skip to Main Content
23 de fevereiro de 2020 | 01:26 pm

BAHIA LARGA BEM NA SUL-AMERICANA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ataque do Bahia funcionou na estreia na Sul-Americana || Foto Felipe Oliveira/Bahia

O Bahia começou a campanha na Copa Sul-Americana e venceu o Nacional-PAR por 3 a 0 no jogo de ida da primeira fase da competição intercontinental realizado hoje (12), na Arena Fonte Nova. Pressionado após a eliminação na Copa do Brasil e a derrota no clássico Ba-Vi, o tricolor começou mal, mas conseguiu iniciar a arrancada pelo resultado positivo ainda no primeiro tempo com Gilberto e Gregore.

No início do segundo tempo, Élber marcou o terceiro e ajudou o time a garantir a vitória. Com o placar elástico, o tricolor garantiu um bom resultado para administrar a vantagem no jogo de volta, marcado para a próxima quarta-feira (26), no estádio Arsenio Erico, em Assunção, no Paraguai. Do Metro1.

HOMENAGEM A SANTA DULCE ATRAI MILHARES DE FIÉIS E FORTALECE TURISMO RELIGIOSO NA BAHIA

Tempo de leitura: 4 minutos

Homenagem à Santa Dulce lota Arena Fonte Nova, em Salvador || Foto Elói Corrêa/GovBA

Nas camisas, nos olhos, nos corações. A fé em Irmã Dulce, agora Santa Dulce dos Pobres, canonizada no último dia 13, atraiu milhares de fiéis à Arena Fonte Nova, em missa celebrada pelo arcebispo primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, neste domingo (20).

Segundo o secretário do Turismo do Estado, Fausto Franco, o fortalecimento do turismo religioso já é uma realidade. “Nós já tivemos, nesta noite, 86% de ocupação na rede hoteleira de Salvador. É um número expressivo para um fim de semana comum”, revelou.

O turismo da Bahia, lembrou o secretário, é plural e o turismo religioso faz parte desse conjunto. “Este é um turismo independente da alta estação, de estar chovendo ou fazendo sol. E as pessoas que fazem turismo religioso têm como característica retornar outras vezes ao destino. A Bahia é muito rica na cultura religiosa. É um mix que a Bahia oferece e faz com que sejamos um estado muito especial”, acrescentou Fausto Franco.

Presente na celebração, o jornalista Florian Plaucheur, da Agência France Press (AFP), destacou que o Brasil agora tem uma santa e isso é muito importante para a comunidade católica de todo o mundo. “A AFP está presente, com repórter de texto, repórter cinematográfico e fotógrafo, para mostrar para o mundo que o Brasil tem uma nova santa”.

Autoridades baianas participaram da homenagem na Fonte Nova lotada || Foto Elói Corrêa/GovBA

A cantora Margareth Meneses também participou da homenagem. “Ter participado da canonização, cantado na cerimônia, e agora estar nessa homenagem é para mim uma grande emoção. A energia, a força que ela teve e que continua, tudo isso é muito bonito. Proporcionar acolhimento aos seres humanos mais abandonados não tem preço”.

O governador Rui Costa participou da celebração, acompanhado da primeira-dama e presidente das Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), Aline Peixoto, e de José Maurício Moreira e Cláudia Araújo, que receberam a graça da cura, reconhecida pelo Vaticano.

Para Rui, Santa Dulce dos Pobres está acima das religiões, pela generosidade, história e cuidado com o próximo. “Com a canonização de Santa Dulce dos Pobres, a Bahia torna-se uma referência ainda maior do que já é da fé, com suas mais de 300 igrejas, como a do Bonfim, de Nossa Senhora da Conceição da Praia, do Rosário dos Pretos e de São Francisco. Isso vai ser muito bom também para reforçar o destino religioso que é a nossa capital”, afirmou o governador.

OBRAS SOCIAIS

A superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) e sobrinha de Santa Dulce dos Pobres, Maria Rita Lopes Pontes, disse que a canonização fortalece a obra e permite que a missão de Irmã Dulce seja ampliada. “Não é somente o atendimento de saúde. A gente tem que acolher bem as pessoas que chegam para conhecer a história de Irmã Dulce e o seu memorial”. A instituição realiza 2,2 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano e 12 mil cirurgias.

Dom Murilo Krieger ressaltou que a canonização de Santa Dulce dos Pobres não é importante somente para religião católica. “Ela é um exemplo para todos nós. Eu tenho certeza que os nossos irmãos, sejam de que religião forem, reconhecem a generosidade de Irmã Dulce e também que ela fez o bem para todos, sem perguntar de qual religião era a pessoa que recebia a ajuda. Assim, todos vamos aprendendo a nos respeitar mutuamente”.

SANTA DULCE DOS POBRES

Irmã Dulce nasceu em 26 de maio de 1914, em Salvador. Aos 7 anos, ela perdeu a mãe e, aos 13 anos, já acolhia mendigos e doentes na casa onde morava com o pai e os irmãos, no bairro de Nazaré, na capital baiana. A vida religiosa começou aos 18 anos, quando, após se formar como professora primária, ingressou na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus

Leia Mais

BAHIA RECEBERÁ JOGOS DA COPA AMÉRICA DE 2019

Tempo de leitura: < 1 minuto

Salvador será uma das sedes da Copa América

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou, na quinta-feira (14), que Salvador será uma das cinco cidades-sede da Copa América 2019, que será realizada no Brasil. Na capital baiana, as partidas acontecerão na Arena Fonte Nova. Os estádios Manoel Barradas e Pituaçu poderão ser utilizados para o treinamento das seleções.
O secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Vicente Neto, afirma que a escolha é resultado das experiências positivas acumuladas pela cidade com a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, que deixaram legados permanentes para a capital baiana.
“Salvador conta com toda a infraestrutura necessária para sediar megaeventos esportivos e temos a certeza que a realização de jogos da Copa América vai movimentar o turismo local, incentivar a prática esportiva e impulsionar a geração de emprego e renda para os baianos”, afirmou.
A Copa América de 2019 está prevista para começar no dia 14 de junho. A final acontece no dia 7 de julho. Esse será o primeiro torneio continental de seleções realizado no Brasil desde 1989. Além de Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre também receberão jogos do torneio.

PF DEFLAGRA OPERAÇÃO PARA INVESTIGAR OBRAS DA FONTE NOVA; WAGNER É UM DOS ALVOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Nova Arena Fonte Nova é alvo de investigação || Foto Elói Corrêa/GovBA

A Polícia Federal deflagrou operação para apurar irregularidades nas obras do Estádio Fonte Nova, em Salvador. Desde as primeiras horas da manhã de hoje (26), são cumpridos mandados de busca e apreensão em vários endereços, dentre os quais do ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner. O superfaturamento total pode chegar a R$ 450 milhões.
A Operação Cartão Vermelho apura irregularidades na contratação de serviços de demolição, reconstrução e gestão da Fonte Nova. A PF informou haver evidências de fraude na licitação, superfaturamento, desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.
A Nova Fonte Nova foi erguida por um consórcio que reuniu as empreiteiras Odebrecht e OAS, investigadas na Lava Jato. Os mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

DOR DE CABEÇA NA COMPRA DE INGRESSO PARA BRASIL X PERU

Tempo de leitura: < 1 minuto

arena fonte novaTorcedores que pretendem assistir ao jogo Brasil x Peru, dia 17, na Fonte Nova, está tendo problemas para adquirir o ingresso. O site da Arena Fonte Nova usa o sistema paypal para a venda.

O cliente precisa ter cadastro no sistema de pagamento online. Quem não possui e tenta fazê-lo, reclama da demora na resposta. Há caso de torcedor que aguardam resposta há, pelo menos, 4 dias.

“Os ingressos para o setor (do estádio) que eu queria já foram todos vendidos”, reclama Eduardo Lessa, que tenta efetuar a compra desde o último domingo. O cadastro no site da Arena Fonte Nova é rápido, mas emperra quando o cliente é redirecionado para o Paypal.

O jogo do Brasil pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 tem ingressos a R$ 60,00, R$ 120,00 e R$ 200,00. A meia-entrada será vendida somente a partir do dia 8, segundo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O site não conseguiu contato com a administração da Arena.

GOVERNO É “JUIZ DE PAZ” EM DISPUTA BAHIA X ARENA FONTE NOVA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Bahia pode deixar de mandar seus jogos na Fonte Nova (Foto Divulgação).

Bahia pode deixar de mandar seus jogos na Fonte Nova (Foto Divulgação).

O governador Rui Costa convocou, ontem (31), uma reunião com representantes da Arena Fonte Nova e solicitou que as negociações fossem retomadas com o Esporte Clube Bahia com o objetivo de buscar um consenso o mais rapidamente possível.

Rui determinou que o seu chefe de gabinete, Cícero Monteiro, faça a intermediação entre as duas partes na busca por um entendimento, de modo que o torcedor baiano não seja prejudicado.

Cícero Monteiro já entrou em contato com representantes do Esporte Clube Bahia e Arena Fonte Nova para dar início, nesta quarta-feira (1º), à retomada do diálogo.

“ARENA” IRRITA TORCEDORES DO VITÓRIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma foto postada na fanpage da Arena Fonte Nova pela administração da estádio de Salvador irritou torcedores do Vitória. Ela mostra mãos de um torcedor do Bahia fazendo gestos obscenos em direção à torcida adversária.

Na fanpage, foram vários comentários furiosos contra a administração da Fonte. Os torcedores aproveitam para criticar os assentos do estádio e comparam a Nova Fonte Nova a um shopping, mas sem o conforto prometido. Confira, abaixo, a foto polêmica do 0 a 0 do BA-VI de ontem.

Página da Arena Fonte Nova no Facebook com a foto polêmica (Reprodução IE).

Página da Arena Fonte Nova no Facebook com a foto polêmica (Reprodução IE).

UNIVERSO PARALELO

Tempo de leitura: 4 minutos

AUTOR PROVA QUE POESIA VENDE, E MUITO

Ousarme Citoaian | ousarmecitoaian@yahoo.com.br

1Paulo LeminskiAdquiri há poucos dias o ótimo Toda poesia, de Paulo Leminski (1944-1989), para dar de presente a uma poetisa amiga, sem saber no que estava me metendo. Leio agora em matéria d´A Tarde, com assinatura de Marcos Dias, que essa coletânea (cerca de 630 poemas do autor paranaense) é fenômeno editorial: ganhou tiragem inicial de 5 mil volumes, número surpreendente para um  livro de poesia (pois, em geral, vende ainda menos do que prosa) e teve logo quatro reimpressões de igual quantidade, isto é, atingiu os píncaros das 25 mil unidades em apenas dois meses. Leminski, mais de vinte anos depois de morto, desmente a máxima brasileira de que poesia não vende.

________________

Quis silêncio, tem barulho estrondoso
Há séculos tenho decorado este poemeto de Leminski (seus textos são, em geral, breves, lembrando o haicai, quando não são haicais propriamente): “Acordei bemol/ tudo estava sustenido/ sol fazia/ só não fazia sentido”. Parceiro de Caetano Veloso e Moraes Moreira, tradutor de Joyce, biógrafo de Bashô, Trotski e Jesus Cristo, além de faixa preta de judô, Paulo Leminski escreveu seu epitáfio: “Aqui jaz um grande poeta./ Nada deixou escrito./ Este silêncio, acredito,/ são suas obras completas”. Ao contrário do pedido, com cinco tiragens em tão curto tempo (fazendo-o concorrente de 50 tons de cinza) o poeta motivou em torno de si um barulho intenso.

(ENTRE PARÊNTESES)

3ArenaFalando do Estádio da Fonte Nova, o professor Gustavo Haun, em artigo neste Pimenta, condena uma nova mania nacional: “… é uma infelicidade tremenda chamar um estádio de futebol de arena. Parece um retorno à barbárie, quando nas arenas da antiguidade se esfolava, matava, queimava etc., para mera distração dos imperadores entediados, além de diversão e alienação das massas”. A mim também me assusta a facilidade com que a mídia em geral aceita (ou ela mesma cria) essas “novidades” linguísticas que a nada de bom nos conduzem. Seria fácil chamar aquele monte de dinheiro desperdiçado de Estádio (como tem sido), mas para que a simplicidade, se o melhor é ser moderninho.

VINÍCIUS E AS MELHORES COISAS DO MUNDO

Dia desses, falamos de vinho, hoje vamos de uísque – o que nos candidata a processo por incentivo a usos e abusos do álcool. “Ossos d´ofício”, diria meu lusitano vizinho. Vinícius achava que a melhor coisa do mundo era um uisquinho escocês “honesto” (ele preferia White Horse), a segunda melhor coisa do mundo, um uisquinho do Paraguai e a terceira, um uisquinho nacional mesmo. Frank Sinatra, falando sobre fé: “Sou a favor de qualquer coisa que faça você atravessar a noite, sejam orações, tranquilizantes ou uma garrafa de Jack Daniel´s”. O cinema e a literatura muito contribuíram para consolidar o uísque como “alavanca” do melhor viver. Mas eu ia dizer outra coisa – e não vou esgotar o tema hoje.
______________
Sinatra: a gabolice da garrafa diária
5FRank SinatraNa minha estante desarrumada não localizo um livro (pensei ser A ceia dos acusados ou outra coisa de Dashiell Hammett) que tem uma garrafa de Jack Daniel´s na capa. Logo, saio da literatura noir e entro em outra história: Frank Sinatra (na foto, servindo a Dean Martin e Sammy Davis Jr.) dizia consumir uma garrafa de JD por dia. É gabolice, pois ninguém resistiria a essa insensatez de álcool (espero que quando me processarem considerem esta frase como atenuante). Mas ele sempre bebia uma dose, no palco, num brinde à plateia. As más línguas dizem que era mais água, porém, no show histórico do Brasil (1980) ele desmentiu essa tese: quem estava próximo ao palco o ouviu reclamar que seu uísque tinha “muita água, muita soda, ou coisa parecida”.
______________
Churchill e seu copo no café da manhã
Churchill, primeiro-ministro britânico, um espongiário (bebia de manhã, à tarde e à noite), exigia no seu breakfast ovos, torradas, charuto e um copo de Johnnie Walker (aqui, a direita moralista jamais o perdoaria!). Os detetives noir são movidos a uísque, sobretudo Jack Daniel´s. Nenhum leitor sensato pensaria em Sam Spade (que Humphrey Bogart viveu na tela em O falcão maltês) ou investigador semelhante bebendo cerveja ou coquetel de frutas: o ambiente é uma espelunca esfumaçada, jazz dos anos quarenta, e a bebida é Jack Daniel´s, com certeza. Faltou dizer que Sinatra, enterrado em 1998, levou no caixão uma garrafa do nosso uísque preferido. Um desperdício, eu diria.

A RELIGIÃO E AS VERGONHAS ENCOBERTAS

Atoleimados, basbaques, beócios, labruscos, mentecaptos, paspalhões, estultos e, principalmente, reacionários insistem em que não há mais índios no Brasil (salvo uns poucos que ainda andam nus e usam botoques). É um discurso falso, menos por ignorância do que por comprometimento ideológico: apenas no Nordeste é possível identificar mais de vinte (!) nações indígenas, mesmo que seus integrantes usem tênis, calça jeans e notebook. Querer que essa gente fique estacionada no século XVI é a primeira pregação do discurso do não-índio – ainda que, já naquela época, lhes impusessem religião e cobertura das “vergonhas”.
_______________
Mil línguas perdidas na cultura branca
Salvo engano, são indígenas nordestinos os povos pataxó, tupinambá, cariri-xocó, xucuru, xucuru-cariri, trucá, aconã, aticum, fulniô, carapotó e mais umas duas dezenas. Muitas dessas tribos falam suas línguas, outras já perderam tal referência cultural, absorvida e abafada pelo “homem branco”. Informa o IBGE que, além da portuguesa, há pouco mais de 270 línguas indígenas faladas no Brasil. E há línguas de tribos isoladas, que ainda não puderam ser conhecidas e estudadas. Na época do descobrimento do Brasil, havia 1.300 línguas indígenas diferentes. No vídeo, um show arrepiante de Baby Consuelo e Jorge Ben: Todo dia era dia de índio (Rede Globo1981).

(O.C.)

COPA 2014: 72,9% DOS TORCEDORES APOIAM BAIANAS DE ACARAJÉ NA FONTE NOVA

Tempo de leitura: 2 minutos
Baianas em protesto contra proibição da Fifa (Foto Leonardo Santana).

Baianas em protesto contra proibição da Fifa (Foto Leonardo Santana).

Pesquisa feita pelo Instituto Potencial revela que 72,9% dos torcedores se posicionaram contra a proibição da venda de acarajé na Arena Fonte Nova, em Salvador. O comitê organizador da Copa 2014 e a Fifa estudam vetar a comercialização do quitute no estádio, embora as baianas sejam reconhecidas como patrimônio imaterial.
A pesquisa foi feita com torcedores que compareceram ao estádio no último domingo, 7, quando a Arena Fonte Nova foi reaberta com shows musicais e o jogo Bahia 1×5 Vitória. Ainda de acordo com o levantamento da Potencial, apenas 15,2% dos torcedores concordam com a eventual proibição.
53,6% SÃO FAVORÁVEIS À VENDA DE BEBIDA
A pesquisa da Potencial também apurou que 53,6% dos torcedores são favoráveis à venda de bebida alcoólica no estádio baiano que abrigará jogos da Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo 2014. 38,9% dos torcedores se revelaram contra a venda de bebida alcoólica na praça esportiva.
O levantamento também aferiu se o soteropolitano se adaptará às normas da arena. Para 45,39%, os torcedores da capital baiana terão dificuldade de adaptação, enquanto a maioria – 52,37% – acredita no contrário.
Na inauguração, 21 assentos foram destruídos por vândalos, já devidamente identificados pela administração da arena. O estádio recebeu quase 700 milhões de reais em investimentos e foi o primeiro totalmente reconstruído a ser entregue para as duas competições da Fifa.
A pesquisa ouviu 401 torcedores, sendo 49,4% do Bahia e 42,4% do Vitória.

SERÁ QUE CHEGA ATÉ A COPA?

Tempo de leitura: 2 minutos

GUSTAVO HAUNGustavo Haun | g_a_haun@hotmail.com

Antes de reinaugurar os estádios das Copas que virão logo mais, tinha-se que fazer um amplo projeto de educar o povo, de conscientizar a população, de ensinar a nação a usar um bem que custou caro – quase todos ultrapassaram seus orçamentos iniciais – e que é de todos! Aliás, um bem que não é essa “coca-cola” toda!

Com a reinauguração da (Itaipava?) Arena Fonte Nova, um amigo confidenciou-me: não dou dois meses para estar tudo destruído. Fui mais otimista: no primeiro rebaixamento de ambos – Bahia ou Vitória – os torcedores destruirão os assentos, farão das barras de ferro armas e invadirão o campo arrasando com tudo!
Em primeiro lugar, é uma infelicidade tremenda chamar um estádio de futebol de “arena”. Parece um retorno à barbárie, quando nas arenas da antiguidade se esfolava, matava, queimava etc., por mera distração dos imperadores entediados, além de diversão e alienação das massas.
Mas a verdade é que nós, brasileiros, não temos a educação anglo-saxônica que a Fifa impõe em competições internacionais. Se na Europa os torcedores podem beber cerveja, assistir a jogos sem alambrados e fosso, sentadinhos e quietos em cadeiras acolchoadas, é porque tem uma Polícia eficiente, uma Justiça que funciona, uma fiscalização competente. E educação!
No Brasil, o que manda são os cambistas, a impunidade, o suborno e a falta de trato com o patrimônio público… Salvo raríssimas exceções.
Antes de reinaugurar os estádios das Copas que virão logo mais, tinha-se que fazer um amplo projeto de educar o povo, de conscientizar a população, de ensinar a nação a usar um bem que custou caro – quase todos ultrapassaram seus orçamentos iniciais – e que é de todos! Aliás, um bem que não é essa “coca-cola” toda!

Nova Fonte Nova foto Manu Dias-GovBA

Reportagens do UOL de domingo e segunda, dias 07 e 08 de abril, traziam os inúmeros defeitos da recente Fonte Nova: fiações soltas, tapumes impedindo acesso, problema de estacionamento, materiais de construção largados na obra, poltronas sem parafusar, as vias inacabadas no entorno, poças de água embaixo dos assentos e, o pior, mais de 6 mil lugares com ponto cego no estádio, ou seja, o sujeito vai para assistir e não assiste!

Porque no Brasil, querido leitor, é assim, tudo feito nas coxas, afinal, aqui é terra de ninguém! Faz-se o que quer: ninguém reclama, ninguém quer se comprometer, ninguém prende os que (des) mandam!
Um espaço que custou quase 700 milhões de reais, acusado de a maioria da verba ter sido desviada do FUNDEB, e ainda mal feito. É brincadeira!
Ai, ai, ai… E ainda têm os que sonham com isso aqui civilizado! Polido! Urbanizado! Com certeza não será para esta, nem para as próximas gerações. É esperar para ver.
Gustavo Haun é professor e edita o oblogderedacao.blogspot.com

Back To Top