário 2019/2020 ‘O Rotary conecta o mundo’, é oportuno, através dessa ação, fazer conexões com os que mais necessitam em nossa comunidade”, afirmou.

PREFEITA SUKA CARNEIRO ENTREGA CERTIFICADOS DA OFICINA DE CULINÁRIA

Tempo de leitura: 2 minutos

Com Suka, mulheres recebem certificado de conclusão de oficina || Foto Daniel Caldas

Neste final de semana, 21 mulheres da sede de Ubaitaba e de Faisqueira, distrito do município, receberam certificados de conclusão da Oficina de Culinária, promovida pela Prefeitura de Ubaitaba, por meio da Secretaria da Assistência Social e Trabalho. Durante a última semana, as alunas tiveram aulas de fabricação licores, cocadas, pés de moleque e bolos, biscoitos e outros alimentos, inclusive juninos.

Para a prefeita, Suka Carneiro, que presidiu a solenidade no CRAS – Casa das Famílias, a Oficina de Culinária proporcionou a alegria de criar oportunidades de geração de renda a 21 famílias. Por isso, expressou seu reconhecimento à professora Ana Cláudia Santos Silva e à nutricionista Janaiane Laís Menezes, que ministram conhecimentos necessários às mulheres que agora têm de onde tirar o sustento de suas famílias. “Foi belíssimo trabalho”, sintetizou.

A dona de casa Rosimara Lima Barreto, moradora do Zitão, se disse satisfeita por receber o diploma de conclusão do curso. “Gostei muito das aulas. Foi uma oportunidade para nós, mulheres. Espero que surjam mais oficinas como esta para que a gente aprenda ainda mais”, falou. Dona Gildete Evangelista afirmou que, com o diploma em mãos, ficará mais fácil empreender, criar o seu próprio negócio. “Quero agradecer a prefeita Suka e as professoras que foram essenciais”, assinalou.

A instrutora Ana Cláudia Silva considerou muito bom o nível de aproveitamento das alunas. Para ela, é muito interessante que mais mulheres se inscrevam para a realização pessoal. “A gente que lutar pelo que se anseia. Emprego não está fácil. Se você for esperar emprego no comércio, empresas, prefeitura, etc. pode ser mais difícil. Então, a pessoa precisa fazer o que gosta: cozinhar, costurar e assim por dia. Qual é o dom de cada um? É preciso ter clareza nisto e procurar cursos adequados”, finalizou.

A Secretaria da Assistência Social, Promoção e Trabalho (Seast) vai instalar barraca para que as concluintes de Oficina de Culinária comercializem licores e comidas juninas típicas, a exemplos de cocadas de frutas regionais, doces de banana, abacaxi e jenipapo, pés de moleque, bolos de milho e biscoitinhos durante o Arraiá das Canoas, dias 21, 22 e 23 deste mês, na Avenida Beira-rio. “Será a oportunidade para que as pessoas conheçam o quanto estão as alunas capacitadas”, disse a secretária Elied Soares.

DOAÇÕES PARA MOCHILA SOLIDÁRIA DEVEM SER FEITAS ATÉ SEXTA

Tempo de leitura: 2 minutos

Campanha divulga pontos de coleta de doações

Com o objetivo de arrecadar materiais escolares novos ou usados para estudantes de baixa renda, a campanha Mochila Solidária aceita doações até esta sexta-feira (09). Idealizada pelo mesmo grupo de voluntários que realizou a Ceia Natalina Solidária, a ação busca arrecadar não só mochilas, mas também pastas, lancheiras, estojos ou materiais de uso geral em boas condições e, preferencialmente, higienizados. O intuito é que tudo seja distribuído até o início das aulas.
A campanha Mochila Solidária não possui qualquer tipo de vínculo político, religioso ou institucional. E, assim como os doadores, os estabelecimentos que se disponibilizaram a funcionar como ponto de coleta colaboram na condição de voluntários. Inclusive, parte dos materiais arrecadados desde 15 de janeiro já foi encaminhada para crianças e adolescentes matriculados em escolas públicas de Ilhéus.
Para se tornar um elo desta corrente do bem, basta se dirigir ao ponto de coleta mais próximo. A Fisk está localizada na Rua General Câmara, número 102, Centro. A Casa Amarela fica na Rua 7, número 114, Jardim Pontal. A Escola Comecinho de Vida é na Rua Tobias Barreto, 91, Cidade Nova. O CAUA funciona na Praça São João Batista, 222, Pontal. A Academia VIP está situada na Avenida Litorânea Norte, Malhado. E o endereço da Cardoso Calçados é Avenida Lótus, 72, bairro Nelson Costa. Interessados podem entrar em contato com Sara Lemos, através do telefone e WhatsApp (73) 98822-1151.

"MOCHILA SOLIDÁRIA" ARRECADA MATERIAL ESCOLAR PARA CRIANÇAS CARENTES EM ILHÉUS

Tempo de leitura: 1 minuto

Voluntários fazem campanha para crianças carentes de Ilhéus

Um grupo de voluntários lançou, nesta segunda-feira (15), em Ilhéus, a Mochila Solidária, uma campanha que está arrecadando itens como mochilas, estojos, lancheiras e cadernos para doação. O material será destinado aos estudantes carentes, cujos pais não têm condições de fazer um investimento maior na educação dos filhos.
Os voluntários explicam que a iniciativa não possui vínculos políticos, religiosos ou institucionais, sendo baseada, exclusivamente, na vontade de ajudar as pessoas carentes. A arrecadação da campanha Mochila Solidária será destinada a crianças e adolescentes de baixa renda de Ilhéus. São aceitas doações de mochilas, pastas, lancheiras, estojos e materiais escolares de uso geral.
Os pontos de coletas são o Centro de Apoio Universo do Aprender (CAUA), na Praça João Batista, no Pontal; a Escola Comecinho de Vida, na Rua Tubias Barreto, na Cidade Nova;e a Academia VIP,na Avenida Litorânea Norte, no Malhado. Além desses locais, há a unidade da Fisk, na Rua General Câmara, no Centro, e a Escola & Brinquedoteca A Casa Amarela, na Rua 7, no Jardim Pontal. As doações podem ser feitas até o dia 9 de fevereiro.
Para os itens usados, solicita-se que estejam em boas condições e, preferencialmente, higienizados. A intenção é distribuir tudo antes do início das aulas. Interessados em disponibilizar comércio ou instituição como local de arrecadação podem entrar em contato com Sara Lemos, por meio do telefone e WhatsApp (73) 98822-1151.

FURC, DE ITABUNA, É ELEITA UMA DAS 100 MELHORES ONGs DO PAÍS

Tempo de leitura: < 1 minuto
FURC, de Itabuna, está entre as melhores ONGs do país.

Diretoras da FURC exibem prêmio.

A Fundação Regina Cunha (Furc) foi reconhecida como uma das 100 melhores organizações não governamentais (ONGs) do Brasil pela gestão e a transparência dos recursos, na avaliação do Instituto Doar e a Revista Época. A eleição ocorreu durante a primeira edição da #melhoresONGs. Mais de 1,5 mil instituições concorreram ao prêmio, entre associações de caridade, organizações da sociedade civil, institutos e fundações filantrópicas.

Nascida em Itabuna, a Fundação Regina Cunha completa 30 anos em outubro. Seu foco de atuação, observam os dirigentes, é articular saúde e educação pela causa da Baixa Visão e pelos direitos da pessoa com deficiência visual. Seu Centro de Reabilitação Visual Brilhar presta serviços em habilitação e reabilitação e conta com equipe multiprofissional oferecendo acompanhamento oftalmológico, psicológico, fisioterapêutico e pedagógico, com estimulação visual, orientação e mobilidade, aulas de Braille, Biblioteca Acessível, além do grupo esportivo paralímpico (NEAB).

“O Prêmio Melhores ONGs é um impulso fantástico para a maturidade institucional da FURC. Nossa responsabilidade agora é muito maior para dar visibilidade às necessidades e oportunidades para uma sociedade inclusiva e acessível”, afirma a diretora Ive Cunha.

O concurso, conforme os idealizadores, busca estabelecer padrões para a melhoria contínua das ONGs no país, refletindo em legitimidade e reputação e, também, captação de recursos e doadores.

AÇÃO SOCIAL BENEFICIA ALUNOS DA ESCOLA EWERTON CHALOUP

Tempo de leitura: 2 minutos
Alunos da Escola Ewerton Caloup e Rafael Peixoto durante a atividade.

Alunos da Escola Ewerton Caloup e Rafael Peixoto durante a atividade.

Uma ação social beneficiou cerca de 40 alunos do Grupo Escolar Ewerton Chaloup, da rede municipal de Itabuna, no Dia do Estudante. Eles puderam brincar à vontade em uma roda gigante instalada na Avenida Juracy Magalhães, em Itabuna.

“Foi uma tarde muito gostosa”, disse. Raíssa, 9 anos e cursando o 4º ano, brincou pela primeira vez em um roda gigante. “Cheguei a sentir medo quando cheguei lá em cima, mas depois relaxei”, disse, sorridente. Maria Lara, de 10 anos, estudante do 5º ano, disse que adorou participar da ação social da Conlar, desenvolvida em parceria com a Expresso Rio Cachoeira e a TV Record/Cabrália.

As professoras Marinês, Maria, Rosana, Daniela, Cleudina, Suzi, Maria das Graças, Noelita, Dayane, Selma, Adeísa, Telma e Leda, que acompanharam o grupo, apoiaram a iniciativa da Conlar. “Essas crianças tiveram uma oportunidade única, o acesso a uma atividade lúdica, que eles não encontram no bairro em que vivem. Foi um Dia do Estudante inesquecível para eles”, comentou, emocionada, a professora Leda Santana.

O gestor da loja, empresário Rafael Peixoto, informou que o equipamento, um dos maiores do Norte/Nordeste, vai ficar montado até o dia 22 de agosto. Para brincar, basta fazer compra na loja da Rua Maria Olívia Rebouças, esquina com a Juracy Magalhães. A cada dez reais em compras, o cliente ganha um ingresso.

Alunos e professores em atividade lúdica no Dia do Estudante.

Alunos e professores em atividade lúdica no Dia do Estudante.

AÇÃO SOCIAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

ACISO_Camuflagem

Fuzileiro camufla rosto de criança durante final de semana de ação social em Buerarema, onde parte da tropa do Exército está desde o último dia 14. No sábado e domingo (22 e 23), população teve acesso a serviços em saúde e oficinas de camuflagem e desenho para crianças. Houve também atendimento a animais, com vacinação antirrábica. As atividades servem para aproximar população e tropas.

FORMIGLI REBOUÇAS CRITICA FALTA DE SENSIBILIDADE DE AZEVEDO COM OS MAIS POBRES

Tempo de leitura: 4 minutos

O professor José Formigli Rebouças deixou ontem o comando da Secretaria de Assistência Social após dois anos e 18 dias no cargo. Saiu alegando boicote do prefeito Capitão Azevedo (DEM). “Os projetos que a gente propunha ele não deixava [executar]”. A pasta será comandada por Marina Santos, ex-auxiliar de Formigli.

Ontem à noite, o ex-secretário concedeu entrevista ao PIMENTA e revelou que a prefeitura devolveu recursos ao governo federal por não ter implantado projetos sugeridos pela sua equipe. Sobre a sua passagem pelo governo, avalia: “foi uma experiência boa, mas frustrante porque não tive apoio”.  Acompanhe os principais trechos da entrevista.

O que provocou a exoneração do senhor?
O prefeito está procurando os políticos e oferecendo as secretarias. No nosso caso, foi o [deputado estadual eleito, Coronel] Santana, que exigiu colocar lá uma pessoa dele, a Marina. Ele já entregou a Saúde ao [Augusto] Castro e a nossa secretaria ao Santana.

Como o prefeito lhe comunicou sobre a mudança?
Alegou que está em dificuldades financeiras e disse estar precisando da ajuda dos deputados. Esses deputados prometeram recursos. No entanto, dizem que têm que estar lá com pessoas deles. No nosso caso, foi o Santana que colocou a Marina.

O senhor ficou surpreso com esta decisão?
A exoneração não me pegou de surpresa, pois já esperava por isso. Eu não trabalhei na campanha dele e fui lá porque Azevedo tinha compromisso com uma pessoa que sugeriu o meu nome. Fui lá tentar fazer alguma coisa, mas não tive apoio de maneira nenhuma.

Tudo que a gente propunha, o prefeito não deixava [executar].

O prefeito não o apoiou?
Absolutamente. Tudo que a gente propunha, o prefeito não deixava [executar].

E qual a justificativa do governo?
Dou exemplos: apresentei projetos, parcerias para acabar com a mendicância e tirar o pessoal das ruas, mas nada disso foi aceito. O prefeito alegava sempre que não tinha recurso. No ano que passou, nós tivemos a oferta de mais um CRAS, para duplicar esse trabalho do Pró-Jovem e tudo isso foi rejeitado pelo prefeito sob a alegação de que não poderia contratar mais pessoas e não tinha recursos, mas nós devolvemos recursos ao governo federal.

Desde quando assumiu, o senhor nunca teve apoio do prefeito?
No começo, houve alguma manifestação. Muito pouca, mas normalmente não tive. O projeto que ele apoiou foi só o Bolsa-Renda, que era uma proposta que ele mesmo inventou [na campanha eleitoral]. Fora disso, não aconteceu.

Eu me sinto muito frustrado justamente porque ele não aceitava os projetos que apresentávamos, mesmo tendo recursos federais.

De toda a sua passagem, o que mais o deixou triste?
Eu me sinto muito frustrado justamente porque ele não aceitava os projetos que apresentávamos, mesmo, às vezes, tendo recursos federais. Sempre alegava a mesma coisa: falta de dinheiro, isso e aquilo.

A Casa dos Conselhos foi um desses projetos?
Nós batalhamos muito pela Casa dos Conselhos. Ele nos deu uma área, no antigo campo de aviação [aeroporto]. Quando estávamos terminando o projeto, ele embargou e alegou que vai usar aquilo ali para o Samu 192.

O Samu vai mudar do centro para lá?
Diz ele que vai mudar sim. Não se sabe quando. Chegou aí o novo secretário de Saúde e o prefeito está dando tudo que ele pede. Passaram por cima da gente.

Trabalhei com a Marina por muito tempo, mas sabendo que ela estava sempre querendo a secretaria.

O senhor se sentiu traído pelo prefeito?
Eu não digo que fui traído. Não fui apoiado. Conforme eu disse ontem lá na despedida, na minha secretaria havia a figura da Marina, que foi uma pessoa muito importante para a eleição dele e que tem uma penetração muito grande nos bairros. Ela tinha a certeza que a secretaria seria dela. Mas houve aí uma arrumação. Então, trabalhei com a Marina por muito tempo, mas sabendo que ela estava sempre querendo a secretaria. Agora que ela fez um esforço muito grande pela eleição do Santana. Ela, com o apoio dele, assumiu a secretaria.

O senhor foi convidado para outro posto no governo?
Não.

E se fosse convidado?
Olha, dependeria muito da circunstância, porque você sabe que gato escaldado tem medo de água fria. Então, a gente precisaria pensar duas vezes. Não seria muito agradável trabalhar ali naquele ambiente.

Falta sensibilidade das pessoas lá para com essas necessidades, carências da população, principalmente a parcela mais pobre.

O senhor se arrepende de ter trabalhado no governo?
Não digo que me arrependo porque o trabalho em si é algo dignificante, principalmente com as pessoas mais carentes. Tive lá uma equipe muito boa e pessoas dedicadas e com as quais me dava muito bem, inclusive com a Marina. Foi uma boa experiência, mas frustrante porque não tive o apoio. Falta sensibilidade das pessoas lá para com essas necessidades, carências da população, principalmente a parcela mais pobre, gente de rua, as abandonadas. Às vezes, não é tanto o dinheiro. A alegação do dinheiro não convence.

Por que o senhor só preferiu falar agora sobre esses problemas?

Não estou falando só agora, mas há muito tempo. Digo que trabalhar na Assistência Social em Itabuna é como dar murro em ponta de faca. Então, existe essa alegação da falta de recursos. Realmente a prefeitura chegou a uma verdadeira falência. O prefeito sempre falava em modificações, melhoras. A gente vai esperando, esperando, mas de um tempinho para cá não tínhamos esperança e estava esperando a qualquer momento essa mudança. Eu não tinha ilusão de que iria continuar.

HOJE É DIA DE COMIDA DE BOTECO

Tempo de leitura: < 1 minuto

A cabana Beira-Rio, na Vila Juerana, zona norte de Ilhéus, será o cenário do I Festival de Comida de Boteco. O evento  começa às 13 horas deste sábado, 11, e vai premiar a melhor receita da gastronomia de mesa de bar, entre sete pratos a serem apresentados pelos alunos do curso de comida de boteco, que reuniu 31 moradores da vila.
As receitas serão avaliadas pelos quesitos sabor, criatividade, apresentação e nome do prato. Um júri formado por cinco pessoas ficará responsável pelas notas.
O curso de comida de boteco é uma das atividades do Projeto Transformar, realizado em Ilhéus pela empresa Bahia Mineração (Bamin), em parceria com o Instituto Aliança.
Antes do festival, haverá duas partidas de futebol na vila. A primeira começa às 10 horas, entre mulheres da Juerana. Logo em seguida, acontece o jogo entre a equipe da comunidade e um time formado por convidados.

Back To Top