skip to Main Content
28 de novembro de 2020 | 01:34 am

A CRISE NO JORNAL A TARDE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Funcionários do jornal A Tarde, que se encontram em estado de greve após a demissão do repórter Aguirre Peixoto, da editoria de política, realizam assembleia às 14 horas desta segunda-feira, dia 14, para deliberar sobre o caso.

Nesta sexta-feira, 11, o novo editor-chefe do diário, Ricardo Mendes, informou que Peixoto será convidado a reassumir o seu posto. Ele foi demitido após denunciar irregularidades nas obras da chamada Tecnovia, em Salvador. A dispensa teria sido solicitada por empresários atingidos pelas denúncias.

Informações do site Bahia Notícias dão conta de que o jornalista talvez não aceite retornar para A Tarde. Ele ficou de tal maneira incomodado com o episódio, que teria manifestado o desejo de deixar a Bahia.

Em nota divulgada no último dia 9, a Associação Bahiana de Imprensa (ABI) considerou a postura do jornal como um “retrocesso descabido”.

PARA ABI, DEMISSÃO DE REPÓRTER D´A TARDE É “RETROCESSO DESCABIDO”

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) se posicionou, há pouco, sobre a demissão do repórter Aguirre Peixoto, do jornal A Tarde. O profissional foi demitido após uma série de matérias denunciando irregularidades na execução das obras da Tecnovia (Parque Tecnológico), em Salvador.

Desde ontem o diário dos Simões é duramente criticado por, supostamente, atender ao pedido de um grupo de empresários do mercado imobiliário e demitir o jornalista. O assunto está entre os mais comentados no Twitter e mereceu nota dura do Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba). Abaixo, a nota da ABI.

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI), pela sua Diretoria, fiel às suas tradições que remontam aos princípios erigidos por seus fundadores, vem a público lamentar o episódio envolvendo o jornal A Tarde e a demissão do jornalista Aguirre Peixoto, que impactou a classe dos jornalistas da Bahia. Entende a entidade que nenhuma força – econômica, política ou social – se impõe sobre os valores maiores dos homens livres. À frente de tais valores, se agiganta a força da liberdade de imprensa, da livre expressão, do livre dizer, do direito de informar e de ser informado. Em uma síntese, é nesse conjunto de valores que se sustenta a democracia, essência que alicerça os homens iguais. A ABI lamenta e entende o fato como um retrocesso descabido, que se registra, justamente, quando a imprensa baiana está prestes a completar 200 anos de existência e tem sido, no decorrer do tempo, uma intransigente defensora das liberdades dos cidadãos e da democracia. O episódio desmerece a luta empreendida pela imprensa livre desta terra, que sempre encontrou no povo da Bahia o seu principal aliado e defensor.

Salvador, 9 de fevereiro de 2010
Samuel Celestino, presidente

A DEMISSÃO DE AGUIRRE PEIXOTO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ontem, o jornal A Tarde demitiu um de seus melhores repórteres, Aguirre Peixoto, por pressão de representantes do mercado imobiliário. O fato ganhou destaque nas redes sociais e no microblog Twitter, o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) emitiu nota condenando a atitude do veículo impresso mais tradicional do estado e os colegas do diário soteropolitano reagiram. Farão uma assembleia nesta quarta, às 14h, para tratar do assunto.

Uma reportagem de Aguirre Peixoto em dezembro do ano passado contrariou interesses do mercado imobiliário ao denunciar irregularidades e agressões ambientais na obra de construção do Parque Tecnológico da Bahia (Tecnovia), obra executada por um grupo de construtoras e pelo governo baiano. Um dos diretores d´A Tarde entregou o cargo após o episódio.

A direção do diário de Ernesto Simões Filho ficou mal na fita ao fraquejar diante das pressões – e da pior maneira, oferecendo a cabeça do repórter como prêmio aos algozes.

Back To Top