skip to Main Content
12 de junho de 2021 | 07:47 pm

A ESPERTEZA POLÍTICA NA CAMPANHA ELEITORAL

Tempo de leitura: 3 minutos

Marão não contava conversa e, com a mesma disposição que organizava e participava das caminhadas de Serra e Souto, não dispensava os “arrastões” de Dilma e Wagner que tinha a participação de Ângela Sousa.

 

Walmir Rosário

Campanha política de 2010 para eleger presidente, senadores, deputados federais e estaduais e governador. Em Ilhéus, a base aliada de Dilma Rousseff e Jaques Wagner transbordava de adesões, mas como política é uma arte que requer muita astúcia, algumas lideranças, para garantir prestígio, seja qual for o resultado das urnas, dão uma no cravo e outra na ferradura.

Bastante precavida, a deputada estadual ngela Sousa formou dobradinha com alguns deputados federais – alternando as cidades –, sendo que em Ilhéus o acordo foi fechado com o deputado federal Geraldo Simões e, apesar do seu partido pertencer à coligação que tinha como candidato a governador Geddel Vieira Lima, fez campanha para Dilma e Jaques Wagner.

Já o vice-prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, filiado ao PSDB, “armou seu barraco” na campanha de José Serra e Paulo Souto, pulando a cerca – por motivo justo – quando se tratava dos votos que teria que dar à mãe, Ângela Sousa, e a Geraldo Simões, além dos candidatos a senadores Lídice da Mata e Walter Pinheiro. Tudo era permitido legalmente, embora não recomendado pela ética.

Mesmo com os candidatos diferenciados, o vice-prefeito Marão não contava conversa e, com a mesma disposição que organizava e participava das caminhadas de Serra e Souto, não dispensava os “arrastões” de Dilma e Wagner que tinha a participação de Ângela Sousa. Para ele, o principal era mostrar serviço e ficar bem com todas as coligações, num sinal de esperteza eleitoral.

Médico dos mais conhecidos e conceituados, Mário Alexandre, pela disposição que sempre apresentava, entusiasmava tanto os participantes das caminhadas quanto os moradores ou transeuntes, tratando todos pelos nomes. Pródigo nos abraços, perguntava pela família e pedia o voto para a coligação de sua mãe, a deputada Ângela Sousa, e depois para os candidatos da coligação tucana.

E com essa profusão de coligações, em que adversários políticos e coligados se misturam, o barco navegou bem durante toda a campanha eleitoral, fazendo com que todos se juntassem na hora de trabalhar a população de determinado bairro. Uma turma descobria a tendência eleitoral dos moradores de determinadas casas, que eram visitadas primeiro pelos cabos eleitorais ligados aos candidatos daquela família.

E foi uma tática que deu certo. Na reta final da campanha, numa dessas caminhadas realizada no bairro do Pontal, tudo corria tranquilamente e a adesão dos moradores era praticamente total, para delírio das lideranças. Foi aí, então, que aconteceu um fato inesperado, digno da esperteza política e que mereceria uma rigorosa apuração dos fatos praticados por uma das coligações.

Numa das turmas, o vereador petista licenciado e secretário da Indústria, Comércio e Planejamento Municipal, Alisson Mendonça, após ter se refrescado do sol quente com alguns goles de cerveja, sente vontade de ir ao banheiro e, passando em frente à casa de um amigo, pede licença para satisfazer suas necessidades fisiológicas. Ao sair, se depara com uma paisagem totalmente diferente da que deixou. Todas as propagandas da coligação petista, coladas anteriormente estavam cobertas pelos cartazes dos candidatos da coligação PSDB-DEM.

Atônito, Alisson, que tinha ficado pra trás, ligou ao celular para um “companheiro” que ia à frente comandando a colagem das propagandas da coligação petista para se inteirar da rápida mudança ocorrida:

– Nosso pessoal não está fazendo a “colagem”? – perguntou.

– Você está gozando de minha cara, claro que sim, qual é o problema – retrucou.

Foi aí que a turma que ia à frente parou de caminhar e Alisson, que ia atrás, se encontraram e presenciaram a turma da campanha de José Serra e Paulo Souto, coordenados por Mário Alexandre, colando os cartazes de sua coligação, justamente em cima dos cartazes da coligação petista. Se entreolharam encabulados como sinal de que estariam se entendendo bem e nada mais foi dito, apenas os sorrisos amarelos.

A partir do dia seguinte, não mais foi visto o vice-prefeito Marão na caminhada da coligação petista. Os cuidados foram redobrados, com uma turma à frente colando os cartazes e uma turma tomando conta da retaguarda.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.

O CANDIDATO VALDERICO E AS PROMESSAS DE CAMPANHA

Tempo de leitura: 3 minutos

No fundo do palanque os marqueteiros Valdomiro Júnior e Vander Prata comemoravam a vitória da campanha. Não deu outra, Valderico Reis ganhou a eleição disparado. Quanto às promessas… deixa pra depois…

 

Walmir Rosário

A campanha eleitoral de Ilhéus corria a solta em 2004, com as candidaturas de Valderico Reis, Soane Nazaré de Andrade, Ruy Carvalho, Ângela Sousa, Roland Lavigne, Correia e Magno Lavigne à prefeitura ilheense. Com base eleitoral mais privilegiada junto aos bairros carentes, onde costumava frequentar bares e botecos famosos pela cerveja gelada e comida pesada (sarapatel, mocotó, dentre outras iguarias), Valderico Reis se sentia nas nuvens e não admitia perder da campanha.

Além de ser bem recebido nesses locais, nos quais era frequentador assíduo – ao contrário dos outros candidatos –, se sentia em casa e era tratado pelos moradores como um membro da família. Bebia cerveja, pagava cachaça para todo mundo, e provava de verdadeiros banquetes durante as caminhadas e nos comícios esses bairros viviam uma verdadeira apoteose.

Valderico Reis era empresário do setor de transportes urbanos e interestaduais e se tornou inimigo figadal do prefeito Jabes Ribeiro, por motivos que aqui não merece uma avaliação mais abalizada. E foram justamente as discussões entre os dois que fizeram Valderico lançar sua candidatura a prefeito, com a finalidade de derrotar o candidato apoiado pelo prefeito Jabes Ribeiro.

Mas para Valderico isso só não bastava, era preciso falar mal de seu inimigo – o prefeito Jabes Ribeiro – e garantir o voto com as promessas de campanha, que jurava ser o primeiro prefeito a cumpri-las, na íntegra, pois era um empresário de sucesso. No discurso, se apresentava como o único candidato que não precisava do dinheiro da Prefeitura, e todo o salário (subsídio) recebido seria doado para a construção de creches, escolas e instituições sociais.

E quando falava que era um empresário de sucesso e não dependia do dinheiro da prefeitura, os eleitores iam ao delírio. Finalmente Ilhéus teria um prefeito que governaria com o povo. E a cada caminhada pelos bairros periféricos e morros Valderico desfiava seu corolário de realizações, que daqui pra frente beneficiaria, sobretudo os mais pobres, gente simples, assim como ele, que falava a língua do povo.

A educação seria tratada como nunca e não ficaria um só aluno fora da sala de aula, recebendo merenda de qualidade e ensino durante todo o dia, com matérias profissionalizantes, para que o jovem aprendesse uma ocupação de verdade. A partir do início do seu governo construiria creches para que os pais pudessem trabalhar o dia inteiro, enquanto os filhos ficariam sob os cuidados da prefeitura.

E as camadas mais pobres da população poderiam ter certeza que Valderico Reis iria a Brasília buscar recursos para construir casas populares, livrando-os dos pesados alugueis. Para isso já teria conversado com deputados e senadores para tirar Ilhéus do atraso, das ruas esburacadas e cheia de lama. Até o final do seu mandato Ilhéus inteira teria asfalto de primeira em todas as ruas.

A saúde era outro segmento que Valderico Reis prometia privilegiar, pois sabia dar valor, por ter origem humilde. Num desses comícios, mais exatamente no bairro Nossa Senhora das Vitórias, iniciou falando do descaso do governo municipal com os moradores, relegados ao abandono, mostrando que não existia esgoto no local, o lixo não era recolhido e nem posto de saúde existia.

Por si só, o bairro carecia de tudo que Valderico prometia fazer para o bem-estar da população. A cada promessa, gritos de apoiado, salva de palmas, o povo entrava em delírio. Não restavam dúvidas de que era o candidato ideal para governar Ilhéus. Lá pras tantas, empolgado com a atenção dos moradores, ao ver umas senhoras de idade, resolveu fazer ampliar as promessas, e disse:

– Quando eu for prefeito vou implantar cirurgia plástica nos postos de saúde e todas as mulheres vão ter direito a ficar com os peitos durinhos – exclamou.

E para demonstrar que estava falando a verdade, pegou nos seios de uma mocinha que estava ao seu lado e se saiu com mais essa:

– Não estou mentindo não, todas vocês vão ficar como essa menina aqui, ó! – e continuou com o discurso, embora não tirasse a mão do corpo da mocinha, para delírio da plateia.

No fundo do palanque os marqueteiros Valdomiro Júnior e Vander Prata comemoravam a vitória da campanha. Não deu outra, Valderico Reis ganhou a eleição disparado. Quanto às promessas… deixa pra depois…

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.

EX-ASSESSOR DE ÂNGELA SOUSA É ACUSADO DE AMEAÇAR COORDENADOR DA CAMPANHA DE VALDERICO

Cópia da mensagem enviada por Lucas para o WhatsApp de Waldomiro, segundo o jornalista
Tempo de leitura: < 1 minuto

Na manhã deste sábado (14), o jornalista Waldomiro Júnior, coordenador da campanha eleitoral de Valderico Junior (DEM), registrou boletim de ocorrência contra o empresário Lucas Lopes, ex-assessor da ex-deputada estadual Ângela Sousa (PSD). Na ocorrência, Waldomiro diz que sofreu ameaças em telefonemas e mensagem de WhatsApp enviadas pelo empresário. O boletim de ocorrência foi registrado na sede da Polícia Civil em Ilhéus (7ª Coorpin).

Segundo narra Waldomiro, Lucas disse ao telefone que encontraria Waldomiro e lhe faria pagar na forma dele (Lucas) e que ninguém poderia evitar. Waldomiro liga as ameaças ao fato de ter divulgado denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em que Lucas e a ex-deputada Ângela Sousa figuram como réus. Após as ligações, conforme Waldomiro, Lucas enviou mensagem na qual escreveu: “Vou te ver irmão”.

A DENÚNCIA DO MPF

A ex-deputada Ângela e outros réus são acusados de fazer parte de uma organização criminosa que, segundo o MPF e a Polícia Federal, teria fraudado e superfaturado licitações de prefeituras baianas. A acusação é resultado das investigações da Operação Águia de Haia, deflagrada em 2017.

Leia Mais

MARÃO AFAGA PAULO MAGALHÃES

Tempo de leitura: < 1 minuto

Magalhães, à direita, levava Marão (centro) para correr ministérios em Brasília, como o de Kassab, em 2016

O prefeito Mário Alexandre (Marão) resolveu fazer um afago no deputado federal Paulo Magalhães (PSD), a quem concederá a mais alta honraria do município, a Comenda do Mérito de São Jorge dos Ilhéus.

Paulo Magalhães colocou o mandato à disposição do prefeito, obtendo obras e verbas. Porém, decepcionou-se com a retribuição em 7 de outubro passado, o dia da “Prova de Amor”.

O deputado obteve apenas 2.347 votos no município.

A baixa votação em Ilhéus foi uma das razões para ter ficado na suplência da coligação e assumir o mandato há três meses após arranjos feitos pelo governador Rui Costa, colocando parlamentares federais em secretarias estaduais, a exemplo de Josias Gomes, na SDR, e Sérgio Brito na Sedur.

Na estratégia de perdas e danos, Marão deve argumentar que nem a mão dele, Ângela Sousa, teve melhor sorte. Ângela, também do PSD, obteve só 9,6 mil votos em Ilhéus em 2018 ante os 11,5 mil obtidos em 2014, quando não tinha o apoio da máquina municipal. E, com a queda na Terra de Gabriela e região, acabou fora da Assembleia Legislativa…

JUSTIÇA FEDERAL BLOQUEIA R$ 12,3 MILHÕES DE ÂNGELA E OUTROS 11 ACUSADOS DE FRAUDE

Tempo de leitura: 4 minutos

Ângela Sousa tem bens bloqueados pela justiça

A Justiça Federal determinou o bloqueio de bens até o valor de R$ 12,3 milhões de 12 réus, entre eles particulares, dois deputados estaduais, dois ex-prefeitos e outros agentes públicos envolvidos em fraude a licitações e desvio de recursos em Buerarema.
A ação foi originada a partir das investigações do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal na Operação Águia de Haia e está relacionada ao pregão, realizado em 2011, para contratação de serviços educacionais voltados à implantação e uso de tecnologias de informação para a Secretaria de Educação e unidades escolares do município do sul da Bahia.
Segundo as ações de improbidade e penal, ajuizadas em dezembro e março últimos pelo Procurador da República Tiago Modesto Rabelo, o então prefeito de Buerarema Mardes Monteiro Lima firmou contrato de R$ 2,2 milhões com a empresa Ktech Key Technology Gestão e Com de Software Ltda para a prestação dos serviços referidos, com recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).
No entanto, as investigações comprovaram que a licitação foi fraudada, por meio da simulação do certame. O integrante da organização criminosa e representante da empresa vencedora, Marconi Edson Baya, já havia preparado as minutas do edital, publicação, termo de referência, projeto base e demais peças necessárias para a montagem do processo licitatório.
Em seguida, os documentos foram enviados por Kells Belarmino Mendes (que confessou os crimes e detalhou a participação dos membros da organização criminosa) ao ex-prefeito do município, Mardes Lima Monteiro, incluindo os atestados de visita técnica e o certificado de adequação ao edital, assinados posteriormente pelo Secretário de Educação à época, Astor Vieira Júnior.
Segundo o MPF, participaram do processo licitatório a Max.Com Soluções Tecnológicas Ltda, representada por Fernanda Cristina Marcondes Camargo (companheira de Kells Belarmino), e a Ktech Key Technology Gestão e Comércio Software Ltda, que atuavam em conluio, a revelar a falta de competitividade e o direcionamento da licitação para contratação de empresa ligada ao grupo.
A Ktech Key Technology venceu a licitação, tendo o pregoeiro Rogere Souza Magalhães avalizado os documentos forjados e declarado vencedora aquela empresa, após o que o ex-prefeito Mardes homologou o procedimento e firmou o contrato. Para viabilizar a contratação indevida da Ktech a partir da licitação fraudada, Mardes Lima Monteiro recebeu de Kells Belarmino vantagem patrimonial ilícita.
ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA
Ainda de acordo com as ações, os deputados estaduais Carlos Ubaldino de Santana e Ângela Sousa e o ex-prefeito de Ruy Barbosa José Bonifácio Marques Dourado, também integrantes da organização criminosa, utilizavam seus mandatos para divulgar a atuação das empresas da organização e aliciar prefeitos para aderirem ao esquema, recebendo, em contrapartida, valores indevidos diretamente ou por meio de interpostas pessoas.
O MPF afirma que, além da montagem do processo licitatório para direcionar a contratação, da fraude na disputa, do aliciamento de prefeitos e agentes públicos mediante pagamento de propina, do alto custo da contratação e do sobrepreço, foi provado que o serviço não era executado e o produto não foi entregue, apesar dos valores pagos pelo município à empresa.

Leia Mais

SAIBA QUEM SÃO OS DEPUTADOS MAIS FALTOSOS DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA EM 2018

Tempo de leitura: 2 minutos

Tucano e petista são os mais faltosos na AL-BA || Foto Divulgação

Luan Santos
Os deputados estaduais Augusto Castro (PSDB) e Fátima Nunes (PT) foram os mais faltosos na Assembleia Legislativa (Alba) desde fevereiro, quando os trabalhos em 2018 foram iniciados. O tucano não marcou presença em 11 das 33 sessões ordinárias realizadas no período, enquanto a petista se ausentou em 10 delas. Em seguida, com oito faltas cada, aparecem Jurandy Oliveira (PRP) e Robinho (PP).
Outros quatro parlamentares vêm logo atrás com sete ausências: Angela Sousa (PSD), Gika Lopes (PT), Jânio Natal (Pode) e Soldado Prisco (PSC). O levantamento foi realizado pela Satélite com base em dados disponíveis no site da Alba. O deputado Paulo Câmera – que tem 20 faltas – não foi considerado por estar em processo de recuperação de um grave problema de saúde.
Nenhuma das sessões teve a presença dos 63 deputados baianos. O dia de plenário mais cheio foi 3 de abril, quando só um parlamentar faltou. Já o mais vazio foi registrado em 12 de abril, quando 32 deles se ausentaram.
OS MAIS ASSÍDUOS
Cinco deputados marcaram presença em todas as sessões e são os mais assíduos: Carlos Geilson (PSDB), David Rios (PSDB), Eduardo Salles (PP), Zé Neto (PT), além do presidente da Casa, Angelo Coronel (PSD). Com apenas uma falta estão Bobô (PCdoB), Carlos Ubaldino (PSD), Euclides Fernandes (PDT), Fábio Souto (DEM), Hildécio Meireles (PSC), Joseildo Ramos (PT), Rosemberg Pinto (PT) e Targino Machado (DEM).
Da Coluna Satélite, Correio24h

MARÃO VIAJA E NAZAL ASSUME PREFEITURA DE ILHÉUS POR 15 DIAS

Tempo de leitura: 2 minutos
Marão e Nazal durante transmissão de cargo, no Centro Administrativo || Foto Clodoaldo Ribeiro

Marão e Nazal durante transmissão de cargo, no Centro Administrativo || Foto Clodoaldo Ribeiro

O vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal Pacheco Soub, comandará o município pelos próximos 15 dias, após transmissão de cargo, no final da tarde de ontem (25), no Centro Administrativo da Conquista, durante reunião de secretariado. O prefeito Mário Alexandre (Marão) se afasta do cargo para uma viagem à França, onde representará o município no Salon du Chocolat Paris.

O evento será realizado no Paris Expo Porte de Versailles, de hoje ao dia 1º de novembro. Com mais de 500 participantes de 60 países, incluindo 200 chefs e chefs de pastelaria, o Salon du Chocolat é o evento obrigatório do mundo para todos os amantes do chocolate. É também a maior oferta de chocolates dos 5 continentes, com a presença de países produtores de cacau, tudo em 20.000 metros quadrados de show room.

Entre os produtos expostos no evento, estará o chocolate de origem produzido no município de Ilhéus. Expositores locais também participam do evento. “A experiência em Paris é importante para a evolução do Festival Internacional do Chocolate de Ilhéus. Estar participando, vivenciando o clima de um dos maiores eventos gourmet do mundo é, também, estar conhecendo novas expertises que podem valorizar o nosso evento e o nosso produto que a cada dia ganha prestígio no cenário internacional”, afirmou o prefeito licenciado.

Ao transmitir o cargo a José Nazal, Mário Alexandre disse estar convicto de que o município estará em boas mãos, sendo comandado por “uma pessoa que também ama esta terra e tomará as decisões no sentido de melhorar a história da nossa cidade e de nossa gente”. O ato de transmissão de cargo contou com as presenças do presidente da Câmara, Vereador Lukas Paiva, e da deputada estadual Ângela Sousa.

UESC: ÂNGELA É BARRADA NA POSSE DE ADÉLIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

angela sousaA deputada estadual Ângela Sousa (PSD) foi barrada na solenidade de posse da reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, nesta noite de quarta (3).

A parlamentar tentou usar da prerrogativa do cargo, mas não conseguiu ter acesso à sala reservada às autoridades. O cerimonial do evento não tomou conhecimento. Restou a ela ficar na plateia.

Para completar o vexame, a deputada também não foi chamada para compor a mesa da solenidade. Do evento de posse de Adélia e do vice-reitor, Evandro Freire, participaram autoridades como o deputado federal Davidson Magalhães e o vice-governador João Leão, que representou Rui Costa.

MENSAGEM DO PSD ALFINETA GOVERNO VANE E CITA SLOGAN DE UBALDO DANTAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

 

Mensagem natalina do PSD itabunense alfineta Governo Vane (Reprodução).

Mensagem natalina do PSD itabunense alfineta Governo Vane (Reprodução).

O diretório do PSD itabunense atacou de oposição neste final de ano, apesar de integrar o Governo Vane. A mensagem distribuída nas redes sociais e veiculada em outdoors em vários pontos de Itabuna traz desejo de “feliz natal” e “próspero ano novo”. E fecha em letras garrafais com “DIAS MELHORES VIRÃO”.

O trecho final lembra a campanha do ex-prefeito Ubaldo Dantas, quando disputou a Prefeitura de Itabuna pela segunda vez, em 1992. À época, o município ganhava espaço no noticiário nacional por causa do seu prefeito-marajá, Fernando Gomes, denúncia de corrupção e críticas à gestão. Dias melhores virão era slogan de Ubaldo contra o prefeito-marajá e o seu candidato, José Oduque Teixeira.

O deslize do PSD gerou comentários dentro da prefeitura. O partido é da base do prefeito Vane do Renascer e tem um de seus membros na presidência da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Roberto José. que aparece na foto da mensagem, junto com o senador Otto Alencar e a deputada estadual Ângela Sousa.

Roberto é pré-candidato a prefeito e há quem deduza que a mensagem já seja parte do trabalho do presidente da FICC para separar a sua imagem da do governo. O próprio dirigente da fundação cultural, que tem gestão reconhecida, divulgou a imagem nas redes sociais.

JABES PERDE DETRAN PARA ÂNGELA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Irmã Ângela indicará coordenador do Detran em Ilhéus.

Ângela: poder no Detran.

O esquema montado pelo governador Rui Costa (PT) para ocupar os cargos do segundo e terceiro escalões do Estado gerou mudança também em Ilhéus. E afetou, diretamente, o prefeito Jabes Ribeiro (PP).

No Detran (13ª Ciretran), sai Paulo Machado, indicado pelo prefeito.

Se não bastasse a perda, Jabes terá que conviver com o fato de a indicação para o cargo partir de uma de suas adversárias políticas, a deputada estadual Ângela Sousa (PSD).

O nome para o cargo já teria sido indicado. A aposta é de que a vaga seja assumida pelo subtenente Gilson Nascimento, que deixou o Detran de Itabuna.

Atualização às 18h14min – O subtenente Gilson Nascimento, de fato, foi sondado pela deputada, mas declinou do convite, reassumindo suas funções na Polícia Militar. Para o cargo, a deputado escolheu um nome do seu próprio grupo, conhecido popularmente como “Nau”.

ÂNGELA E O “CLIMÃO”

Tempo de leitura: < 1 minuto

A deputada Ângela Sousa (PSD) era anunciada pelo cerimonial do governo na inauguração do SAC de Itabuna, quando um colega do prefeito de Canavieiras, Almir Melo, o provoca.

– Olha lá a deputada de Canavieiras…

Almir, chateado com as idas e vindas da Irmã Ângela, respondeu, sem cerimônia:

– Deus me livre dessa desgraça [de tê-la como representante da cidade]

 

BEM NA FITA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Anízio obteve votação expressiva para os seus candidatos.

Anízio: votação expressiva para os seus candidatos.

Tonho de Anízio, ex-prefeito de Itacaré, saiu fortalecido, destas eleições, para o seu projeto de retorno ao comando do município da Costa do Cacau em 2016. Não foi candidato, claro, mas deu votação considerada expressiva a quem ele apoiou.
O deputado federal Ronaldo Carletto (PP) obteve 1.614 votos no município, sagrando-se como o mais votado. Anízio apoiou dois nomes para deputado estadual, ambos do PSD: Ângela Sousa, com 1.448 votos, e Robério Oliveira, 532.
Ele agradeceu a votação aos seus candidatos e disse que os resultados obtidos reforçam o compromisso com a cidade e “dão forças para um futuro bem melhor para Itacaré”.
Anízio ainda cita os resultados das campanhas majoritárias. Dilma Rousseff  obteve 64,62% dos votos válidos, enquanto Rui Costa, eleito governador, alcançou 58,75%. Já o senador eleito, Otto Alencar, obteve 60,53%.
Ainda sem partido, a tendência é que Anízio filie-se ao PSD.

ÂNGELA, A SUPER MÃE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Ângela Sousa e o filho, Marão (Foto Jornal Bahia Online).

Ângela Sousa e o filho, Marão (Foto Jornal Bahia Online).

Do BA 24horas
Podem acusar a deputada estadual Ângela Sousa (PSD) de qualquer coisa, menos de  não ser uma boa mãe. Conhecida por brigar com unhas e dentes por todo bom cargo público que esteja à disposição, a “Irmã Ângela”, como é conhecida, usou sua influência para colocar o filho Mário Alexandre (Marão) no posto de diretor médico do Hospital de Una, emprego que garante R$ 12 mil mensais ao pimpolho.
Não seria nada demais se realmente Marão cumprisse seu expediente. Mas a assiduidade é impossível para quem também tem contratos de “trabalho” (bota aspas nisso!) em Canavieiras, Ilhéus e Ibicaraí…
Essa deputada realmente é uma mãezona.

FILHA DE VANE ASSUME SECRETARIA EM CANAVIEIRAS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Vanessa Moreira disse que fará um diagnóstico e propor novos projetos (foto Walmir Rosário)

Vanessa Moreira disse que fará um diagnóstico e propor novos projetos (foto Walmir Rosário)

A assistente social Vanessa Moreira Magalhães Leite, filha do prefeito de Itabuna, Claudevane Moreira Leite (Vane), assumiu nesta terça-feira (25) o cargo de secretária de Assistência Social de Canavieiras. Ela substitui Demóstenes Chachá, que vinha respondendo pela pasta em caráter interino.
Antes de Chachá, a Assistência Social em Canavieiras estava sob os cuidados de um nome indicado pela deputada estadual Ângela Sousa (PSD), que perdeu este e outros cargos no município após “flertar” com opositores do prefeito Almir Melo.
Por ironia do destino, para a Secretaria perdida por Ângela Sousa acabou indo a filha de um aliado da deputada.

BLOCO DE VANE DESFILOU EM SALVADOR

Tempo de leitura: < 1 minuto
Vane, ao lado de secretários municipais, deputados e do presidente da Bahiagás, participou de audiência com Rui Costa

Vane, ao lado de secretários municipais, deputados e do presidente da Bahiagás, participou de audiência com Rui Costa

Enquanto os comunistas curtiam sua “quarta-feira de cinzas” em Itabuna, o prefeito Claudevane Leite (PRB) participou de audiência em Salvador com o pré-candidato petista ao governo do estado, Rui Costa.
Na conversa, confirmação de apoio do gestor municipal ao pleiteante a mandatário estadual e promessas de que Itabuna será lembrada em caso de vitória do indicado de Jaques Wagner.
Vane viajou a Salvador acompanhado dos secretários da Fazenda, Marcos Cerqueira; da Agricultura, Lanns Almeida; e da Assistência Social, José Carlos Trindade. Também fizeram parte da comitiva o controlador do município, Oton Matos, e o presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), Roberto José da Silva.
Na ala dos postulantes a cargos legislativos que deverão contar com o apoio do prefeito, estavam o deputado federal Márcio Marinho (PRB), a estadual Ângela Sousa (PSD) e o candidato a federal Davidson Magalhães (PCdoB), atual presidente da Bahiagás.

Back To Top