skip to Main Content
14 de agosto de 2020 | 02:12 am

FIFA: WE WILL NOT GO HOME

Tempo de leitura: < 1 minuto

Um dos cartazes mais frequentes nas manifestações de protesto que varrem o país é o que, em inglês, convida a Fifa a arrumar as malas e voltar para casa. É o “Fifa go home”.
De fato, chegou-se a cogitar que a entidade que controla o futebol mundial e organiza as Copas das Confederações e do Mundo atenderia ao comando da revolta popular, que tem como um de seus principais motivos de indignação os elevados gastos com a construção de estádios suntuosos.
De acordo com a Lei Geral da Copa, a Fifa pode cancelar o evento que esteja realizando, caso o país-sede não garanta condições de segurança. Como nesta quinta-feira, 20, o hotel que funciona como “quartel-general” da entidade em Salvador foi apedrejado por manifestantes, especulou-se imediatamente que a Copa das Confederações seria interrompida. E até que o Brasil deixaria de sediar a Copa do Mundo.
Hoje pela manhã, a Fifa desmentiu as duas possibilidades.

Back To Top