skip to Main Content
27 de outubro de 2020 | 10:57 pm

ILHÉUS: PROFESSORES APONTAM CONTRADIÇÃO DE MARÃO, QUE DEMITIU 268 SERVIDORES

Dirigentes da APPI apontam contradição de Marão, que demitiu 268 servidores
Tempo de leitura: 2 minutos

Numa nota pública dura, a Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI) diz que o prefeito Mário Alexandre, Marão, ao falar de seu empenho para assegurar o emprego de rodoviários demitidos pela ViaMetro, comete contradição e esquece o que fez com 268 servidores públicos em 2019.

A direção da APPI reforça ser entidade defensora do emprego. “Mas de TODOS os empregos”, acrescenta. Os dirigentes da Associação dos Professores também lembra que assinou nota de repúdio às demissões de trabalhadores da ViaMetro, do Grupo Brasileiro. “O que defendemos é que os nossos representantes políticos não usem o critério de dois pesos e duas medidas, priorizando a defesa dos interesses pessoais, em detrimento ao coletivo”, ressaltam.

E acrescentam:

– O prefeito que luta pela segurança e proteção de trabalhadores de empresas privadas, não teve o mínimo receio, nem tampouco nenhum tipo de solidariedade, com servidores que hoje vivem da ajuda sincera do povo de Ilhéus, recebendo cestas básicas mensais que garantem o prato na mesa de sua família.

Marão é criticado por demitir 268 servidores em 2019|| Foto Pimenta

Abaixo, a íntegra da nota.

Ao tornar público seu empenho para garantir o emprego dos 30 trabalhadores do sistema de transporte, recém-demitidos pelas empresas concessionárias do serviço, o prefeito de Ilhéus comete uma lamentável contradição. O discurso de hoje é um contrassenso ao gesto de ontem.

Quem hoje defende o emprego como uma importante conquista do trabalhador e como instituição mantenedora da sobrevivência da família, é o mesmo que, em janeiro de 2019, decretou um afastamento em massa na Prefeitura de Ilhéus, deixando 268 pais e mães de família, todos com mais de 30 anos de serviço público, sem chão, abandonados e sem direito a absolutamente nada, após dedicarem parte da vida ao serviço público.

Importante salientar: Somos defensores do emprego. Mas de TODOS os empregos. A APPI/APLB, inclusive, assinou a nota de repúdio da CTB contra as demissões dos trabalhadores da empresa Viametro, concessionária do serviço público de transporte coletivo municipal que promoveu a demissão de 100 trabahadores (as) no dia 24 de março. O que defendemos é que os nossos representantes políticos não usem o critério de dois pesos e duas medidas, priorizando a defesa dos interesses pessoais, em detrimento ao coletivo.

Lamentável que o prefeito Mário Alexandre, neste momento tão delicado da vida de todos os ilheenses, utilize-se do discurso eleitoreiro e esqueça que lá atrás não se comportou como um gestor preocupado com os seus próprios servidores.

A solidariedade de hoje não sensibilizou a atitude de ontem. O prefeito que luta pela segurança e proteção de trabalhadores de empresas privadas, não teve o mínimo receio, nem tampouco nenhum tipo de solidariedade, com servidores que hoje vivem da ajuda sincera do povo de Ilhéus, recebendo cestas básicas mensais que garantem o prato na mesa de sua família.

É como disse o advogado e jurista baiano Rui Barbosa: “Eu não troco a justiça pela soberba. Eu não deixo o direito pela força. Eu não esqueço a fraternidade pela tolerância. Eu não substituo a fé pela superstição, a realidade pelo ídolo”.

PROJETO BUSCA REDUZIR VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO EM ILHÉUS

Tempo de leitura: 2 minutos
Presidente da APPI destaca ações para reduzir violência no trânsito

Secretária intermunicipal da APPI destaca ações para reduzir violência no trânsito em Ilhéus

A Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI/APLB) e entidades parceiras apresentam nesta terça-feira (12), partir das 8h30min, na sede do sindicato, no bairro Malhado, a quarta edição do projeto “Ilhéus sem violência é bem melhor”. Os principais pontos do projeto e um balanço da edição anterior serão apresentados durante entrevista coletiva.

A quarta edição do projeto tem como tema “Paz no trânsito: educando para uma cidade mais segura”. O objetivo é promover ações efetivas de educação, conscientização para a valorização da vida e combate à violência no trânsito.

A secretária intermunicipal da APPI, Enilda Mendonça, afirma que a união dos órgãos de segurança com a Educação, na luta contra a violência dentro e fora das escolas, nos dá a certeza de que somente juntos poderemos construir uma cidade mais segura para todos e uma rede de proteção para nossas crianças e jovens”.

Leia Mais

PROFESSORES FARÃO MARCHA POR MELHORIAS E REAJUSTE EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Professores da rede municipal em Ilhéus farão marcha em defesa da educação, no próximo dia 15, às 8h30min. Os profissionais farão concentração na Praça do Tamarineiro, no Malhado, e percorrerão algumas das principais avenidas da região central do município. De acordo com os organizadores, o objetivo é denunciar o descaso do município com a educação.
A Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI/APLB-Sindicato) enumera problemas como escolas em péssimas condições de funcionamento, trabalhadores em educação sem transporte e unidades sem merenda escolar.
Durante a marcha, conforme a organização, os trabalhadores irão expor seus contracheques para denunciar cortes por participação em assembleias da categoria, a defasagem salarial e o não cumprimento do piso nacional dos professores, além da falta de reajuste anual.
A marcha foi decidida em assembleia realizada na última sexta (4), no plenário da Câmara de Vereadores.

TRAFICANTES DE DROGAS AMEAÇAM DE MORTE PROFESSORES DE COLÉGIO ILHEENSE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Torpedos com ameaças são enviados para celulares dos professores.

“Torpedos” são enviados para celulares dos professores.

Professores de uma escola rede estadual no Malhado, em Ilhéus, estão sendo ameaçados de morte por supostos traficantes. Vários profissionais receberam mensagens em telefones celulares com números identificados, segundo a direção da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI/APLB-Sindicato).
Os traficantes ameaçam matar os educadores porque estes teriam acabado com supostas bocas de fumo no Centro Estadual de Educação Profissional (Colégio Estadual de Ilhéus). Os educadores também são xingados nas mensagens, de acordo com a direção do sindicato da categoria.
A direção da APPI informou que encaminhará denúncia à Secretaria Estadual de Educação, Ministério Público Estadual e Procuradoria Geral do Estado da Bahia. As vítimas das ameaças prestaram queixa na 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (7ª Corpin).
Os professores dizem desconhecer a existência de boca de fumo no colégio estadual.

PROFESSORES FAZEM PARALISAÇÃO EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Professores aprovam paralisação por 3 dias (Foto APPI).

Professores aprovam paralisação por 3 dias (Foto APPI).

Numa assembleia realizada hoje, os educadores da rede municipal de Ilhéus decidiram que não vão iniciar o ano letivo na próxima segunda (14) nem participar das atividades de planejamento.  Os profissionais do magistério cobram do governo a assinatura do acordo da campanha salarial deste ano.
Segundo a diretoria da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI/APLB-Sindicato), a pauta da campanha foi entregue em dezembro e não houve resposta do governo. A pauta, além do reajuste geral, cobra que o governo pague o piso nacional dos professores. A paralisação vai até a quarta (16), quando os professores realizam nova assembleia para avaliar a paralisação e definir se o movimento paredista terá continuidade.
Ontem, o governo emitiu nota pública em que alega crise financeira e ter superado o limite de gastos com pessoal, hoje em 66%. “Diante dessa realidade, até o cumprimento do índice previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal, o Município está impedido de realizar financiamentos de obras de infraestrutura, prejudicando quase 200 mil habitantes”, cita a nota.

PROFESSORES PROTESTAM EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Cerca de 150 professores da rede municipal de Ilhéus protestam em passeata pelas ruas do centro da cidade. Eles reclamam salários atrasados, décimo terceiro, vale transporte e piso salarial nacional.

Puxados pela presidente da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI), Enilda Mendonça, os manifestantes saíram do Malhado e seguem para a praça J.J. Seabra. Eles vão protestar em frente ao Palácio Paranaguá, sede do governo municipal.

De acordo com a presidente da APPI, a categoria só inicia o ano letivo se o prefeito Newton Lima (PSB) aceitar pagar o piso salarial nacional da Educação Básica. A Procuradoria-Geral do Município orientou o governo a não equiparar o piso local ao nacional.

Back To Top