skip to Main Content
15 de julho de 2020 | 03:08 am

"QUEM APOSTAR NO ROMPIMENTO DE MARÃO E NAZAL VAI PERDER", AFIRMA ALCIDES

Tempo de leitura: 3 minutos

Alcides afirma que aposta é na unidade do governo

O secretário de Comunicação de Ilhéus, Alcides Kruschewsky, disse há pouco que quem apostar no rompimento entre o prefeito Mário Alexandre e o vice José Nazal vai perder. Nos bastidores da política ilheense, o que se comentava era a pressão interna pela tomada de cargos da Rede Sustentabilidade no governo (reveja aqui).
Nazal, que também é secretário de Planejamento, é filiado ao partido, assim como o diretor de Meio Ambiente, Emílio Gusmão. “O governo acredita na unidade, a gente confia no grupo, confia na liderança de Mário, confia na liderança de Nazal”, afirmou o secretário de Comunicação.
Segundo ele, a disposição no governo é outra, a de empoderamento do vice-prefeito. “Entendemos que Nazal tem que assumir papel de liderar o governo em determinadas situações e circunstâncias em que Mário não estiver presente”, disse Alcides, fazendo a autocrítica de que o governo, “às vezes, peca nas organizações internas”. Ele rebate que haja tentativa dos secretários Bento Lima (Administração) e Alisson Mendonça (Governo) de pressionar o prefeito para tomar os cargos do partido do vice. A disposição, frisa, é em outro sentido.
O secretário disse enxergar “muita fofoquinha vinda de fora do governo” na tentativa oposicionista de promover a divisão entre prefeito e vice. Na crítica, Alcides alfineta os grupos do ex-prefeito Jabes Ribeiro e do ex-vereador Cosme Araújo, oposicionistas declarados da gestão municipal. “[A gente vê o] grupo do ex-prefeito, clara e notoriamente, naquele fuxico costumeiro que eles fazem. E, naturalmente, outras forças políticas”, aponta.

Alcides diz que aposta é na unidade de Marão e Nazal ||  Clodoaldo Ribeiro

Alcides reconhece que o reajuste da passagem colaborou para essa tentativa oposicionista de divisão no governo, fator que até gerou nota da Rede Sustentabilidade criticando o percentual concedido às empresas.
– Algumas situações alvoroçam os oposicionistas, que percebem determinados momentos lógicos. O reajuste da passagem é delicado para qualquer governo, mas é inevitável, por força de contrato que não foi feito no Governo de Mário. [O governo] Pode ter pecado na condução. Deveria ser consultado, mas nem sempre é assim.
O ex-vereador e secretário disse que o consensual dentro do governo é o fortalecimento de José Nazal. “Não é um secretário comum. Em determinados momentos [compromissos externos de Marão], precisa de alguém com autoridade, conhecimento, não apenas como figura referencial, mas para colocar em prática as atividades de governo”.
NAS TETAS DO ÓLEO DIESEL
O titular da Pasta da Comunicação, ainda ao comentar a condução errática do governo no reajuste da passagem, acrescentou à lista de oposicionistas que investem na divisão de Mário e Nazal o nome do empresário Valderico Júnior, que ensaia pré-candidatura a prefeito. “Quando dá reajuste, a gente vê determinadas manifestações que chegam a ser esdrúxulas. Valderico Júnior, criado nas tetas do óleo diesel, se posicionar publicamente contra cheira a oportunismo”, criticou.
Valderico Júnior é filho do ex-prefeito Valderico Reis e cunhado de Paulo e Ronaldo Carletto, ambos donos do Grupo Brasileiro. A empresa explora linhas urbanas de ônibus em Ilhéus e detém monopólio das linhas intermunicipais no sul e extremo-sul do Estado.

DESTINO DE CARLOS FREITAS: MISTÉRIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Carlinhos Freitas já fazia falta em Newton Lima quando ambos jogavam no mesmo time de futebol

O prefeito de Ilhéus, Newton Lima (PSB), vive um dilema que lhe corrói: o que fazer com o ainda secretário de Desenvolvimento Urbano do Município, Carlos Freitas…
O secretário deixou o cargo, afirmando que saía apenas temporariamente, mas todo o governo diz que se trata de adeus e não até breve. Freitas, na linha do “vocês vão ter que me engolir”, disparou telefonemas para a imprensa, avisando que logo estará de volta. Quem também recebe longos, chorosos e demorados telefonemas do secretário é o prefeito Newton Lima, que chama Freitas de “Carlinhos” e lhe tem uma amizade que vem dos tempos em que ambos jogavam no mesmo time de futebol amador.
Aqui, um parêntese: o prefeito já disse a muita gente, até rindo da piração, que “Carlinhos”, mesmo quando jogavam na mesma equipe, aplicava entradas violentas no próprio companheiro. Como permanece do mesmo jeito no governo, fica patente uma inclinação do prefeito para o masoquismo.
Na semana passada, o vereador e ex-secretário de Governo Alcides Kruschewsky, do mesmo partido do prefeito, disse que Newton Lima terá que escolher entre as travas da chuteira de “Carlinhos” e o PSB. Tem gente apostando que, de um jeito ou de outro, o prefeito sairá dessa com a canela detonada.

Back To Top