skip to Main Content
28 de outubro de 2020 | 09:16 pm

AETU RETÉM CARTÃO (E BAGUNÇA VIDA) DE USUÁRIO DE ÔNIBUS EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Usuários de ônibus estão enfrentando grandes filas na sede da Asssociação das Empresas de Transporte Urbano de Itabuna (AETU) para recadastrar o cartão magnético (smart card) de transporte.

As empresas São Miguel e Expresso Rio Cachoeira estão retendo os cartões dos passageiros, além de obrigá-los a comparecer à sede da AETU para fazer o recadastramento no sistema.

Usuários dizem que estão sendo desrespeitados, pois o cartão é tomado pelos cobradores e somente seguem viagem caso tenham dinheiro em espécie. “Eles não informaram com antecedência que era necessário recadastrar o cartão. Se não tiver dinheiro, o passageiro se vê obrigado a descer do ônibus, mesmo se o cartão de passagem ainda tiver crédito”, reclama a professora Cláudia Pereira.

Thirley Lima também foi uma das vítimas da bagunça promovida pela associação das empresas. “Ontem, fui na AETU. estava um caos terrível. A fila estava quase dando a volta no quarteirão”, diz.

Ela relata que vários passageiros que não tinham dinheiro foram obrigados a descer do ônibus em que estava, no último final de semana. “A associação deveria ter avisado aos usuários com antecedência”, esbraveja.

FONTE DE RECEITA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Servidores municipais de Itabuna estão “tiriricas” da vida com a Associação das Empresas de Transporte Urbano (Aetu). Eles foram estão sendo obrigados a trocar o cartão utilizado como passagem no transporte coletivo. A substituição do chamado smart card ocorre a pretexto de evitar fraudes.
Até aí, nada demais. O problema é que cada servidor tem que desembolsar R$ 30,00 pelo novo cartão. Êita gente esperta!

O ZIGNAL DA AETU

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Associação das Empresas de Transporte Urbano de Itabuna (Aetu) está deixando na mão estudantes da educação básica. Quem solicitou o smart card (passe estudantil) no início deste mês, ainda espera a boa vontade da associação. Os cartões estão sendo entregues com atraso de mais de 30 dias, segundo as ‘vítimas’.

Estudantes que passaram a morar no município neste ano estão sendo obrigados a também apresentar comprovante da sua residência anterior – em outra cidade, quando o necesssário é a informação da residência atual e comprovação da matrícula em escola de Itabuna.

O problema é que, sem o cartão, o estudante se vê obrigado a pagar a passagem inteira. Se tem malandragem na jogada, só as empresas de transporte coletivo podem responder. Mas que a demora dá margem a várias interpretações, lá isso dá!

Back To Top