skip to Main Content
29 de fevereiro de 2020 | 12:26 am

ACI FARÁ CAMPANHA CONTRA FICHAS-SUJAS. AZEVEDO ESTÁ NA MIRA

Tempo de leitura: < 1 minuto

ficha_suja pre-baA Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (ACI) decidiu pressionar a Câmara de Vereadores a votar favorável ao parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) que recomenda a rejeição das contas do ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM).

A associação adere ao movimento nacional pela moralização da coisa pública em reunião realizada ontem à noite (26). O encontro semanal contou, desta vez, com a presença do vereador César Brandão (PPS), que ouviu empresários cobrarem moralização do legislativo.

Críticas à Câmara foram feitas devido, dentre outras coisas, às aprovações das contas de 2009 e 2010 de Azevedo. Os relatórios do TCM eram pela rejeição das contas, aprovadas pelos vereadores da legislatura passada, no segundo semestre de 2012.

Na reunião de ontem da ACI, o relatório da rejeição das contas de 2011 foi distribuído a cada um dos associados presentes na reunião de ontem. Dentre outras irregularidades, o TCM detectou irregularidades em licitações, desvio de dinheiro público e gasto de aproximadamente 75% da receita com folha de pagamento (farra de cargos comissionados).

AUMENTOS EXTORSIVOS DO ALVARÁ E DO IPTU AMEAÇAM INVESTIMENTOS PRIVADOS EM ITABUNA

Tempo de leitura: 3 minutos

Empresários planejam forte reação contra aumento extorsivo (Foto Pimenta).

A economia de Itabuna poderá sofrer já neste início de ano os impactos da alta carga tributária imposta pelo governo municipal. Empresários veem um cenário de fuga de investimentos e perda de receitas com as distorções geradas pela implementação do novo Código Tributário, que impõe aumento de até 6.000% do alvará de funcionamento (TFF) e de 250% do IPTU.

Dezenas de empresários participaram de uma reunião da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (ACI) nesta noite de segunda-feira (31) e defenderam uma revisão do código, além de medidas de protesto, a exemplo do fechamento de lojas por duas horas, e Mandado de Segurança contra a validade do Código Tributário.

“Se tivéssemos empresário lá dentro [da prefeitura], a situação não estaria assim”, bradou o presidente da ACI, Eduardo Fontes, que ainda crê na possibilidade de diálogo com o município. Uma reunião definitiva está marcada para a próxima quinta-feira, 3, com a participação de representantes do setor, do secretário Carlos Leahy (Indústria e Comércio) e do prefeito Capitão Azevedo (DEM).

EMPURRANDO COM A BARRIGA

Jorge Braga, da CDL.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itabuna (CDLI), Jorge Braga, está propondo à prefeitura a revisão completa do Código Tributário, embora revele desconfiança neste ponto. “O governo diz que existe disposição para o diálogo, mas não estou vendo ação. Prometeram prorrogar o vencimento do alvará [de funcionamento, a TFF], mas até agora não existe nada”, reclama Braga.

O dirigente da CDL revelou ao PIMENTA o seu temor de que o IPTU seja outra bomba a estourar neste início de ano. O tributo municipal terá os valores revistos em relação a 2010. Os carnês ainda não foram lançados. O imposto terá aumento médio de 250%, segundo cálculos de especialistas que conseguiram analisar a lei de reforma do Código Tributário.

SUBSERVIÊNCIA DA CÂMARA

Fontes: reclama contra desrespeito do governo (Foto Geraldo Borges).

As mudanças tributárias foram aprovadas pela Câmara de Vereadores em outubro do ano passado. O presidente da Associação Comercial de Itabuna lembra como foi o processo. “Nós não fomos ouvidos. Fomos desrespeitados. Chegamos lá e estava o secretário de Finanças conversando com os vereadores. Foi triste”, enfatiza.

A sessão que aprovou o código extorsivo ocorreu na sala das comissões técnicas da Câmara. Os vereadores votaram sob a pressão do ex-secretário de Finanças, Carlos Burgos. O presidente do Sindicato do Comércio (Sindicom), José Adauto Vieira, vê a reunião da próxima quinta-feira, 3, como decisiva para definir qual será o comportamento do empresariado em relação ao governo.

EXEMPLO DE ARROCHO

Poucas vezes se viu o empresariado tão enfurecido com o governo local como agora. Almir Oliveira Silva é dono de uma distribuidora de gás de cozinha. O faturamento bruto da empresa em 2010 foi de R$ 496 mil, mas a sua empresa ficando com apenas R$ 72 mil. A taxa do alvará de funcionamento (TFF), no entanto, saltou de R$ 51,23 no ano passado para R$ 1.500,00 neste ano.

Leia Mais

REITOR DIZ QUE UESC ESTÁ MAIS PRÓXIMA DA COMUNIDADE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Dirigentes da ACI e FTC com Eduardo e Bastos ao centro.

Ontem, o reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Joaquim Bastos, disse que a instituição está construindo uma relação cada vez mais próxima da população sul-baiana.

“Além de promovermos a integração, estamos formando uma massa crítica regional de alto nível, com um trabalho que envolve diversos aspectos em áreas estratégicas”. É justamente a falta de inserção na comunidade regional o calcanhar-de-aquiles da universidade.

O reitor participou da 13ª edição do Fórum de Líderes Empresariais de Itabuna, no Hotel Tarik, evento organizado pela Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (Acei). Apesar de falar da inserção, Bastos lamentou que o mercado regional “ainda não tenha condições reais de absorver grande parcela dos profissionais formados pela Uesc”.

A universidade, lembra, saiu de um orçamento de R$ 40 milhões no início dos anos 2000 e terá neste ano R$ 125 milhões, mas a maior parte vai para pagamento de pessoal e custeio, “sobrando muito pouco para investimento”.

Organizador do fórum, Eduardo Fontes, da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna, ressalta a importância estratégica da Uesc para o desenvolvimento regional. “Foi isto que motivou o convite ao reitor da universidade e Joaquim Bastos preencheu plenamente a expectativa”, afirmou Eduardo. Ouça entrevista do blog com o reitor da universidade (clique aqui).

Back To Top